sexta-feira, janeiro 26, 2007

quando choro


Imagem Google


quando choro
todos os rios do mundo chovem no meu rosto
todos os amores represados desaguam no meu corpo

todos os amanheceres me anoitecem no olhar

por isso
aqui fico
navio soterrado na margem

assim
de braços calados

sem lágrimas


Jorge Casimiro in murmúrios ventos (Pág.29)


Capa do livro


O autor não tem blogue, mas isso não o impede de navegar na blogosfera…

29 comentários:

Anónimo disse...

a imagem é uma beleza! muito bonito este blogger k acabei de descobrir.
Bjos da Iris

Anónimo disse...

Obrigada por partilhares. E Barbra Streisand também...

Bom fim de semana!

aaron@iol.pt disse...

Sempre atenta minha amiga!
Adoro Barbra Streisand
Beijosss do aaron

heloisa disse...

Tambem naveguei durante bastante tempo na "blogosfera", sem ter meu proprio espaco! foram exactamente alguns desses AMIGOS que tinham BLOG que me incentivaram a iniciar o *CONVVERSANDO COM AS PALAVRAS*, que, precisamente hoje, tres anos.
BELISSIMO O POEMA E IGUALMENTE BELISSIMA A *CAPA DO LIVRO*!

Beijinhos, minha GENEROSA AMIGA; que, continua na sua senda, de *DAR A CONHECER*!

Sua Amiga,
Heloisa
*********

Anónimo disse...

Quando choro limpo a alma.


bjinhos

Anónimo disse...

E são lindas as palavras que aqui nos deixas.

Obrigada pela partilha.

Boa semana*

Anónimo disse...

Boa noite

criamos este blog para quem quiser participar. Com o que quer se seja.
Não é necessário colocar nomes.
É absolutamente livre de o fazer ou não.
Gostariamos muito que nos visitasse em breve.
Para postar deve utilizar o login e password que indicamos
http://nosnaocensuramos.blogspot.com/

Anónimo disse...

Há muito ñ ouvia Barbra Streisand... q felizmente voltou aos concertos. Voz suprema!
E esta melodia é lindaaa!

Texto mt sensível de Jorge Casimiro! Imagem imensa de tristeza|

MJ disse...

Muito belo e, acima de tudo, sentido.

Parabéns ao autor :-)

Passeando no Parque disse...

Invocador de sentimentos. Me tocou.
Beijão

Anónimo disse...

Como é que é isto? Não consigo comentar!!!
Só entrando como anonimo??? Ora esta!!!

:-(((((

Thunder disse...

Olá!
Quando choro é como se tivesse contratado uma equipa de limpezas para limpar toda a "porcaria" que teimava em não sair!
:-)))))

Entre linhas.... disse...

"Menina" teu blog é de uma sensibilidade extrema,parabéns e muitas felicidades.

Adoro a música 5 *****

Jinhus da Zita

Anónimo disse...

Confesso que tinha (muitas) saudades de comentar este cantinho.

O poema é de uma profunda sensibilidade...

Gostei. Os meus parabéns e agradecimentos por este momento terno... pela escolha, pela música, etc.etc.etc.

Uma tarde muita tranquilia e feliz para ti... minha Amiga.

Do amigo "Montanheiro"

delfus1@gmail.com disse...

LIndo, e não conhecia ... de facto, acho que poderia ter um blog...
~jnhs

Delfim Peixoto disse...

LIndo, e não conhecia ... de facto, acho que poderia ter um blog...
~jnhs

A Rapariga disse...

Muito bonito. Mesmo muito bonito!
Beijos, linda

Bia disse...

Parabéns belo poema, sentido...
E eu quando choro é como se chovesse muito e tudo inundasse depois sento-me e espero que o sol ilumine meu rosto e seque minhas lágrimas...
Sempre que por aqui passo fico deliciada com o que leio.
Um beijo

Passo disse...

:) mar de emocoes esses q correm da tua caneta :) belo belo :)

musalia disse...

o Jorge Casimiro sempre vai deixando os seus traços...pela blogosfera:)

um beijo

Maria Clarinda disse...

Mais uma maravilha tua, e do Jorge Casimiro com o seus poemas. Como sempre a voz magnifíca da Barbara.
Obrigada pela tua visita à minha galeria do mil.
Jinhos gds

Mário Margaride disse...

Olá menina_marota...obrigada pela tua visita ao meu cantinho.
Que beleza de blog! Adorei este poema! De uma ternura notável!

De facto o Google anda meio marado...mas ainda bem que conseguiste entrar!

Beijinhos

Mário.

© Piedade Araújo Sol disse...

Parabéns ao Jorge que tao bem sabe escrever....aliando uma poesia doce e triste, sentida, simples e bonita...

Obrigada pela partilha...

A. disse...

aqui!


...de braços calados.
sem lágrimas.
refazendo o desfeito.





...infelizmente despareceu.
o meu.



abraço.
sempre bonita menina.

lena disse...

menina linda, este é um belo poema de Jorge Casimiro

o Poeta escreve sempre com muita sensibilidade e este livro além de ter uma capa lindíssima é excelente

um alinhar de palavras sentidas, onde o som consegue suportar o silêncio

obrigada doce menina por nos presenteares sempre com excelentes momentos

abraço-te com muita ternura
e beijinhos para ti

lena

Mystic's disse...

grande livro!!!

Anónimo disse...

São poderosíssimas as imagens convocadas por estas palavras. É o passado pesado a desaguar impiedoso no presente...ausente de luz, de calor, o sol que não vem. E a vida na outra margem. E os braços pardos, de tão desfeito o corpo, não deslizam. A vida na outra margem e essa torrente insistente de água escura a impedir os olhos de a alcançar!
Pode fechar-se as comportas?
Obrigada, Jorge, por seres tão bom!

LUA DE LOBOS disse...

e porque não um blog?? assim ia espreitando deliciada com tanta poesia... da boa mesmo!! que belo poema.
xi
maria de são pedro

Leticia Gabian disse...

Olá, Menina Marota!
Gosto imenso quando me deparo com palavras de outro que falam muito de mim. Adorei.
Beijocas pra ti e parabéns a Jorge, que tão bem escreve sentimentos.