quinta-feira, agosto 07, 2008

Ro-do-pio ver-ti-gi-no-so!

Não sei há quanto tempo me enleiam as suas palavras e a forma tão pueril de estar na blogosfera.

Uma forte empatia aproximou-me e quantas vezes me revejo… como neste texto que decidi trazer sem pedir licença. Penso que a
Madalena não se importará…

Ro-do-pio

ver-ti-gi-no-so!

cega a tudo que não fosse aquele rolar. esfacelante. encosta abaixo



Assunta

ao deixar de pensar reergui a cabeça. mais à tona de água

não há descidas infinitas. não há inferno sem paz. por fim.

a planície acolheu-me e os braços dos amigos____ ramadas estendidas

nunca

tinham deixado de estar lá.

sei agora o sítio exacto aonde estão e quantos são.

árvores benditas

a impedir que voltem a fazer-me____transbordar


Madalena Pestana

18 comentários:

Maria de Fátima disse...

revista electrónica em que participo http://www.scribd.com/groups/view/8296-samizdat

© Piedade Araújo Sol disse...

também penso que a Madalena nao se importa, ela escreve muito bem, qualquer tema, seja em prosa ou poesia.

este poema está muito bom e a foto que colocou, também é muito bonita.

beij

luisa amaral disse...

palavras cheias de sentido. escrita sentimental. pura. viva.que reflete estados d'alma.
um imenso prazer vê-la aqui. o bom gosto. actual. antigo. de sempre. da dona desta página.
regresso esperado. ansiado. amado.
luisa amaral - allgarve

Isabel-F. disse...

sem dúvida que o texto está soberbo.

adorei lê-lo.

beijinhos e bom fim de semana e, obrigada pela partilha

Teresa David disse...

Muito bonito sem dúvida o poema.
Bjs
TD

Graça Pires disse...

"Não há descidas infinitas".
Belo este poema de Madalena Pestana, que demonstra uma enorme emoção naquilo que diz e naquilo que cala...
Um beijo MM.

Paula Raposo disse...

Um poema cheio de certezas. Gostei. Beijos.

Madalena disse...

Obrigada, Menina, pela escolha. ainda que seja de um fragmento. ;)

Bjs. BFS

JOSÉ FARIA disse...

És mesmo Marota!
fiquei desamado porque li a correr e estou de saúda.
vou ao monte ao encontro da natureza e de lá te trarei palavras na alma já enriquecida pelos valores da vida.
Já volto.
Até Já!
Faria

Vieira Calado disse...

Um belo poema, sem dúvida!
Obrigado

Bjs

elvira carvalho disse...

Um texto maravilhoso.
Um abraço e bom fim de semana

ZezinhoMota disse...

Os sentimentos estão aqui expressos, refiro-me a quem se expressa desta maneira e que embeleza o livro ou onde esteja escrito.

Parabéns.

Bjnhs

ZezinhoMota

sofialisboa disse...

lindo,conheço.sofialisboa

Sérgio Figueiredo disse...

Sem dúvida um blog de grande interesse. Poesia linda e forte de sentimentos e sentires. Fotos e imagens bem escolhidas e... uma música daquelas que acompanham muito bem uma boa leitura.

Beijinho
sérgio

RESSACA ® disse...

Pedindo antecipadas desculpas pela “invasão” e alguma usurpação de espaço, gostaríamos de deixar o convite para uma visita a este Espaço que irá agitar as águas da Passividade Portuguesa...

Anónimo disse...

Como entendo a escolha deste maravilhoso texto, MM.
E aqui te deixo a minha ramada de abraços
AC

Maria Clarinda disse...

Não imaginas como gostei...e de certeza que a Madalena ficou super feliz!
Um beijo e este para as duas ;)

Saramar disse...

Belíssimo!
O amor, a amizade são como as flores que, apesar da dureza dos penhascos, insistem em nascer, viver, sobreviver.

Beijos