domingo, setembro 17, 2006

Domingo


Imagem de Mítia


Que Deus me perdoe
Mas eu não gosto
De Domingos.
O Sábado ainda vá...
Mas quando acordo
Numa manhã de Domingo
(e isso acontece uma vez por semana)
Infalivelmente
É uma angústia
De não saber o que fazer
Com aquele dia...
Que coisa!
Mas falando com outra gente,
Surpresa e com graça,
Descubro que muita gente
Também tem problema
Com o Domingo
Será porque de repente
Fica tudo reunido?
Que se fica sem saber que falar?
Ou que de súbito se repara
Que não há nada para dizer?
DOMINGO.
Pois é.
Deus escolheu o Domingo
Para Ele descansar.
Fez bem.
Não sei é se ria
Ou se chore
Porque Domingo para mim,
É um nunca mais acabar!
É uma seca de bocejos
Que deviam ser beijos.
É um desfiar de olhadelas
Para o relógio de cuco
Que nunca mais cuca
As dez horas da noite,
Para ir para a cama
E aí...sim!
Acordar alegremente
Na Segunda-feira.


(Poema de Maria de São Pedro
in "Gato Pedra", pág.67)

18 comentários:

Bia disse...

Olá vim ler-te, poema Lindo! sabes que o Domingo é mesmo aquele dia de descanso abençoado para uns, e um dia de tédio para outros...
A minha filha tem 10 anos e por ela e com ela os Domingos tornam-se dias bem agradáveis...
Uma beijoca

pitanga disse...

Minha querida, combinamos? Também tenho na pitangueira um domingo, só que um pouco diferente do teu. Ou como era diferente!

beijos a olhar o relógio

APC disse...

Ao domingo estamos connosco, e isso chega a doer!

:-*

antona disse...

obrigdo por tu visita
beijos

Bia disse...

Obrigada pelas dicas... o Domingo está a acabar amanhã já é segunda... beijocas e mais uma vez obrigada

Crepúsculo disse...

Eu contento-me com a quarta e quinta-feira que são o meu sábado e domingo.
Na sexta-feira acordo e tento não me lembrar que existe domingo.

Belo poema.

albertokorda disse...

Simples mas belo

melgadoporto disse...

De salto vim para ao teu blog e não podia de deixar a minha picada...
O domingo não é um dia de tédio mas sim um dia de necessária ponderação e reflexão para os dias que virão!
Deus criou o mundo em seis dias e ao sétimo descansou (sábado).
Assim me ensinaram, assim o sinto.
Por isso ao domingo recuso-me a levantar um dedo que seja para algo.
Apenas penso!
Penso no que aconteceu nos seis dias passados e fundamentalmente do que posso mudar nos seis dias que vêm!
Não é claramente um dia fácil!
:)

LUA DE LOBOS disse...

Obrigada pela publicação e podes ir postando o que te agradar
xi
maria de são pedo

agua_quente disse...

Muito tempo para pensar, muito tempo para estarmos com aqueles com quem vamos perdendo intimidade... o melhor é sair para a rua, mesmo!!
Beijos

{{coral}} disse...

Poema brilhante. Poema que retrata domingos de muita gente.
Adorei.
Boa semana sem bocejos
{{coral}}

Anónimo disse...

boa semana, Amiga.
E boa poesia.

Meu afecto,

***maat

Spiritus Lupus disse...

Tenho que falar baixinho dos domingos; não gosto muito, pois só tenho dois por mes pra descansar.

Grato pelas visitas,
Beijito carinhoso.

A Lei da Rolha disse...

Gostei disto!!!! Prometo voltar! Passa pela minha humilde casa...

Bic Laranja disse...

E já é segunda.
[Nunca mais é sabado!...]
Cumpts.

APC disse...

Voltei a este post, apesar de ter apreciado muito os seguintes. É a imagem, sabes?... Lembra-me muito a dos cartões TAT, um teste projectivo que por vezes se aplica em exame psicológico.
Gosto, pronto! :-)
Um beijinho.

Teresa David disse...

Agradou-me este poema pois tb eu sou perfeitamente alérgica ao clima que há no ar aos Domingos.
Recordo sempre na infância o bruá dos rádios colados ao ouvido dos ouvintes de futebol, e os sítios cheios de gente que não me apetecia ver. Gostei, pronto!!
Bjs
TD

Michakurika disse...

Este teu poema Maria, é lindo e tu Menina Marota, ilustraste-o muito bem como aliás é teu hábito!
Um xi para as duas,
Ema