quinta-feira, outubro 02, 2008

O Poema que li para o meu Cão...


Sting ouvindo...



"Crepúsculo de Outono"


O crepúsculo cai, manso como uma benção.
Dir-se-á que o rio chora a prisão de seu leito...
As grandes mãos da sombra evangélicas pensam
As feridas que a vida abriu em cada peito.

O outono amarelece e despoja os lariços.
Um corvo passa e grasna, e deixa esparso no ar
O terror augural de encantos e feitiços.
As flores morrem. Toda a relva entra a murchar.

Os pinheiros porém viçam, e serão breve
Todo o verde que a vista espairecendo vejas,
Mais negros sobre a alvura unânime da neve,
Altos e espirituais como flechas de igrejas.

Um sino plange. A sua voz ritma o murmúrio
Do rio, e isso parece a voz da solidão.
E essa voz enche o vale...o horizonte purpúreo...
Consoladora como um divino perdão.

O sol fundiu a neve. A folhagem vermelha
Reponta. Apenas há, nos barrancos retortos,
Flocos, que a luz do poente extática semelha
A um rebanho infeliz de cordeirinhos mortos.

A sombra casa os sons numa grave harmonia.
E tamanha esperança e uma tão grande paz
Avultam do clarão que cinge a serrania,
Como se houvesse aurora e o mar cantando atrás.

Manuel Bandeira

Breve explicação: alguém, muito simpaticamente, perguntava-me via email, “o porquê deste poema ter sido lido ao Sting o meu cão”.
Tão simples como isto:
Gosto de ler poesia em voz alta e ele, muitas vezes, fica concentrado a escutar-me.
A imagem que partilho foi tirada, numa das suas janelas preferidas, quando de orelha arrebitada escuta o que vou dizendo mas, ao mesmo tempo, olha o exterior da casa, atento…

20 comentários:

Paula Raposo disse...

Doce o poema de Manuel Bandeira. Beijos.

Hélder disse...

Que sorte a do outono ter quem escreva assim dele.
Bjs.

Anónimo disse...

Nestes momentos não me importava de ser cão... e com esta musica ainda mais.
oh MM para além de seres linda como mulher, és uma linda pessoa!!!! aí está o outono em todo o seu esplendor.
Jinhos ;))))))))
JA

Graça Pires disse...

Crepúculo de Outono de Manuel Bandeira. Um poema lindíssimo.
Um beijo.

comboio turbulento disse...

Manuel é Bandeira da poesia. Vou tentar como meu cão. Espero que ele goste como eu. Obrig

Maria Clarinda disse...

Wxpectacular este poema do Manuel Bandeira!!!Podia ser uma cadelinha, não acgas assim ouviria poemas belos como este, ditos para mim....
Jinhos e obrigada pela partilha

Joseph disse...

Otília
Olá

Manuel Bandeira, já falecido, um dos maiores poetas brasileiros de sempre. Pena os seus poemas versarem sempre o tema "morte".

"Consoada

Quando a Indesejada das gentes chegar
(Não sei se dura ou caroável),
Talvez eu tenha medo.
Talvez sorria, ou diga:
- Alô, iniludível!
O meu dia foi bom, pode a noite descer.
(A noite com seus sortilégios.)
Encontrará lavrado o campo, a casa limpa,
A mesa posta,
Com cada coisa em seu lugar."

Obrigado pela partilha deste Crepúsculo.

(E que música maravilhosa esta...
Quem canta?)

Beijinhos ternos;-))**

acqua disse...

Por assim dizer, o seu cão tem sorte. Que belo poema. Ainda mais porque nos permite sentir ainda mais as cores do outono. Abraços meus

Peter disse...

Porquê para o teu cão por muito que lhe queiras?
Belíssimo o poema que não conhecia, o que não é de admirar.
Música linda, fiquei até ao fim.

_E se eu fosse puta...Tu lias?_ disse...

Sarava!

O som aprovado! O poema também!

e o cão gostou?


beijinhosssssssss

José disse...

Dizem que as vacas com musica ambiente produzem mais leite....eventualmente, o sting partilhará desta terapia, como calmante das suas diabruras..irei ensaiar também com o meu gato chico..

André Couto disse...

Lindíssimos poemas. Este e o que me deixou.
Obrigado pela visita.

aaron@iol.pt disse...

Deixaste-me mudo! Boa terapia para acalmar a genica dessa bola de pelo!!! ;))))))))))))
Beijinhos nossos
aaron

Bichodeconta disse...

Magnifico poema de um grande poeta.. Ao ler, pensei exactamente o porque de ler o poema ao cão..EU PRÓPRIA , QUE GOSTO DE LER ALTO, VICIO QUE ME FICOU DE HÁ MUITOS ANOS , JÁ MUITAS VEZES TIVE COMO FIEL EXPECTADORA A MINHA CADELA QUE INFELIZMENTE JÁ NÃO ESTÁ ENTRE NÓS..eLA SIM, OUVIA, COM PRAZER, POSSO DIZER..OBRIGADA PELA PARTILHA..UM ABRAÇO, ELL
MAIS UM MOTIVO PARA VOLTAR AQUI MUITAS VEZES..

JúliaML disse...

M Bandeira é o meu poeta brasileiro preferido!

Otília, ´vê lá se resolves o problema do teu email comigo, pois só hoje vieram 3 mails para trás. estou a ficar furiosa :-(

beijo

Vieira Calado disse...

Acho que fez bem.
Muita gente neste país, se se trata de poesia ou outra qualquer coisa de índole cultural, foge a sete pés!
Também prefiro ler poesia para os pássaros ou fazer sermões aos peixes...
Bjs

ALG disse...

Lindo!!!!!
O poema e o facto de leres para o Sting. Percebo perfeitamente e cada vez gosto mais de animais (de quatro patas!).
:-))))))

Vieira Calado disse...

E agora me dei conta...
Conto colocar no meu blog, muito brevemente, mais um meu poema experimental, a ajuntar aos que já postei.

Ana Paula disse...

A sabedoria doa animais... Como podemos saber tudo acerca deles?! Impossível. Mas eles merecem mais do que muitos humanos...

Um beijinho :)

Juliana disse...

Lindo o poema! com certeza seu cão deve ter amado!!! Gosto do Manuel Bandeira também!
Parabéns pelo blog!