quinta-feira, novembro 01, 2012

"... da glória na flor,..."

Imagem Google


Apesar de a luminosidade
outrora tão brilhante
Estar agora para sempre afastada do meu olhar,
Ainda que nada possa devolver o momento
Do esplendor na relva,
da glória na flor,
Não nos lamentaremos, inspirados
no que fica para trás;
Na empatia primordial
que tendo sido sempre será;
Nos suaves pensamentos que nascem
do sofrimento humano;
Na fé que supera a morte,
Nos tempos que anunciam o espírito filosófico.

Poema de William Wordsworth, in “Recordações da Primeira Infância”,
"Ode: Intimations of Immortality from Recollections of Early Childhood"
 


10 comentários:

Observador disse...

Muito bonito.

Bom feriado.

Mar Arável disse...

Um dia seremos

de novo crianças

heretico disse...

lembranças de esplendores na relva. e de morangos silvestres ...

... e frutos maduros. também.

gostei desta "viagem". por outras memórias.

beijo

Anónimo disse...

Aqui há sempre boas manifestações culturais portuguesas.
Manoel Carlos

aflores disse...

Que seriamos nós sem as nossas memórias, recordações...

Tudo de bom.

annie hall disse...

Boasortepara o Luca:) fiquei feliz por si ,eu já tenho netos mas raramento os vejo:(
Bjs e muita amizade .Annie

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Excelente!

O Profeta disse...

São mudas as neblinas nesta ilha
É de pobreza o pão que alimenta o meu sentir
Oiço o mar com os meus próprios dedos
Parti do desencontro dos meus derradeiros medos

Parti e deixei no cais mil dúvidas
Lembrei tempos que corri feliz pelas amoras
Nesses dias bebi sofregamente a vida
Nesses dias a minha alegria era incontida

Uma radiosa semana


Doce beijo

Anónimo disse...

As memórias afaga os corações

Bj

Tretas

Anónimo disse...



as memórias AFAGAM (plural) ....


Cecília Lopes

Vila Nova de Gaia.