segunda-feira, janeiro 21, 2008

Larguei-te no Mar


Imagem Google


Larguei-te no mar hoje...
soltei as tuas cinzas de dentro de mim
e expus-te ao vento cantante;
ele levou-te mas nunca te espalhou.
Manteve-te na íntegra
a mulher que hoje é passado
e que inteira me renunciou.

Foi melhor assim
e não sobreviverá em mim qualquer mágoa,
mas libertando-te nesta água,
procurando de ti hoje o fim,
compreendo
que se o sol fura o cinzento do céu
só para te ver...
é porque alguma coisa entre nós
ficou por viver...


(Poema de
Rui Diniz)


Larguei-te no Mar in A Voz da Corte
(Desligar p.f. a música de fundo para ouvir o poema)

21 comentários:

Maria disse...

Provavelmente ficou alguma coisa por viver...
Excelente poema, Menina Marota...

Beijinho

Anónimo disse...

Olá Menina!!! Uma bela escolha para uma apresentação magnifica. Não conhecia este poeta/declamador, tem uma voz fantástica, é ainda jovem não é?
Muitos beijinhos da Lena

É sempre um gosto passar por aqui!!!!

Isabel-F. disse...

um lindo poema ...


gostei muito


beijinhos e boa semana

des-encantos disse...

gostei e
desconhecia por completo.
Onde se arranjam destas 'coisas'?

Acordomar disse...

fica sempre algo "por viver", Menina :))

Esta lindo o poema

Um grd beijinho*

canela_e_jasmim disse...

Nada se completa, daí a nossa dolorosa busca de Absoluto!

Um beijo, amiga,
Clotilde

herético disse...

belo. gostei muito
beijos

Vieira Calado disse...

Lindíssima fotografia a emoldurar o poema!
Gostei muito

Paulo Sempre disse...

Há tanta coisa que "fica por viver"...
Beijo
Paulo

T.Rossi disse...

um poema dorido como é tantas vezes a vida que nos esquecemos de viver. a imagem é magnifica. um momento de reflexão que a música ajuda a digerir.
bjcas do Telmo

Paula Raposo disse...

Tão maravilhoso este poema!! Adorei. Beijos.

Mocho-Real disse...

Um bom poema vivencial.
A imagem é linda!

Abraço.

Ubirajara Rodrigues disse...

Ouvi a poesia e gostei muito também da sonoplastia bem ambientada com todo o sentimento que ela transmite.
Tudo de bom, Ubirajara

Entre linhas... disse...

Ao ouvir este poema fiquei com a sensação que estava a ser embaldada por um sonho...

Muito bonito sem dúvida.
Beijinhos
Zita

Fernando Santos (Chana) disse...

Belo poema, com uma espectacular fotografia.
Gostei
Beijo

Cymbron disse...

Que bom...é tão bom voltar a ver-te por aqui. Saudades!
Como tens passado?! Sabes tenho tantas novidades boas...

Jinhos grandes

Adryka disse...

Olá amiga bom dia . Fantástico este poema. Largar no mar é largar num local imenso...Beijinhos

Isa&Luis disse...

Olá menina!!

Adorei o poema ler e ouvir foi um momento divino.

Obrigada pela partilha..não conhecia.

Um dia feliz pleno de sentires.

beijinhos

Isa

A.Mello-Alter disse...

Olá
Boa noite para ti.
Á que tempos que por cá não passava.

o sal da nossa pele disse...

Belissimo... tudo de bom...

O Profeta disse...

Um mágnifico poema em trova de vida...

Este vento que sopra nos brandais
Leva de arrasto a minha alma
A proa estende-se adiante na vaga
Olhar de garça o meu coração acalma

Ai quem me dera voar no canal
Ai quem me dera ser a tua espera
Ai quem me dera que o amor
Ai! morasse naquela terra


Bom fim de semana


Doce beijo