domingo, fevereiro 19, 2006

Um dia...

Ainda é grande o silêncio
que temos dentro.
Levamos
a sua lenta abóbada de tempo
cumprindo as estações e a rotação dos anos.
Mas, sobretudo, vamos crestando e sendo
a uma astral experiência.
Vamos adquirindo essa tez translúcida dos velhos
que sabe à estrutura dos planaltos.
E, um dia, iluminados, entraremos
pelo portão sagrado,
como quem deu por si em pensamento,
com todo o seu silêncio iluminando.

Tinhas este poema do Fernando Echevarría, numa folha amarelecida pelo tempo, dentro do último livro que leste. Não sei se foi de ti que herdei o meu gosto pela Poesia e pelos Poetas, mas sei que a palavra Saudade é a maior força poética que conheço… por isso deixo-te aqui outro dos teus poemas preferidos…

Para isso fomos feitos:
Para lembrar e ser lembrados,
Para chorar e fazer chorar,
Para enterrar os nossos mortos.
Por isso temos braços longos para os adeuses,
mãos para colher o que foi dado,
dedos para cavar a terra.

Assim será a nossa vida;
Uma tarde sempre a esquecer,
Uma estrela a se apagar na treva,
Um caminho entre dois túmulos.
Por isso precisamos velar,
falar baixo, pisar leve,
ver a noite dormir em silêncio.

Não há muito que dizer:
uma canção sobre um berço,
um verso, talvez, de amor,
uma prece por quem se vai.
Mas que essa hora não esqueça
e que por ela os nossos corações se deixem,
graves e simples.

Pois para isso fomos feitos:
para a esperança no milagre,
para a participação da poesia,
para ver a face da morte.
De repente, nunca mais esperaremos...
Hoje a noite é jovem;
da morte apenas nascemos, imensamente.
[Poema de Vinicius de Morais]



Um dia voltaremos a ler juntos Poesia…

36 comentários:

Passeando no Parque disse...

Na caminhada da vida vamos permitindo que afetos nos escapem. Não importam os motivos do afastamento, importa sim que quando a saudade bate, saibamos dar palavras aos sentimentos.
Estou acompanhando o seu blog. De uma sensibilidade extrema, que muito me comove com seus artigos. Beijão

Zeca disse...

Se um dia me faltas não sei o que fazer.
Agarro na trouxa e vou novamente para a cidade.
Mais um post no........
Fica bem.

adesenhar disse...

bom momento de poesia neste Domingo chuvoso.
:)

Sofia disse...

Menina, as pessoas e os afectos não se perdem nunca... é só olharmos dentro de nós e, no fundo, à nossa volta... eles sempre estarão lá! Como diz Vinicius "da morte aoenas nascemos, imensamente"!
jinhos luminosos

Anónimo disse...

Eu te peço perdão por te amar de repente
Embora o meu amor seja uma velha canção nos teus ouvidos
Das horas que passei à sombra dos teus gestos
Bebendo em tua boca o perfume dos sorrisos
Das noites que vivi acalentado
Pela graça indizível dos teus passos eternamente fugindo
Trago a doçura dos que aceitam melancolicamente.
E posso te dizer que o grande afeto que te deixo
Não traz o exaspero das lágrimas nem a fascinação das promessas
Nem as misteriosas palavras dos véus da alma...
É um sossego, uma unção, um transbordamento de carícias
E só te pede que te repouses quieta, muito quieta
E deixes que as mãos cálidas da noite encontrem sem fatalidade o olhar extático da aurora.Vinicius de Morais

Amaral disse...

Um dia… é dedicado com ternura e com saudade… Porque a poesia aproxima, remexe nos sentimentos, exalta-nos momentos. Porque o poeta é dono do tempo, transforma e dá cor. Porque o poeta aproxima as nossas sensações do inatingível…

JL disse...

Esteja onde estiver... está a olhar por ti. E dirá orgulhoso: Que linda menina ali tenho! Um beijo

NorMal disse...

Muito bonito, não conhecia o poema!
Um dia... Sem pressas... Há-de voltar a juntar-se para ler Poesia...

Cumprimentos e uma boa semana!

Crys disse...

Ai ai, Vinicius é o máximo! Poesia perfeita... Bela escolha. Uma boa semana e um bjo!

Sulista disse...

Amiga,
Venho aqui deixar outro Abraço e um Beijinho terno !

Maria João

sandra disse...

Olá, bigado pela visita no meu cantinho...gostei de ver o teu cantinho com tanto sentimento e muita poesia...está muito nito..bjokinhas***

Isabel-F. disse...

...gostei de ler....

fica um beijinho muito terno para ti

wind disse...

Belo. Espero que estejas melhor. Continua também na companhia dos teus amigos do post de baixo:-) beijos

lena disse...

belos estes poemas e adoro ler Fernando Echevarría,
um dia sem pressas certamente que voltaram a ler juntos

tens tanta sensibilidade em ti menina linda e espero que estejas a recuperar bem

estico os meus braços daqui, para te dar um forte abraço cheio de carinho e beijinhos com muita ternura

lena

A Dread disse...

Olá, ainda bem q gostas-te do meu blog.
beijokas:)

Cristina disse...

Olá menina,
O Vinicius no seu melhor :)
Espero que estejas melhor
Um beijinhu GRANDE
;)

Sulista disse...

passa por 'lá' para te sorrires um bocadinho com o último post...

Outro Beijinho Grande :-)

Friedrich disse...

Réplicas do acaso corrói o discernimento da tranquilidade numa paz adormecida mal alimentada... Este poema do tempo que nos despertará para um mundo em que se vulgarizou a mendicidade humana... A saudade da reliquia de um amor que um dia nos abraçou.

Um beijo e uma flor

Arion disse...

Tudo e todos fazem parte de todos. Os mortos não morrem. Olhem por nós e ajudam-nos. Concordo com o jl! Beijo!

Anónimo disse...

É um privilegio ler estes autores, estar aqui,também, a lermos juntos Poesia...Uma escolha que mostra a grande sensibilidade poetica da dona deste blog. From this moment on...uma linda melodia!
Beijo
Adérito M Monteiro

Marco Ferreira disse...

muito lindos estes dois poemas

marinheiroaguadoce a navegar

travessias disse...

A imagem, os poemas e a música.
Conjugação perfeita.
É bom passar por aqui.

Pamina disse...

Obrigada por compartilhares estes sentimentos tão intímos através destes dois belos poemas.
Um beijinho nosso.

Menina do Mar disse...

Os poemas são lindos,cheios de ternura!

Carlos disse...

“De tudo só ficam três coisas:
A certeza de que estamos sempre começando.
A certeza de que é preciso continuar.
A certeza de que seremos
interrompidos antes de terminar.
Portanto devemos fazer:
Da interrupção um novo caminho.
Da queda, um passo de dança.
Do medo, uma escada.
Do sonho, uma ponte.
Da procura, um encontro.“
(Fernando Pessoa)

lique disse...

Belíssimos, ambos os poemas! E eu também penso que reencontraremos os que amamos. Fica bem, amiga. Deixo-te um beijo grande.

amita disse...

Tantas vezes sorvemos a saudade em silêncio na certeza de que algo mais belo nos espera e que alcançaremos. Dois belíssimos poemas numa homenagem sentida. Um bjinho grande amiga

augustoM disse...

As poesias vêm ao encontro de um texto que estou a preparar que se chama Cosumir o Tempo, uma abordagem da vida numa perspectiva diferente da que é feita usualmente, uma ousadia minha.
Um beijo. Augusto

manuel disse...

Dois belos momentos de poesia. Certamente que contimuarás a ler. Sozinha ou acomopnhada! E, sobretudo, a escrever...

Beijos

AS disse...

Querida MM, dois belos poemas que nos transmitem com muita subtileza mensagens que ficam retidas num cantinho da alma...

Um abraço carinhoso

heloisa disse...

Deixo meu Abraco de AMIZADE e de SAUDADE!
PASSO LENTAMENTE!... Mas gosto de PASSAR E DE FICAR O TEMPO POSSIVEL!

Beijinho.
Heloisa B.P.
************

maresia_mar disse...

Olá minha kida, nos caminhos da vida encontramos pessoas que nos acompanharão sempre, mesmo depois de terem partido sentimo-as sempre próximas e presentes... essa perda dói muito acredito, eu também passei por uma semelhante. De qualquer forma, o tempo é remédio para tudo. Gostei muito do teu post. Bjhs

Sulista disse...

Amiga,
que bom te ter visto por 'lá' :-)

Força aí! Deixo-te um Abraço Graaaaaaaaaaaaaaaaande!!!

mgbon disse...

Bonito momento este que me proporcionaste!

singularidade disse...

lindos estes dois poemas que partilhaste:))
"dias amarelados desencantados, mas reencontramos um amanhã

beijinhos fofos

Ninna disse...

Olá,
Muito bonito. Adoro Vinícius de Moraes, respiro poesia.
Envia pra mim???
Vou adorar tua presença por lá
Beijos, Obrigada!