terça-feira, abril 26, 2011

Identidade...


(imagem pessoal)


Poema

A minha vida é o mar o Abril a rua
O meu interior é uma atenção voltada para fora
O meu viver escuta
A frase que de coisa em coisa silabada
Grava no espaço e no tempo a sua escrita

Não trago Deus em mim mas no mundo o procuro
Sabendo que o real o mostrará

Não tenho explicações
Olho e confronto
E por método é nu meu pensamento

O quadrado da janela
O brilho verde de Vésper
O arco de oiro de Agosto
O arco de ceifeira sobre o campo
A indecisa mão do pedinte
São minha biografia e tornam-se o meu rosto

Por isso não me peçam cartão de identidade
Pois nenhum outro senão o mundo tenho
Não me peçam opiniões nem entrevistas

Não me perguntem datas nem moradas
De tudo quanto vejo me acrescento
E a hora da minha morte aflora lentamente
Cada dia preparada

Poema de Sophia de Mello Breyner Andresen in "Geografia"

9 comentários:

Anónimo disse...

Faz lembrar a nossa Cecília Meireles.
Muito linda sua escolha e vc é muito bela.
Kissss
Susy

a musiquinha que tá tocando é um barato!

Nilson Barcelli disse...

A poesia da Sophia é uma delícia.
Querida amiga, obrigado pela partilha.
Beijos.

Mar Arável disse...

Sophia sempre

Daniel Aladiah disse...

Querida Menina
Esqueçamos a morte, que só existe no corpo, lembremos Abril, que só existe na imaginação, vivamos o agora, que é a nossa realidade.
Um beijo
Daniel

tecas disse...

Boa escolha para o blog. Toda a poesia da Sophia é uma maravilha.
Bem hajas pela partilha, Menina Marota:)
Bjito amigo

Graça Pires disse...

Sophia, sempre belíssima. Obrigada pela partilha.
Um beijo, MM

heretico disse...

boa maneira de celebrar Abril - com Sofia!

beijo saudoso

Smareis disse...

Linda poesia, tem palavras vinda direta do coração. Um abraço!

Heloisa disse...

LINDAAAAAAAAAAA!!!!!!!

E O POEMA, DISPENSA COMENTARIOS!

BELISSIMO, TUDO******!!!!!

BEIJINHOS.

H.