segunda-feira, novembro 18, 2013

No silêncio da noite...

Pintura de Irina Souchelnytskyi

Escrevo-te
nas margens de um rio
por abraçar

Escrevo-te
na aragem de um tempo
por atravessar

Escrevo-te
no silêncio da palavra
por quebrar

O verso das minhas mãos
escreve-te nas entrelinhas…



11 comentários:

A.S. disse...

Os versos que saem das tuas mãos conhecem os mais doces recantos...


Beijo!
AL

Duarte disse...

Escrevo-te para saber de ti, pessoa animosa, rica em valores...
Abraço-te

heretico disse...

eloquentes entrelinhas - que tanto dizem ou escondem...

a tua qualidade poética - sempre.

beijo

Menina Marota disse...

Obrigada, AL.
Os recantos da poesia são eternos.

Bjinho

Menina Marota disse...

Duarte, muito grata pela presença e palavras.
É bom saber-te presente, mesmo quando a minha ausência se faz notar.

Um abraço.

Menina Marota disse...

Manuel Heretico, muito grata pela apreciação. Fico feliz que o sintas.

Beijo

Amita disse...

E nas entrelinhas está a chave...
Muito belo.
Um bjinho e uma flor

Odete disse...

Visito muitas vezes esta página de poemas lindíssimos que gosto de saborear...
Obrigada.
Beijinhos

Anónimo disse...


Primeiro as palavras vieram sós
Depois os sonhos com os desejos
E quando dos lábios nascemos nós
Nas nossas mãos floriram beijos


Depois veio o tempo que já não viste
(Nem queria crer que tu não vinhas)
Ficaste presa num medo triste
E eu afoguei-me nas entrelinhas


Agora espero sem esperar nada
Nem mesmo aquilo que não esqueci
Percorro as margens da madrugada
Guardo os reflexos do rio em ti

© Piedade Araújo Sol disse...

e que escrevas sempre assim, porque é muito bom o que escreves.

beijo :)

MARIUS disse...

E fico-me no enlevo da tua poesia que tanto me toca.


Um abração