quarta-feira, julho 10, 2013

Música da natureza

(Clicar na foto para ver em tamanho natural)
Steve Winter

Sorri minha alma no leve toque dos sentidos
que, como um rio, corre nas minhas veias,
em sensações arrebatadas pelo afago do vento
que na extensa planície meu olhar incendeia.

Sorri meu corpo na ternura do momento em que
se funde o pensamento na beleza que me rodeia.
No calor da pele abraçada pelo sol, a natureza
vibra, na cumplicidade do sentimento que me enleia.

Não temo o amor, nem a morte, se ambos
vierem devagarinho levando-me em sonhos
de carícias e a lua se esconder no meu olhar.

Sob as pétalas da noite desliza o orvalho
em cascata de rios como lágrimas de amor
que cantam melancolias na música da natureza.



 Otília Martel
(Menina Marota)

in, Olhos de Vida, pág. 29,
publicação em Livro Digital para iPad
Ilustrações de Catarina Lourenço
disponível em  Livraria Liberdade e  Itunes 

8 comentários:

Sérgio Costa disse...

Um excelente soneto a casar com uma espantosa fotografia.
Fantástico post. Gostei mesmo muito do soneto cuja sensibilidade já depreendo de si.

Bjo

Sérgio

© Piedade Araújo Sol disse...

em forma de soneto, um trabalho muito bom.
a foto está bem "casada" com o poema.
um beijo
:)

lectorwall disse...

Muito bonito este soneto! A alma e o corpo unidos num mesmo destino - amar livremente em harmonia com a natureza!
Beijinho e abraço

Mar Arável disse...

É urgente o amor

heretico disse...

muito belo.

um soneto muito bem construído - que Florbela não desdenharia! -

beijo

manuela barroso disse...

E porque só agora vi o seu blog querida amiga?
Nada melhor: música que vai avançando ao som das cascatas da sua lindíssima poesia.
E não apetece ir embora...
Beijinho grande
da "Asa"

Manuela Barroso

Jaime A. disse...

"Não temo o amor, nem a morte,...", que reflexão tão sentida, tão "poética"... todo o este soneto envolve quem o lê...

MARIUS disse...

Temos o livro sabes disso. Mas aqui a magia é diferente. A Ana pendurada aqui no meu ombro diz que é um dos poemas mais bonitos e olha que ela gosta de tudo o que escreves. Mas este soneto tem uma magia especial. Também gosto muito dele. Pena que no iBook não tenha sido recitado como foram outros. Gostávamos de o ouvir!!
Beijokas nossas