sábado, março 24, 2012

... e porque é Primavera

Pintura de Duy Huynh


Reinvenção

A vida só é possível
reinventada.

Anda o sol pelas campinas

e passeia a mão dourada

pelas águas, pelas folhas...

Ah! tudo bolhas

que vem de fundas piscinas

de ilusionismo... - mais nada.



Mas a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.

Vem a lua, vem, retira
as algemas dos meus braços.
Projeto-me por espaços
cheios da tua Figura.
Tudo mentira! Mentira
da lua, na noite escura.

Não te encontro, não te alcanço...
Só - no tempo equilibrada,
desprendo-me do balanço
que além do tempo me leva.
Só - na treva,
fico: recebida e dada.

Porque a vida, a vida, a vida,
a vida só é possível
reinventada.


Poema de Cecília Meireles,
in, "Vaga Música" a págs 195/196
(1983)

terça-feira, março 06, 2012

Oceano dos Sentidos

Pintura de autor não identificável

Há um espaço para voar dentro da alma
que emerge do oceano dos sentidos

 e flutua na consistência do ser.

Navegam os sentimentos em águas, 

ora calmas, ora tumultuosas,
e, no sol posto, amanhece um outro dia
que nos traz lágrimas ou sorrisos de alegria.

Olho-me para lá do sonho 

e da imaginação 
corpo presente
desejo fremente
oscilando suavemente,
na brisa que entardeceu.

Poema de Otília Martel 

(Menina Marota) 
in

a págs 371