sábado, setembro 24, 2005

Bom fim de semana...


Imagem daqui


"Vem por aqui" - dizem-me alguns com os olhos doces
Estendendo-me os braços, e seguros
De que seria bom que eu os ouvisse
Quando me dizem: "vem por aqui!"
Eu olho-os com olhos lassos,
(Há, nos olhos meus, ironias e cansaços)
E cruzo os braços,
E nunca vou por ali...”

"Ah, que ninguém me dê piedosas intenções!
Ninguém me peça definições!
Ninguém me diga: "vem por aqui"!
A minha vida é um vendaval que se soltou.
É uma onda que se alevantou.
É um átomo a mais que se animou...
Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
- Sei que não vou por aí!"

Excerto: "Cântico Negro" de José Régio

45 comentários:

Al disse...

Olá Marota menina,
saber por onde não ir é já saber muito.
Belo cântico este.
Bom fim-de-semana.
Bj

agua_quente disse...

Reencontrar José Régio e o "Cântico Negro" é um prazer. Proporcionado por ti! :) Beijos e um bom fim de semana.

lique disse...

Bom dia, MM! É bom relembrar o "Cântico Negro", um dos poemas que nunca me abandonou. Beijinhos e bom fim de semana.

romero disse...

Que precioso ese "Cântico Negro
Encantador mismo :)
gracias por mas un regalo.

Besito y bueno fin de semana

ana luar disse...

Menina Marota esse é um dos meus poemas preferidos de José Régio e assim como ele diz eu tb não sei por onde vou, mas sei que por esse caminho não é.

Prefiro escorregar nos becos lamacentos,
Redemoinhar aos ventos,
Como farrapos, arrastar os pés sangrentos,
A ir por aí...

Se vim ao mundo, foi
Só para desflorar florestas virgens,
E desenhar meus próprios pés na areia inexplorada!
O mais que faço não vale nada.

É belissimo não é este poema...plesmente maravilhoso.

Furão disse...

Esse era um dos constantes no meu repertório das declamações há muitos, muitos anos. Não quero pertencer a nenhum grupo daqueles que têm a mania que são donos da cultura. Ninguém tem esse direito.
Mas onde quero chegar? Eu explico. Do que já vi neste blogue, o Cântico Negro fica lindo aqui. Ponto final.
Contudo, entristece-me vê-lo declamado por presidentes de clubes, como me entristece ver a Carmen de Bizet nos anúncios dos detergentes ou a banda sonora de "A Ponte sobre o Rio Kwai" em lixo televisivo (a minha papagaia Becas sabe-a de cor, vão dizer que ando a ver esse lixo).
Dizem-me alguns com olhos parvos:
-Mas isso é que é divulgação da cultura.
Mas eu não vou mesmo por aí.

Zica Cabral disse...

adoro este poema e gosto imenso de o ouvir pela Maria Betânia.
Às vezes, não sei mesmo por onde ou para onde vou mas tenho quase sempre a certeza de que ....não vou por aí.......ou por onde muitas vezes querem por força que eu vá.......
vbeijinhos e obrigado por nos lembrares de José Regio

Caracolinha disse...

Olá .. de regresso de férias para deixar um beijinho de saudade !!!!
~:o)

Leonor C.(nokinhas) disse...

Obrigada pela tua visita!

Há situações em que é preciso saber dizer "não vou por aí!"
Gosto muito dese poema e, por coincidência ainda um dia destes estive a lê-lo.
Se quiseres ir à outra casa que eu tenho, num bairro bem castiço, a morada é esta:

http://www.ominhavizinha.blogspot. com.

Eu conheço-te pelas fotos da confraternização...
Beijinhos e bom fim de semana

Leonor

I disse...

alma torturada a de Régio, neste poema maravilhoso que nunca cansa ler uma vez mais.

Cristina disse...

amo esse poema!
beijinho, bom fim de semana! :)

al-Farrob disse...

Clap, clap :)

Leonoretta disse...

ola marota
este cantico tem sido o meu hino desde sempre.
e quantas cabeçadas dei por causa dele. mas nao me arrependo.
obrigado pelo teu carinho
beijinhos da leonor

Friedrich disse...

Desculpa! Beijos, BFS

Freddy disse...

Também para ti aquele beijinho de excelente fim-de-semana da Zona Franca

José Gomes disse...

MM,
Gostei muito neste cantinho da America ler o Cantico Negro do Antonio Sergio.
Quando regressar lembra-me para te ler a versao que a Filo costuma interpretar...
Canto Tinto, se nao me engano.
Tem um bom fim de semana.
Um abraco.

lualil disse...

Menina,
Saber onde não se vai já me parece muito acertado!
Um final de semana feliz e cheio de amor!
beijos

Mocho Falante disse...

Cada vez que me leio este poema lembro-me dele declamado por Vilarett. Boas escolha

Bom fim de semana

lazuli disse...

quase alvorada..e começo bem o dia, vindo aqui ler o Cântico Negro. Bom domingo para ti..

Luís Monteiro da Cunha disse...

Gosto da maneira como ilustra os temas, que enriquecem com as imagens escolhidas a dedo.
Este quadro de areia é soberbo!

O cântico, sinto-o como um grito de revolta e desafio, uma afirmação pessoal, que dispensa benevolências, conselhos ou dádivas de boas intenções.

Bom domingo
bjinho

Quem sabe... disse...

-Até me poderei rever neste poema...
Mas no meu caso não é um vendaval....é mais um "tufão"...(perdoem-me" a tolice...

bjs e tudo de bom :)

Sulista disse...

Irra como toda esta «gente» (e tu tambem), escreve bem!!...quem me dera escrever assim... ;-)

MeninaMarota,
qt ao desafio, ffv atreve-te ! Força aí !!
..fico á espera da tua
participação ;-)

Ah, a imagem é linda! já a «gamei» ;-)

Beijito Grande e asta luego!

nmc disse...

Sei para onde quero ir
Sei com quem quero ir
Sei até onde quero chegar

Não sei por onde não devo ir
Vou devagar, pois quero lá chegar

:)

Manel do Montado disse...

Lamento. Lamento mesmo só agora ter chegado ao teu blog. Antes tarde do que nunca. Adoro este poema do José Régio.
É bom clicar para aceder ao teu blog e a outros onde os temas mais caros ao sentimento e à sensibilidade humanos são excelentemente abordados.
Ergo o meu copo à excelência e brindo por ti e por todos os que amam a cultura.
Bom resto de Domingo.

mfc disse...

Na nossa consciência mandamos nós... não há ninguém que consiga a propriar-se dela.
Um bom fds e um abraço.

public pervert disse...

Não sei se me orgulho ou lamento por tudo o que eu possa escrever ser algo que está dentro de mim. Posso dizer que é a minha alma sem qualquer tipo de censura que pudeste ler, é tudo aquilo que resulta do tentar viver no tal mundo feito de pessoas maravilhosas que referiste. Mesmo assim, não duvido que hajam pessoas maravilhosas, duvido é que as consiga encontrar da mesma maneira como elas desejam encontrar-me a mim, porque desde sempre nunca procurei nada, nem o tenciono fazer.
É como esse poema do José régio, não sei para onde vou, sei que não vou por aí. Gosto bastante desse poema. Obrigado pela visita, gostei desta pequena viagem.

JPD disse...

Este poema é muito importante por ensinar um método: saber de onnde se parte para alcançar o destino, uma vez definido o trajecto.
Bjs

Ana disse...

Este poema sempre me tocou particularmente.
Parabéns pela escolha.

dameuntango disse...

Há poemas que todos conhecemos, mas nem sempre lembramos.
Obrigado Menina Marota

O Turista disse...

Votos de uma boa semana!
:)

O turista - http://turistar.blogspot.com/

wind disse...

Um verdadeiro Hino, este poema. beijos

CASTOR disse...

Quando decidimos não ir "por aí" só porque sim, é mau... se decidimos não ir "por aí" porque temos razões fortes e seguras e sabemos o porquê, então o melhor é mesmo não ir "por aí", não é? CHUAC!

batista filho disse...

É um dos poemas que me acompanham de há muito... e sempre mantendo a atualidade. Tudo de bom, Menina.

Passo disse...

:) é belo sim :) ( espero q o fds tb tenha sido bom pai :))

Elise disse...

menina, vim ler com calma o teu blog, dar um abraço e desejar uma boa semana!

Aranldo disse...

já agora aproveita e faz uma visita ao meu blog e deixa o teu comentario..ja notei k gostas de pinturas... bjsss fika bem..

Anónimo disse...

Olá

Passo para deixar um beijinho e dizer que voltei com um blog novo (só meu)

Fica então o beijinho e espero uma visita por aqui:

Pedaços de Silêncio

Tiago

Dizzie disse...

Me haces suspirar.....ahhhhhhh
José Régio, como el sabia....como tu escojes bien lo que siempre nos regalas...gracias :)

Besitos, Menina...niña :)

Veronica disse...

muito lindo beijos................

Malae disse...

"Não sei por onde vou,
Não sei para onde vou
- Sei que não vou por aí!"

Hoje queria dizê-lo com toa esta segurança!

Excelente escolha! Do mais belo que se escreveu na nossa lingua!

Beijinhos grandes.
Malae**********

Vagabundo disse...

Foi bom passar por aqui e reler, talvez, o mais Vagabundo dos cânticos de Régio.
Gostei

Vagabundo

Cláudia disse...

Olá Menina Marota...

Também coloquei um excerto do Cântico Negro no meu blog aqui há tempos... Não lhe resisto. Sempre gostei muito de José Régio, principalmente deste poema.

Fica bem. Beijo grande ***

Amigo de Alex disse...

È sempre bom relembrar um dos mais belos poemas que se fizeram em lingua portuguesa, de sempre.Que pena o excerto ter sido amputado daquela parte..."todos tiveram pai, todos tiveram mãe,eu, que nunca principio nem acabo,sou filho do amor que há entre Deus e o diabo".

Uma boa semana.
Um Beijo.

AS disse...

Querida MM, vai apenas por onde te indica o coração!...

Um beijo

vab disse...

Menina Marota, olá!!!
Cântico Negro do Zézito é um dos meus preferidos! que agradavel surpresa!!
Gosto de te ler.
Adorei também a tua escolha para fidelidade...ou força da amizade, com Manuel António Pina in Jornal de Notícias – última página.
Gosto da música.
vou voltar, vou
um beijinho
vab