quarta-feira, dezembro 30, 2020

2021 - ESPERANÇA




Lá bem no alto do décimo segundo andar do Ano
Vive uma louca chamada Esperança
E ela pensa que quando todas as sirenas
Todas as buzinas
Todos os reco-recos tocarem
Atira-se
E
— ó delicioso vôo!
Ela será encontrada miraculosamente incólume na calçada,
Outra vez criança...
E em torno dela indagará o povo:
— Como é teu nome, meninazinha de olhos verdes?
E ela lhes dirá
(É preciso dizer-lhes tudo de novo!)
Ela lhes dirá bem devagarinho, para que não esqueçam:
— O meu nome é ES-PE-RAN-ÇA...

Mário Quintana in, “Nova Antologia Poética”, a págs. 118




quarta-feira, dezembro 23, 2020

Prelúdio de Natal





Tudo principiava
pela cúmplice neblina
que vinha perfumada
de lenha e tangerinas

Só depois se rasgava
a primeira cortina
E dispersa e dourada
no palco das vitrinas

a festa começava
entre odor a resina
e gosto a noz-moscada
e vozes femininas

A cidade ficava
sob a luz vespertina
pelas montras cercada
de paisagens alpinas

E a multidão passava
E a chuva era tão fina
que parecia filtrada
de taças clandestinas

Finalmente chegava
Triunfal em surdina
a noite convocada
em todas as esquinas

Mas não se derramava
como tinta-da-china
Na cidade acordada
já se ouviam matinas

Poema de David Mourão-Ferreira
in, "Obra Poética 1948-1988", págs. 224/225

sexta-feira, dezembro 11, 2020

PORQUE É NATAL

É Natal

diz-me o coração.


E nestes dias de frio

Natal é aconchego

amor, fraternidade

solidariedade.


Até quando é Natal?


Nos meus olhos

interrogam-se dúvidas.

O coração vibrante de quente

esquece por momentos

fomes dolorosas

batalhas perdidas

amigos ausentes

palavras amargas

crianças feridas.


Por momentos tudo é perfeito.

As luzes brilham numa música suave.


Ao longe, faz-se ouvir o cristalino riso

de uma criança que desconhece o fel da vida.


Riso que entoa,

e cruzando o frio de neve,

derrete-a.


Por momentos, só por momentos,

o olhar do Menino Jesus sorri,

deitado nas palhinhas olhando a Virgem Mãe,

que, ternamente, de joelhos proclama

o seu Nascimento.


É Natal!


Presépio pessoal


A todos desejo um Natal muito Feliz no aconchego dos afectos que possuem.


Até ao próximo.