terça-feira, julho 10, 2012

Momentos

Imagem Google

Há momentos que as palavras falham.
Sentamo-nos no meio delas
ouvindo o seu pulsar
como folha verde
no caule de uma flor.
Há momentos que o coração chora
sentindo o vibrar de vidas
que não são vidas
dentro da própria vida.
Há momentos que o isolamento
dói mais que o silêncio
da boca que fala e nada diz.

E há momentos
que têm a rara beleza
que nasce no meio do nada
como fonte de água pura
que no mar desagua
e por ele é beijada.

14 comentários:

ParadoXos disse...

há momentos poéticos que nos inspiram e fazem crescer palavras na boca!

é assim, o teu poema.


beijinhos meu
estimada amiga!


Kiesse

Agulheta disse...

Um belo momento poético de palavras,e que mais senão um belo momento.
Beijos e sorrisos

Anónimo disse...

Com palavras destas para que são precisas mais palavras?!
Fiquei sem elas para dizer o que senti juntando poema e imagem: pura magia!

Do Brasil beijinhos da Catarina e do António Augusto

heretico disse...

sabe-se lá quando rebenta um poema. no interior das palavas...

... as tuas muito belas. sempre.

beijo

☆Fanny☆ disse...

Há palavras que nos sorriem e nos fazem acreditar que a poesia é uma realidade!

Beijinho, amiga*

carlos pereira disse...

Há momentos em que o silêncio nos diz mais do que as palavras e nos conforta mais do que elas, mesmo que nos pareçam sinceras.
Gostei do poema, minha prezada amiga poetisa.
Abraço.

Virgínia do Carmo disse...

Há momentos para tudo. O importante é que de cada um nasça um poema. É isso...

Lindo, o poema.

Beijinhos, Otília

MK disse...

As palavras às vezes fogem... e ficam noutros cadernos.

No teu continuam presentes, sempre em grande forma! Já tinha saudades, foi bom visitar-te.

Vou tentar estar mais por aqui, iniciei um novo cantinho - se puderes visita-me, serás sempre bem vinda!(www.absurdoab.blogspot.pt)
Miss Kafka

Teresa Durães disse...

momentos que, mesmo que raros, conservam memórias para toda uma vida

Maria João disse...


Há momentos em que as palavras nada acrescentam.São momentos limpidos, transparentes... oceanos a poreencher-nos o peito.

Belíssimo, Otília!

Um abraço

Ana disse...

É bom estar de regresso ao mundo das tuas palavras !
Um beijo, MM *

tretas disse...

Há momentos de incerteza que sendo soldado da minha alma vejo farrapos da existência humana neste mar de águas agitadas, que só ouço lamentos e tristeza e minha alma chora.

Tretas

Anónimo disse...

Há momentos que como soldado da minha alma vejo destroços farrapos de despero neste oceano revolto...mas fico bem, pensando na fonte de água pura que no mar desagua e por eleé beijada.

Com tenura MM

Tretas

Jaime A. disse...

De todos os momentos (e adorei todos estes)há aqueles "nossos" de isolamento e silêncio que nos permitem, depois, a partilha.
Momentos, tantos...