quarta-feira, julho 29, 2020

Dança



A caixinha de música continuava a tocar. Enlevada a ouvi-la nem me mexia. Sabia de cor aquela música, de tanto a ouvir...
Acordei.


Pintura de Degas


Dança
Contavam-me quando era menina
que, em noites de lua cheia, havia mulheres nuas
junto às fontes dançando ao ritmo da vertigem
das suas ancas, até de madrugada.
Calavam-se os pássaros e o vento.
Convocavam-se lobisomens e cães negros.
E dizia-se que eram bruxas.
Nunca as vi. Mas sonhei ser uma delas muitas vezes.
Graça Pires
in, Caderno de significados, a págs 11

6 comentários:

chica disse...

Lindo sonho e poesia da Graça Pires! beijos, tudo de bom,chica

" R y k @ r d o " disse...

Onde será que aqui perto de mim existe uma fonte?, lool
.
Cumprimentos poéticos

José Carlos Sant Anna disse...

Este Caderno de Significados está cheio deles com os poemas ali reunidos como este que lemos aqui.
Graça, a bendita graça de ser!
Abraços, MM

Pedro Coimbra disse...

Que bela "melodia" saiu da caixinha de música.

Graça Pires disse...

Ficou muito bem o Degas com este meu poema. Obrigada minha querida Amiga pela divulgação. E mais uma vez parabéns pelo dia dez hoje. Cuide-se bem.
Um beijo grande

vieira calado disse...

A Graça Pires é uma grande poetisa!

Saudações poéticas!