sábado, março 24, 2012

... e porque é Primavera

Pintura de Duy Huynh


Reinvenção

A vida só é possível
reinventada.

Anda o sol pelas campinas

e passeia a mão dourada

pelas águas, pelas folhas...

Ah! tudo bolhas

que vem de fundas piscinas

de ilusionismo... - mais nada.



Mas a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

Vem a lua, vem, retira
as algemas dos meus braços.
Projeto-me por espaços
cheios da tua Figura.
Tudo mentira! Mentira
da lua, na noite escura.

Não te encontro, não te alcanço...
Só - no tempo equilibrada,
desprendo-me do balanço
que além do tempo me leva.
Só - na treva,
fico: recebida e dada.

Porque a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.


Poema de Cecília Meireles,
in, "Vaga Música" a págs 195/196
(1983)

9 comentários:

Era uma vez um Girassol disse...

Que poema tão lindo, Otília!!! E a imagem....Parabéns pela tua criatividade, pelas palavras que escreves tão bem, pela tua sensibilidade! Parabéns pela tua presença aqui na Blogosfera, quando tantos desistiram e foram para outras paragens...És uma resistente, Menina!
Bejinhos da flor

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema fresco e belo como a estação.

gostei muito MM

obrigada

umbeij

VdeAlmeida disse...

Muito bonito, e outra coisa não seria de esperar :)

Vic (yardbird)

Margarida Alegria disse...

O poema traduz bem a sensação de se entrar num dia de generosa Primavera!
Parabéns!
Um beijinho

tretas disse...

Sempre agradável passar por aqui, tudo belo. bej.



Tretas

Nilson Barcelli disse...

Gostei das tuas palavras primaveris.
Leves, coloridas, suaves, deslizantes... como a estação sugere.
Beijo carinhoso, querida amiga.
Nilson

Nilson Barcelli disse...

Gostei das tuas palavras primaveris.
Leves, coloridas, suaves, deslizantes... como a estação sugere.
Beijo carinhoso, querida amiga.
Nilson

Ana Tapadas disse...

Pura beleza.

Beijo

heretico disse...

de um lirismo encantador. suave e delicado como petalas de margaridas...

beijo