sexta-feira, setembro 05, 2008

Quadras Populares...

O desafio que aqui foi lançado pela Inês Ramos mereceu da parte dos poetas da blogosfera e, de fora dela, uma adesão estrondosa à iniciativa; partilho as quadras vendedoras e os nomes dos seus autores.

Parabéns a todos.



Imagem de autor desconhecido


Categoria: Amor

o adeus do teu sorriso
é a luz a que me aqueço:
no teu corpo me eternizo
quando do meu me despeço.

Fernando Pinto Ribeiro


Categoria: Desamor

O mal de amores não tem cura,
nem a tua ingratidão
Eu dou-te a minha ternura,
tu partes-me o coração

Myriam Jubilot de Carvalho


Categoria: Escárnio e Maldizer

De branquinhos a vermelhões,
fruto de grandes escaldões.
Em vez de levarem os cremes,
apostaram nos garrafões.
E um copinho... Bebes?

Sérgio Figueiredo


Categoria: Crítica social

Onde tudo gira a esmo,
Com injustiças aos picos,
Os pobres, são pobres mesmo
Enchendo a pança dos ricos!...

Fernando Santos


Vai-se da escola à política
E do direito a juiz;
Há quem nasça a fazer crítica
Sem perceber o que diz.

Julião Bernardes

Está na moda ser ladrão.
O que é muito natural…
Se o curso da formação
é bem pago em Portugal…

Teresa Gonçalves


A besta reaccionária
Está à Esquerda, e à Direita:
É, na essência, ordinária
Sob aparência escorreita

Myriam Jubilot de Carvalho


Categoria: Lisboa

Esta Lisboa sem fundo
ouve agora línguas outras
é cidade com mais Mundo
é moça com muitas roupas

Eusébio Tomé


Categoria: Humor

Esse teu olhar furtivo
- bandoleiro atocaiado -
fez de mim um morto-vivo:
inda em pé, mas fulminado.

Adauto Suannes


O sol queima,
o amor é louco.
Braz & Braz
e Paga-Pouco

Myriam Jubilot de Carvalho


Para vencer na vida,
hermão,
perde-se a Vida
e o coração

Myriam Jubilot de Carvalho



Categoria: Saudade

Vejo a lua, face bela,
Que te espelha, meu amor.
Tu, lá longe, tão distante…
Olha a lua, por favor!

Ilona Bastos


A esperança é do tamanho
De uma caixa de correio
– Nasce todas as manhãs
Com a carta que não veio

Myriam Jubilot de Carvalho



Categoria: Sabedoria popular

Cada um sabe de si
Mais que outro de si sabe
Não invente ou adivinhe
Um saber que não lhe cabe


Helena Domingues


Dou-vos de mim quanto posso
Mas de mim tudo não dou
Pois se eu todo for só vosso
Não serei mais quem eu sou

Jorge Castro

(Quadras completas no blogue Porosidade Etérea)

Ouvir as quadras na voz de Luís Gaspar
(Desligar p.f. a música de fundo para ouvir)

18 comentários:

friendsforever disse...

PARABÉNS!!!:)

Oi amiga!!! Tens um prêmio para ti no meu blog. Espero que gostes. Beijos grandes !!!:)
ADORO-TE!!!

Leo disse...

uma beleza! parabelizo a organizadora´. cheguei aqui através do blogue da Tita que me falou que tinha aki quadras de nossos companheiros
Beijões. gostei muito do vestido é voçê??

JúliaML disse...

Querida Otilia,
Gostei especialmente das quadras do Fernando Pinto Ribeiro, estão muito boas!

beijo

tecas disse...

Olá querida Menina Marota, a ti devo o facto, de o meu nome constar no blog da Inês. Não fosse a tua publicidade e... Para mim foi um prazer participar:)
Bem já sabes... estou sempre...
A todos os meus parabéns, e um bem haja a ti, Inês e Luis Gaspar.
Bji amigo

Hélder disse...

Obrigado por divulgares.
Fica bem.

Graça Pires disse...

Adorei as quadras. Parabéns a todos: os que participaram e os que organizaram.
Um beijo para si.

Ana Sobral disse...

Mais uma partilha fabulosa como já é teu costume.óptima selecção de quadras a mostrar que somos realmente um país de poetas!!! referência também aos blogues em destaque em especial um que como sabes sou leitora assídua. ;))))))
Kissssss da anita

Ana Sobral disse...

Mais uma partilha fabulosa como já é teu costume.óptima selecção de quadras a mostrar que somos realmente um país de poetas!!! referência também aos blogues em destaque em especial um que como sabes sou leitora assídua. ;))))))
Kissssss da anita

Peter disse...

Oportuna e actual a quadra de Teresa Gonçalves.

comboio turbulento disse...

excelente ideia esta das quadras. os participantes ajudaram bastante porque o resultado é excelente. continua. parabéns

Odele Souza disse...

Adorei as quadras, todas muito bem feitas.

Um abraço e bom domingo

MADRUGADA... disse...

Se me for permitido - gostei muito do primeiro.

Cumprimentos.

Anónimo disse...

uma excelente ideia a da Ines que aqui partilhas com muita elegância.
Bjss
João C.

Anónimo disse...

....e depois de tudo ler,
ouvindo em voz de Luis Gaspar,
nem lhes digo do prazer.
que é tão só de chorar por mais...

Charlie disse...

....e depois de tudo ler,
ouvindo em voz de Luis Gaspar,
nem lhes digo do prazer.
que é tão só de chorar por mais...

OrCa disse...

Cara Menina Marota
és grande mais do que julgas
dando ao mundo uma outra rota
nos poemas que divulgas

dás de ti cada poema
mas dás dos outros também
fazes-te assim o teorema:
mulher, companheira e mãe

já eu que dou quanto posso
que de mim tudo não dou
apuro em ti esse passo
que eu nunca alcançarei...

;-)

Grato pela divulgação.

Beijos.

Paula Raposo disse...

Quadras óptimas! Eu sou fã do senhor que me precede o comentário...beijinhos, obrigada pela partilha.

Diego Viana disse...

Que bela combinação de versos. Um verdadeiro presente para o leitor!