quarta-feira, maio 16, 2007

Momentos... que vos dedico...

"Cada um que passa na nossa vida,
passa sozinho, pois cada pessoa é única
e nenhuma substitui outra.
Cada um que passa na nossa vida,
passa sozinho, mas não vai só
nem nos deixa, sós.
Leva um pouco de nós mesmos,
deixa um pouco de si mesmo.
Há os que levam muito,
mas há os que não levam nada.
Essa é a maior responsabilidade de nossa vida,
e a prova de que duas almas
não se encontram ao acaso."


Fotografia de Clarinda Galante in 1000imagens


Os meus olhos vagueiam, entre o jornal à minha frente e o mar, enquanto penso demoradamente nas palavras de Antoine de Saint-Exupéry que acabara de ler numa das suas páginas, mas o meu pensamento vagueia ao som das ondas rebeldes e sorrio para mim própria ao reconhecer quão rebelde é também o meu coração tal como este mar que se abre em toda a sua força perante mim.

Tantas marés já passaram perante os meus olhos, umas calmas, outras rebeldes, mas de onde retirei a força, tal como a areia recebe a espuma das ondas, que o mar lhe lança.

Amo o mar. Um dia ele me recolherá, assim está escrito…

No turbilhão da Vida, tal como o mar se me oferece diário, recolho toda a essência que paira dentro de mim.

A calma e a rebeldia andam de mãos dadas, fazendo parte de um conjunto que eu aceito, como parte integrante de mim mesma.

Uma onda de emoção percorre-me, quando recordo as pessoas que passaram pela minha vida. Todas levaram um pouco de mim, deixaram também um pouco de si e deixaram marcas profundas, algumas invisíveis, mas que mesmo assim, foram importantes para mim.

É nesse mar de emoção que são as relações humanas, que se produzem os mais diversos sentimentos, sendo a amizade e o respeito, a palavra-chave, no meu entender…

Num mundo real, mas que cada vez tem mais tendência a ser irreal, absorvemos um pouco daquilo que por nós passa.

A indiferença é um sentimento que não cabe na minha alma rebelde, que se comove vezes sem conta, que se dá de forma plena, sem nada esperar em troca.

Quando aqueles que nos olham, não conseguem ver a interiorização dos sentimentos que cada um alberga, porque uma neblina negra cobre a sua retina, nada se pode fazer, a não ser esperar que essa mesma neblina, desapareça de vez.

Julgar sentimentos, julgar formas de estar, só porque se pensa que se (re)conhece nos outros, aquilo que a sua mente quer ver, é algo que não colhe em mim.

Amizade é também estarmos ao lado de alguém, mesmo que em algumas situações não concordemos com essa pessoa. E independentemente da forma como encaramos a Vida, sentirmos em cada momento difícil, a força de lhe dedicarmos todo o nosso afecto.

E porque a minha alma é feita de sentimentos controversos, mas que se unem num fio inquebrável, deixo-vos aqui o meu sincero Abraço, neste mês de Maio…


24 comentários:

TINTA PERMANENTE disse...

O mar sempre rimou com Poesia; mesmo que, por vezes, escrita a negro...
Abraço!

cm disse...

...na roda do tempo por vezes a companhia da nossa sombra não basta

maresia_mar disse...

Olá,
o mar sempre o eterno mar..
«amo o mar.Um dia ele me recolherá, assim está escrito!»

Bjhs

Anónimo disse...

um texto de sentires e amizade. francamente gostei imenso de ler-te.
jinhos da Dany

carla mar disse...

o texto é lindo :)
deixo um beijinho á menina e outro á alice, q tb costumo ler!
;)

Antonio Stein disse...

...sempre por perto.
Coisas que não deixo ao acaso.

Gosto deste Mar.

Sulista disse...

...Profundo e revejo-me nos teus pensamentos, tão bem expressados em palavras!

Beijinho Grande ;-)

Maria Clarinda disse...

Absolutamente sem palavras....lindo hino à Amizade, ao reconhecimento da dor de quem nos toca.E eu totalmente rendida, ao teu post!!!!
Música maravilhosa e o mar...essa que como já tenho referido é a minha atração fatal!

Paula Raposo disse...

Lindíssimo texto! Ficam sempre marcas. Beijos.

Teresa Durães disse...

obrigada pelas tuas palavras.
bj

agua_quente disse...

Um texto digno da tua qualidade de alma. O mar é o eterno companheiro.
Beijos

sofialisboa disse...

este teu escrever hoje mexeu profundamente comigo, que serenidade boa de sentir. que bom que foi ler estas letras e sentimentos todos juntos. sofialisboa

Amla disse...

A menina, está desafiada.
passa lá na minha casota.
bj.
Luz e paz em teu caminnhar

pb disse...

cada pessoa que passa deixa sempre uma marca, umas mais leves, outras mais profundas, e são com essas marcas que vamos construindo a nossa vida. Gostei de te ler, beijinho

Peter disse...

Um texto muito interessante em que salientas o facto de "absorvermos um pouco daquilo que por nós passa".

Humoblog disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Sandokan disse...

Não vivo de pesadelos. Tenho sonhos como qualquer ser humano que procura a luz que nos guia. A vida envia-nos muitos sinais, basta estar atento e procurá-los à nossa volta.São muitos e enviados das mais diversas maneiras. Por isso sou um GUERREIRO LOBO, que mantendo a calma, sabe esperar e nunca ter medo.

Abri há pouco a janela
do meu quarto minguado,
entrou o vento
soprando forte
trazendo uma trova
e uma canção
com um refrão tão triste
que diz
que nunca mais te encontrarei.

Parti como um louco,
gemendo e chorando
e à tua porta bati.
Apareceste-me
bela e singela
com a tua leve candura
na face tinhas a lágrima da
desventura.

Soltei um grito de pânico,
que atravessou o oceano
e num rochedo fez eco
levado pelos anjos
que partiram para sempre.

Grito agudo e
lancinante
que transporto sempre no peito
deixando amargas liras
e a saudade de te ver.
Perdi-te meu AMOR.

Meus amigos e amigas: Aceitai o medo como que ele faça parte integrante das nossas vidas. Aceitai-o, mas não tenhais receio de AMAR. Aceitai especialmente o medo da mudança, mas saibamos caminhar sempre em frente apesar do bater do nosso coração nos lançar um grito lancinante como que a dizer: VOLTA PARA TRÁS!
As trevas da noite caem, mas a manhã volta de novo ainda mais brilhante.
Manteremos viva a nossa ESPERANÇA.

Com especial carinho para ti, dedico este meu poema.

Sou um GUERREIRO LOBO que habita as paragens das caçadas eternas do bosque da felicidade, o "nosso" :

http://lusoprosecontras.blogspot.com

Vinde até ele ouvir a minha história. É uma história de um Povo, e o Povo é simples como eu.

Deixo-te aqui, neste teu cantinho maravilhoso, um grande abraço de Amizade.

SANDOKAN

Fuser disse...

Menina

Venha ouvir o Encontro da Terra Brasilis.

beijos

fuser

Isa&Luis disse...

Olá menina,

Belo o teu sentir.

Aqui sinto o fresco do amanhecer, a beleza dos afectos, que nos rodeia, a verdadeira Amizade.

Muitos beijinhos para ti

Isa

Anónimo disse...

[Amo o mar. Um dia ele me recolherá, assim está escrito…]

que bela expressão!!! e que coincidência maravilhosa: um dia as minhas cinzas lá serão depositadas!!!

Pedro o marinheiro

peciscas disse...

Soube-me muito bem ler este texto, carregado de verdade e de sentimentos.

asn disse...

Olá Otília
Muito agradeço a mambilidade dos e-mails, sempre com uma mensagem de amor, altruísmo, luta pela ambiente e pela VIDA.
Este poema reflecte aquilo que tem de ser a nossa própria vida na sua interacção com as outras vidas com as quais nos vamos entrelaçando.
Só assim se pode viver a vida.
Um beijinho muito amigo.
António

APC disse...

Belos votos de amizade!
O texto, deixou-me presa a algumas partes, como sempre acontece.
A imagem... Adorei-a! Vai tão de bem com o tema; vai muito bem comigo.

"quando aqueles que nos olham, não conseguem ver (...), nada se pode fazer (...)"

... Se tu soubesses!...

aaron@iol.pt disse...

................
.g
.o
.s
.t
.o
.
.d
.e
.
.t
.i
...............

e da tua forma transparente de te dares e encarares a vida. sortudos aqueles que te podem chamar amiga!!
beijão do aaron