sábado, agosto 07, 2010

Música da Natureza...


Pintura de Michael Garmash

Sorri minha alma no leve toque dos sentidos
que, como um rio, corre nas minhas veias,
em sensações arrebatadas pelo afago do vento
que na extensa planície meu olhar incendeia.

Sorri meu corpo na ternura do momento em que
se funde o pensamento na beleza que me rodeia.
No calor da pele abraçada pelo sol, a natureza
vibra, na cumplicidade do sentimento que me enleia.

Não temo o amor, nem a morte, se ambos
vierem devagarinho levando-me em sonhos
de carícias e a Lua se esconder no meu olhar.

Sob as pétalas da noite desliza o orvalho
em cascata de rios como lágrimas de amor
que cantam melancolias na música da Natureza.

13 comentários:

simplesmenteeu disse...

Segredos de um sentir que se abre atento e se entrega.
Ser rio e alimento. Vento e caricia.
Como o sol, ser fogo e luz .E ser a música silenciosa das palavras que se oferecem num cântico de vozes que se reconhecem...

- OBRIGADA!

Beijo carinhoso

ALCINA BORGES disse...

OLÁ AMIGA!
VOU EXPLORAR OS TEUS SEGREDOS!...
BEIJINHOS, MUITOS
CINA

Graça Pires disse...

Excelente poema!
Gosto muito do modo como faz so sonetos.
Um beijo, MM

Mar Arável disse...

Nus

Abslolutamente despidos de tudo

sem muros nem ameias

Bjs

Imagem e Poesia disse...

Belos poemas, belas imagens, maravilhoso espaço tens aqui.
Gostei de aqui chegar!
Beijinhos
Ceiça

Ana Tapadas disse...

Muito belo este poema.
bj

Guilherme disse...

Linda esta forma de cantar o casamento dos sentidos e da sensibilidade feminina, neste caso, com a e as mariavilhas que a natureza nos oferece. Talvez tenha sido um erro meu, mas durante a leitura do poema imaginei uma mulher a embutir-se, digamos assim, na natureza. Pode ser uma idiotice, mas foi o que senti. E gostei. Um beijo amigo

heretico disse...

belissimo poema. pleno. e musical
repleto de imagens muito impressivas

gostei muito.

beijos

A.S. disse...

MM...

Belo este teu soneto!!!
Para ler, reler... e sonhar!

BjO´ss
AL

Jaime A. disse...

O corpo e a Natureza: um só. Os sentidos fluem...
Há qualquer coisa de romântico (na verdadeira acepção da palavra) nesta relação Natureza-Mulher.
Adorei este poema.

Francisco Coimbra disse...

Um cumprimento ao comprido, deitado sobre as palavras, depois de viajar no blog, regressando à entrada... Beijos

carlos pereira disse...

Do pouco que já li; gostei bastante.
Relativamente a este poema; é simplesmente BELO.
Continuarei, a partir de agora, a visitá-la.
Um abraço.
Carlos Pereira

EtFreire disse...

Mergulhei profundamente nesta dança de palavras que ecoam no oásis da nossa nostalgia.

Um soberbo poema!

Beijinho

Et