sábado, maio 07, 2011

Sentires

Desenho-me
rosto rubro do sentir
átomo da existência
mar aberto
de ondas calmas

meu encantamento.

Desenho-me
na foz do entendimento
algas marinhas
entre corais e
pedras brancas
submersas de espuma
meu pensamento.

Desenho-me
na brisa do poente.


(desligar, por favor a música de fundo, para ouvir o vídeo)

10 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

e vai sair um belo desenho

beij

carlos pereira disse...

Poema maravilhoso, numa divagação poética sublime.
Gostei imenso.
Parabéns.

José Marinho disse...

No teu poema encontro o "desenho" do meu sentir presente. Boa semana. Tudo de bom.

Filoxera disse...

Desenho de cor calma...
Gostei.

MENSAGENS AO VENTO disse...

________________________________


Desenha-se em versos bonitos e sentidos... Gostei demais!

Beijos de luz e o meu carinho muito especial...


Zélia(Mundo Azul)

______________________________

Mar Arável disse...

... e assim...

com um traço se faz poesia

Jaime A. disse...

"desenho-me" sempre de todas as maneiras, em todas as cores.
Imagens lindas, este poema de quase-Verão.

heretico disse...

com a suavidade de fim de tarde. de uma beleza nostálgica e vibrante...

gostei muito

beijos

Anónimo disse...

Me desenho, em tons purpura quase da cor do sangue, sangue que pinta a humanidade, com pincéis de espinhos mortiferos o homem de hoje, selvagem ,arbitario ,até penso que os homens do Eolítico pintariam muito melhor ,em tons de azul, olhando v´nus a siua deusa.
Pois.... estou zangado ..com o mundo ... ,Menina Marota vai ignorar o desabafo.

(Como eu queria só ver o azul do céu no fim do dia ao por so sol)

Beij.

Tretas

Flávia Amaro disse...

Poema que vem como brisa e se faz sentir. Intenso, lindo.