quarta-feira, junho 16, 2010

Bloco de gelo...


Imagem de Marta Dahig


Ao início da tarde coloquei
um bloco de gelo no coração.

Deu-me fome e sede
recolheu-se a inspiração.

Fui ao frigorífico
peguei nos morangos
passei-os pela água gelada
que escorria do meu peito.

Numa taça de cristal os coloquei.

Reguei-os com champanhe
decorei-os com chantilly
e percebi, afinal, porque tinha colocado
a tal pedra de gelo a derreter
num local que habitualmente está a ferver.

Era um apetite voraz de sentir na boca,
não um beijo apaixonado, mas o saboroso paladar
de uns belos morangos carnudos e vermelhos.

9 comentários:

Graça Pires disse...

Um poema muito belo e cheio de significado. Um beijo MM.

Graça disse...

Também gostei muito do poema... refrescante :).

Beijo, MM.

© Piedade Araújo Sol disse...

deste volta Às palavras e saiu um poema, um pouco diferente dos que já escreveste.

gostei!

beij de maresia

Ana Tapadas disse...

O poema é tão belo como sedutor!
gostei tanto.
Beijo


PS: sim, sou serena. A vida educou-me. serena e rebelde. se for possível isso.

sam disse...

oie tem promoção rolando no meu site não deixe participar,bjsss da sam

rouxinol de Bernardim disse...

Morangas é muito antioxidante e sabe bem... cuidado com o açucar, demais é erro.

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Venho agradecer e retribuir a visita. Não li ainda muitos posts, mas o que li gostei. Obrigado por se ter dado a conhecer e espero vê-la mais vezes lá no CR.

Rosa dos Ventos disse...

Com um pouco de sabor a Cesário Verde, na temática e na ironia! :-)

Abraço

margusta disse...

E, ... existem dias, com desejos assim !... Um poema com um desenlace diferente e muito refrescante. GOSTEI!!!

Um beijinho meu para ti amiga e votos de um Domingo muito FELIZ.