sexta-feira, junho 10, 2005

Hoje...

Imagem daqui

Eu canto porque o instante existe
e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
Sou poeta.
Irmão das coisas fugidias
Não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.
Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou me desfaço,
- não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.
Sei que canto. E a canção é tudo.
Tem sangue eterno e asa ritmada.
E um dia sei que estarei mudo:
- mais nada.

(Cecília Meireles in Motivo)


Hoje... sinto a falta de uma palavra amiga, sinto falta de conversar, sinto falta de um amigo...

...os dias são todos iguais...

31 comentários:

Ricardo Leal disse...

Só depende de nós para que os dias não sejam monótonos... e iguais...

Leonoretta disse...

Olá. venho dizer-te que ontem ou anteontem, já não me lembro, passei apenas uma vista de olhos a galopar. hoje voltei com a calma das manhãs de feriado que duram uma eternidade. e vi a tua escrita de sentimentos autênticos que se revelam em cada sílaba. e vi o bom gosto incrível na escolha das imagens.

não comento o poema da Cecilia Meireles. comento a frase em letrinhas tamanho oito que mal se vêem. hoje... eu preciso sempre e cada vez mais eja nem sei se isso é bom ou mau.

beijinho da leonor

lique disse...

Hoje eu deixo-te um beijo grande e uma amizade que, mesmo estando longe, pode fazer-se perto.

TMara disse...

olha bem a cor e a espuma dos dias. Eles não são todos iguais, nós é k, por vezes, assim os reduzimos. E a prova está (tmb) no teu blog e em nós k por cá passamos (nunca os mesmos- qnd embora os mesmos nomes temos). Bj grande e k a vida te sorria smp

wind disse...

Como estás assim toma lá um grande beijo e um abraço virtual:)

Vênus disse...

Ai ai...Tbm queria abraço terno e ombro amigo..Vou mesmo pra perto do mar...Se quiseres vem comigo!
Beijos querida!!!*.*
Essa musica é de chorarrr..sniffffffff!!

AS disse...

No verso que de tua boca se derrama
Atado ao meu verso em descompasso
Vão palavras em forma de um abraço
Que o teu corpo hoje tanto reclama.

Aqui fica o meu abraço, sereno, amigo, reconfortante...

Elise disse...

Há dias menos bons. Mas sabes que podes contar com os amigos. Mesmo aqui, do outro lado do ecran, tens quem se preocupe contigo. :)

bertus disse...

O poema é muito bom!
" não sei, não sei. Não sei se fico ou passo."
Quando um poeta se interroga, acontece poesia...
.............................

Vamos fazer um exercício.
Imagina que estamos numa esplanada (numa daquelas mais recentes aí da Foz). Uma brisa agradavel corre junto ao Douro e refresca-nos.
Tu, lês um livro; eu o jornal; de vez em quando olhamo-nos e trocamos um sorriso de cumplicidade.
A amizade não necessita de grandes conversas.
São 18 horas e 23 minutos do dia 10 de Junho.
O dia ainda está longe de terminar.

Um abraço amigo de companhia...possível.

Sulista disse...

Menina MArota Viva!
Thanks pela visita lá no
bloguito :-)
A Elise não faz anos nem aniv. de casamento. Só me apeteceu dar-lhe um miminho! pq ela é uma excelente rapariga e mt lutadora.
Foi só por isso q publiquei o desenho.

Mais logo passo aqui de novo p ler teu poema e comentar :-)
Sorry mas agotra tenho que trabalhar.
Beijos até luego :-)
Sulista

António disse...

Obrigado pela visita ao meu antro.
Fiquei surpreendido por ter vindo parar a outro blog teu.
E parece que tens mais.
És coleccionadora? eh eh
Jinhos

amita disse...

Olá minha amiga. Porque será que há dias... e dias...? Talvez porque no derramar da floresta amena que nos cerca haja um sorriso silenciado, mudo, que se queda. Contudo... não há coincidências, mas sim o falar de asas que se conhecem. Um abraço grande e fraterno amiga.

Hrrada disse...

Lindo poema... É, às vezes a rotina pode-se tornar mais aborrecida que o sofrimento, ou até ser a sua causa... Não te deixes invadir por ela ( por mais difícil que isso seja )*

António disse...

Olá!
Vou linkar os teus quatro blogs.
E virei visitar-te...sem ironias...eh eh
Jinhos

Wakewinha disse...

Pudesse eu através das palavras dar-te o calor de que precisas, acredita que não hesitaria...

Nestes momentos lembra o que já viveste, mas sem saudade! Guarda a saudade para a ânsia de viver o que ainda há-de vir! ;)

Beijinho grande de excelente fim-de-semana!

batista filho disse...

Menina Marota:

Podes carecer
num momento determinado
“de uma palavra amiga... de conversar”
Mas jamais
“... os dias são todos iguais”
como já o disse, d'outra feita:

"Em tudo há multiplicidade
entre o dia e a noite
entre o riso e as lágrimas
- quantas possibilidades!

Nem todo dia é claro
Nem toda noite é escura
Dias de sol, dias de chuva
Noites trevosas, noites de estrelas e lua”

Um abraço fraterno.

Sulista disse...

Então Viva de novo Menina :-)))

Siorry há pouco atrás, mas estava mesmo a trabalhar.Só acabei há pouco (hoje ainda não me deitei) e
assim q acabei vim cá :-)))

Obrigada por tua visita por "lá"!
Olha, esta pintura é tão Linda!

E promete-me uma coisa: Sempre q queiras conversar, vai lá e
chama-me! se te agradar a companhia, claro!

Temos amigos mt grandes tb aqui
na Blogosfera! :-)

...fora isso, é sempre dificil
sair do teu blog...as músicas são sempre tão lindas (tristes, mas Maravilhosas), que fico a
ouvi-las até ao fim...
Grande Grande Abraço :-)
Dá noticias!!
Sulista

António disse...

Este, conheci-o e linkei-o ontem.
Foi o que despoletou a descoberta do teu quarteto e a tua resposta quasi clara.
E quasi clara porquê?
Porque gostava que me dissesses em qual deles mais escreves.
Ou, melhor ainda, aquele em que escreves mais prosa e seja menos intimista (é que não vai dar para visitar todos, todos os dias; estes ainda continuam com 24 horas...eh eh ).
Jinhos

augustoM disse...

Um amigo é a coisa mais preciosa que podemos ter, não um simples conversador, mas o confidente.
Um abraço. Augusto

Tino disse...

Achei bonito o poema e aqui fica um beijinho amigo!

Jah Bless

Carlos2627@sapo.pt disse...

Agradeço as apreciações que fez aos meus despretenciosos desenhos.
Quanto ao "Linkar-me" , pois, com certeza. Ficarei muito honrado com isso.
E deixe-me confessar-lhe uma coisa: não sei como "efectuar" links no meu blog... Estou a começar agora ... apesar dos meus quáse oitenta anos. Quer ajudar-me ?
Gostaria de a contactar com regularidade.
Cumprimentos
Carlos Ferreira

Anónimo disse...

Cecília fala por nós em momentos de silêncio...
e fala bem...

te beijo

Nefertari

Carlos Ferreira disse...

Menina ...
Diga-de, por favor, como se chama a belíssima canção que serve de música de fundo ao seu blog, como se chama o intérprete e se está à venda em Cd.

Mto grato
Carlos Ferreira

sylpha disse...

Um poema lindissimo...como sempre nos habituaste :)) Deixo-te aqui um beijo cheio de carinho e um xi daqueles bem apertadinho

Manuel disse...

Já tantos disseram tanta coisa sentida. Mas há dias que apenas somos a expressão dum sentir vago, incerto que busca sem encontrar e ama sem objecto...
Um beijo e obrigado pela visita

Isabel Magalhaes disse...

Vim agradecer a visita e encontro um extraordinário poema da Cecília Meireles lindamente acompanhado pela imagem e um SOS em letra pequenina. A palavra amiga fica aqui, para conversar estou sempre disponível, e quanto ao amigo, faço pensamento positivo para que o encontres. :)

Um abraço e bom fim de semana.

BlueShell disse...

...eu também sei o que é sentir essa falta....tu sabes...
Um BOM Domingo,
BShell

Daniel Malafaia disse...

E vai-se complicando...

Anónimo disse...

Cecilia Meireles a Florbela Queir´s brasielira! gostei muito de ler voçê

Anónimo disse...

Maravilhosas palavras.Muita saudade, dor e imensa paixão. Adorei. Feliz dia.Bjs

hoje disse...

Cecilia Meireles...há 20 anos que canto este poema sem saber o seu autor.
mesmo cantado é um poema de inegavel beleza.lindas palvras..talvez..."desamparadas , inocentes, leves"