quarta-feira, janeiro 24, 2018

Absoluto

Claudia Lucia McKinney

Receber o sol 
como quem recebe
o primeiro beijo.

Dádiva de deuses 
limpando nuvens 
abrindo horizontes 
no azul infinito.

íman em mar refulgente
calma do absoluto ausente.



7 comentários:

a.s. disse...

No meu corpo
sem portas, sem paredes
sem janelas,
se entrasse o sol
seria verão outra vez
e cairia orvalho!

Um beijo...e saudades!
AL

A.S. disse...

No meu corpo
sem portas, sem paredes
sem janelas,
se entrasse o sol
seria verão outra vez...
e cairia orvalho!

Beijo... e saudades!
ÃL







Duarte disse...

O Sol, caricia que não cessa, quando sai.
Que ao corpo energia dá, se não queima.

Gostei destes versos teus.

Beijinhos

Graça Pires disse...

Pois que venha o sol beijá-la parta que possa, os lê-la, MM...
Uma boa semana.
Um beijo.

SOLIDARIEDADE disse...

Reluzentes e ensolaradas palavras a refletirem a síntese de um desejo.
Boa semana

Sol Negro disse...

Imagem belíssima, tal como os morfemas para a acompanhar!

Boa noite


-___-

MARIUS disse...

Tinha saudades de te ler!!! TY