quarta-feira, outubro 27, 2010

Tanta Gente, Mariana

"Maria Judite de Carvalho, feiticeira secreta da solidão" dela escreve Urbano Tavares Rodrigues no final do Prefácio que assinou nesta tão esperada reedição de Tanta Gente, Mariana:

"…Há também na obra de Maria Judite de Carvalho desde o começo uma poética dos títulos, que aliás não é alheia a uma certa poesia da sua escrita, detectável em certas imagens que vibram na economia, que não é secura, dos eventos e dos diálogos.
Tanta Gente Mariana é, de certo modo, um retrato interior da mulher ao mesmo tempo meiga e arisca e tão secreta que eu profundamente amei e sempre admirei."

Foi com emoção que li o Prefácio da reedição de um livro que já li apaixonadamente por diversas vezes e cada leitura é uma nova revelação para mim…



Capa da nova reedição


“… Uma noite dos meus quinze anos dei comigo a chorar. Não sei já qual foi o caminho que me conduziu às lágrimas, tudo vai tão longe, perdido na fita branca do passado. Só me recordo de que o pai me ouviu e se levantou. Sentou-se ao de leve na borda da minha cama, pôs-se a acariciar-me os cabelos, quis saber o que eu tinha.
- Estou só, pai. Não é mais nada. Dei porque estava só e isso pareceu-me… Que parvoíce, não é? Estou agora só! E tu então?
Tentei rir a tapar-me, já arrependida da franqueza, mas ele não colaborou e isso salvou-o da raiva que eu havia de lhe ter na manhã seguinte. Não se riu e a sua voz, quando veio, era muito doce, quase triste.
- Também deste por isso – disse brandamente – Também deste por isso. Há gente que vive setenta e oitenta anos, até mais, sem nunca se dar conta. Tu aos quinze… Todos estamos sozinhos, Mariana. Sozinhos e muita gente à nossa volta. Tanta gente, Mariana! E ninguém vai fazer nada por nós. Ninguém pode. Ninguém queria, se pudesse. Nem uma esperança.
- Mas tu, pai…
- Eu… As pessoas que enchem o teu mundo não são diferentes das do meu… No fundo é muito provável que algumas delas sejam as mesmas, mas aí está, se fosse possível encontrarem-se não se reconheciam nem mesmo fisicamente…
Como havemos de nos ajudar? Ninguém pode, filha, ninguém pode…
Ninguém pôde.
…"
(excerto)

A reedição de Tanta Gente, Mariana já se encontra à venda.
Uma bela prenda para o Natal que se avizinha

12 comentários:

Virgínia do Carmo disse...

Nunca li, mas fiquei com imensa vontade de ler... Obrigada pela sugestão!

Grato beijinho

Anónimo disse...

solidão quem não a conhece?
querida menina que enches o meu coração. de sonhos e mistérios. que me comoves tantas ocasiões até às lágrimas. que enches o meu mundo de nostalgia e saudades de tempos idos. és um lenitivo na minha solidão maior. nos meus dias negros. nas noites mais escuras.
a tua ausência dói-me aumenta a solidão dos meus dias.
ler-te saber-te aqui enche este aposento de sol e esperança de que afinal estou vivo.
beijo-te esses dedos que partilham as tuas dádivas como sinto o ar que respiro.

a.

Valdemar Rodriguez disse...

vou seguir a indicação de vc e procurar esta autora que desconheço

estrelas e galáxias disse...

Lindo...

Um abraço com carinho,

mariah

Pirate disse...

Mais um para juntar à lista.
O tempo é escasso e a dita é longa...
Mas vontade não falta :-)

Luis Eme disse...

li e tenho vários livros de crónicas da Judite, sobre Lisboa.

são uma delicia.

beijinho

José Manuel Marinho disse...

Uma escolha, de facto. Tudo de bom.

Anónimo disse...

oi MM!! Tudo bem com vc? Quanta saudade!!
vou pedir à titia aí de Portugal que me mande gosto sempre das suas indicações.
beijões
Naty

Graça Pires disse...

Uma escolha excepcional. Já o li há muito tempo. É imperdível.
Um beijo MM.

Maria Clarinda disse...

Quase todos os dias te venho ler, Menina...hoje deixo-te o meu beijo de carinho e saudade.

Anónimo disse...

querida MM gostaria de saber se este livro pode ser oferecido a uma jovem de 15 anos. A minha afilhada Milena faz anos mas como não conheço a autora nem o tema faço esta pergunta.
jinhos da
Ruth

Menina Marota disse...

Em resposta à pergunta da Ruth e espero ir a tempo, partilho um excerto da contra capa do livro e que nos diz… "Tanta gente, Mariana é uma história de reflexão, de procura de algum sentido, de respostas que não surgem para questões eternas. É sem dúvida uma obra sobre gente real, sem máscaras, retratando assuntos que nos estão bem próximos de uma forma incrivelmente realista e melancólica. Após a leitura desta obra transformamo-nos em pessoas diferentes. «Crescemos» um pouco, mudamos mentalidades, reflectimos neste percurso existencial que todos fazemos e podemos concluir que estamos sós num mundo repleto de gente."

Acho que será um belo presente para oferecer a uma jovem de 15 anos, sim!

Um grande abraço e já agora feliz aniversário para a Milena.