terça-feira, julho 03, 2007

Mistérios da Vida...


Imagem Google


"…és realmente inocente! Não vês que aquele post de suicídio, só pode ser falso? Achas que alguém se suicida, porque o namorado vai casar com outra pessoa? Não viste logo que aquilo era gozo que te estavam a dar? …" (excerto de um email recebido em resposta a um meu pedido de ajuda, sobre um texto de suicídio, em que inicialmente acreditei)

Respirei fundo e pensei, lendo mais uma vez o email, quão "inocente" era quem me escrevia, se assim pensava.

E pela minha mente passaram vários episódios de que já tive, pessoal ou por interposta pessoa, conhecimento…

Aquela jovem vizinha do quarto andar do prédio pegado ao meu, que se atirou da varanda da sala e não morreu na altura, porque o tolde do café do rés-do-chão lhe amparou a queda, mas meses mais tarde, pegou na espingarda do pai e atirou nela, deixando uma família completamente desfeita, porque preferiram aceitar a primeira tentativa, como um acidente?

Ou aquele jovem, meu amigo de adolescência, que os pais exigiam dele que fosse o melhor em tudo e o mais perfeito, que não aguentando a pressão, tomou não sei quantos comprimidos e nunca mais acordou?

E daquela minha Amiga que cansada dos maus tratos do marido, numa manhã de sol, meteu-se ao mar e não voltou. Dizem que morreu afogada…

Ou aquele industrial meu conhecido, que não aguentando o decair dos negócios, se enforcou no elevador do próprio prédio?

Poderia estar aqui a tentar lembrar-me de tantos e tantos casos, que talvez pudessem ser evitados, se alguém lhes tivesse dado o apoio e compreensão devida.

Apesar de muita coisa já ter mudado, falar de suicídio ainda é tabu para muita gente. Falar das tendências suicidas de pessoas que não suportam as pressões da vida ou os desgostos de amor, é sinal de fraqueza.

Não sei se fui "inocente" ao levar a sério e agir de boa fé, perante o texto que li. Agi segundo a minha consciência e, mesmo que fosse "brincadeira de mau gosto", voltaria a fazer o mesmo. O meu sentimento pela Vida é demasiado sério, para o levar a brincar, mas por vezes, a brincar, resolvem-se situações sérias…

Não é a primeira vez que num dos meus blogues alerto para este assunto. No
Eternamente Menina do Sapo, em Dezembro de 2004 tinha dedicado um post a este tema, impressionada que fiquei pelo texto da Joana, uma jovem bloguista de dezoito anos…

Sou uma pessoa de boa fé, não brinco com coisas sérias, mesmo que possa imaginar que, alguém possa brincar com elas…e acredito, que em qualquer momento, quem pensa em suicidar-se fez um pedido de ajuda, mesmo que involuntário.

32 comentários:

wind disse...

Em ti eu acredito.
Beijos

aminhapele disse...

É defacto um texto muito sério.
Sou demasiado "ignorante" para o comentar.
Estranhamente,compreendo os suicidas,embora entenda a vida de uma forma positiva.
Ainda a acabar a minha adolescência,li o MITO DE SÍSIFO de A.Camus(grande novidade ao tempo) e achei o máximo.
Sobre tudo aquela introdução à tese,em que Camus afirma que "....responder à questão de se a vida merece,ou não,ser vivida é responder a uma questão fundamental da filosofia..."
Entendo que,sem desconhecer a realidade,devemos continuar a empurrar o rochedo,com a esperança que ele ficará no alto do monte;que não tornará a rolar por ali abaixo e que nós,cada vez mais enfraquecidos,o iremos continuar a empurrar até que as forças nos faltem.

© Piedade Araújo Sol disse...

MM

Tambem tenho trabalhos que falo sobre o suicidio embora sempre de uma forma meio escondida.

Esse tema daria muito escrever, mas, fizeste o que estava certo pelo menos eu faria a mesma coisa que tu.

O meu poste de hoje de uma maneira figurada também fala de uma certa especie de suicidio.

Beijo para ti, e continua sempre a ser a pessoa que és, não mudes nunca, mesmo que te chamem ingenua.

essência disse...

Agradeço o haver-me dedicado este post.
Como já deve ter percebido, se leu todos os posts do blogue, é sua função chamadas de atenção para certos "red alerts".

A abordagem que se faz foi a que achei mais apropriada. Se é chocante? Talvez!

Tal como a menina marota conheço diversos casos de suicídio. Aquele que está relatado no blogue foi só um deles. Um facto verídico, onde tentei seguir os últimos passos do jovem em questão

Para mais informação esse jovem tinha 26 anos, um blogue na net, e cometeu suicídio a 18 de Maio de 2006. Conhecia-o muito bem!

Pode acreditar ou não, mas existem muitos mais casos como este.
Gente jovem sem amigos, ou por serem "diferentes", ou por incapacidade de comunicação. Os amigos virtuais para eles são fundamentais, pois procuram nessa "falsa" amizade aquilo que não têm na vida real. No amigo virtual falta o tacto, a pele, os olhos nos olhos, a companhia para o cinema, a fala.

O seu comportamento, menina marota foi exemplar, por isso esse seu amigo virtual que já se foi lhe oferece um filme. Assim ele o teria feito!
Eu sei.

essência disse...

Volto ainda para uma chamada de atenção. Está escrito em memória de:
Três nomes estão lá. O do rapaz do shopping era Miguel, ser ou não Cascais Shopping é irrelevante.

Nunca escreveria em memória de se não fosse inteiramente verdadeiro

Verdadeiro!

essência disse...

O filme O Piano é para a sua primeira comentadora. É só aceder ao seu perfil (dela)

Saudações amigas de alguém que há muito estuda a mente humana...

PiresF disse...

Como separar nalguns casos o falso do verdadeiro? Na realidade, a blogosfera está atafulhada de mentiras, o problema é separar o trigo do joio quando, este é semeado de forma a nos enganar.

Daniela Mann disse...

Há gente para tudo e depois, muitas vezes paga o justo pelo pecador!
Beijinhos

Barão da Tróia II disse...

Li, o tal mail, que publicaste, mas não acreditei, um dia com tempo explico porquê. Boa semana

Anónimo disse...

Meu irmão se suicidou à cinco anos. muito triste o que aqui li. Mamãe ainda não recuperou da morte de Gustavo, só nós sabemos a dor que foi perdê-lo e nem ter percebido bem da razão e nem o pudemos ajudar.
beijinos da Vânea

APC disse...

O risco de nos fazerem de parvos não é nada comparado com o risco de alguém se matar. PONTO.
E o teu texto di-lo muito bem!
Pode ser que na maioria dos casos haja um apelo... Manifesto ou latente. Pode ser que noutros não, pelo que, quando o haja, é uma benção.
Aqui abanas as consciências, e bem que elas andam alienadas, de tanta banalidade! A vida, em si, não é banal!

A ti "ofereço" o Templo de Artemis, em honra de Diana, deusa da caça e protectora dos animais selvagens, "consagrando" os teus blogs como "maravilhas" (de humanidade). Primeiramente por há já tanto tempo te investires em dar a conhecer os outros (gente com talento, independentemente da sua fama ou total ausência dela); e depois, pelos teus pequenos gestos que são sempre grandes.

Um beijinho, de quem, apesar de ter descoberto que não está no seu melhor tempo para blogues, não esquece e vai passando, claro! :-)

Peter disse...

Estou a lembrar-me de um caso passado com uma blogger que tomou comprimidos e foi internada. Tentámos (eu tb tentei) desesperadamente que ela não o fizesse.
Felizmente que sobreviveu. Sentimo-nos felizes por isso e ela soube que não se encontava só, que tinha pessoas amigas que se interessavam por ela.

Anónimo disse...

a vida e os seus misterios

valeria disse...

um trxto que revela a ALMA grande que habita em TI!oBRIGADA!

Opintas/Bernardo Kolbl disse...

Vim a correr só deixar um abraço de bom dia.

Joana Vasconcelo e Melo disse...

chamo-me Joana e a minha tia Margarida alertou-me para este texto por me chamar Joana e ter tb 18 anos, como a Joana que falas aqui. Vê lá que ela pensou que pudesse ser eu. Fui ler o texto da Joana no blogue que indicas e fiquei deveras impressionada. arrepiei-me toda, porque eu poderia ter escrito akilo mas não fui eu. Fantastica a preocupação que relatas lá sobre os teus filhos e a forma como dizes que lês tudo o que se passa à tua volta. Os teus filhos devem sentir muito orgulho em ti. Os meus pais não me ligam nenhuma e se não fosse a minha tia Margarida que me apoia e me defende e lhes lembra que tb eles já tiveram 18 anos não tinha ajuda de ninguém. não tenho blogue mas gosto de navegar por aí e esta tua página vai ficar de referencia para mim e mostrar aos meus amigos.
beijinhos da Joana

Joana Vasconcelo e Melo disse...

a musica é fabulosa!!!!!!!!

Isabel-F. disse...

Querida Marota,

QUando me enviaste o mail a alertar-me fui ler o blogue e li tudo ...

fiquei a pensar que tanto podia ser verdade como não ... aí há uns dois anos um bloguista anunciou na net a mesma coisa e fê-lo .. só soube depois ... e fiquei a saber que morava aqui em Azeitão pertinho de mim ... ...

eu por mim, voltarei a fazer o que fiz ... não me arrependo ... tento dentro do que posso ajudar quem precisa e acho que tu o sabes ....

beijinhos ternos

essência disse...

Vestir o sujeito!

Paula Raposo disse...

Existem muitas coisas com as quais não se brinca. Tens toda a razão. Muitos beijos.

A.S. disse...

Fizeste o que devias ter feito e fizeste bem!!! Todos deviam ler este teu texto com atenção e dar-lhe o relevo que ele merece. Infelizmente há quem goste de, levianamente, brincar com coisas sérias, mas em qualquer dos casos eu teria agido da mesma forma!
Conheço-te. És uma pessoa bem formada, com nobres sentimentos, grande carácter, e sobretudo com uma capacidade de entrega muito grande! Por isso estas tuas palavras deverão tocar cada um de nós de forma mais intensa!

Admiro-te muito!


Um grande abraço...

TINTA PERMANENTE disse...

A questão é que a boa fé não é tão extensível assim...
Lamentavelmente!
Abraço.

lena disse...

minha linda menina

faltaram palavras minhas aqui, faltaram porque não as conseguia escrever

a ausência não foi feita de presenças, vir aqui e sentir-te já me dava alento para caminhar

o dia para comentar talvez não tenha sido o ideal…

eu admiro-te muito, tenho um carinho especial por ti, isso já tu sabes e é com lágrimas que escrevo.

talvez não saibas como faz bem no momento certo uma palavra

fizeste o que devias fazer, é isso sim. acredito em ti e faria o mesmo, já não é tabu, é não querer acreditar no que realmente se é capaz de fazer a um determinado momento, não lhe chamem cobardia…

este teu texto é tão valioso que mesmo arrastando palavras, não podia ficar indiferente

o momento existe, acredita que existe e o pedido de ajuda às vezes é despercebido, mas é feito

não consigo falar mais sobre o assunto ou escrever, só consigo repetir muitas vezes que te admiro e muito

obrigada por existires

um abraço meu, muito forte, um abraço amigo, vai com o meu carinho, a minha ternura. neste momento é um desejo grande o de te abraçar

beijo meu menina linda

lena

Teresa Duraes disse...

Um tema tabu, o suicídio. A convenção: se diz que quer se suicidar então é mentira (e não é bem assim).

e tenta e morre tanta gente porque outros recusam-se a pensar...

Manel do Montado disse...

Não te sintas defraudada e arrependida por teres sido humana. A regra deve ser o que tu és e não a excepção.
Não mudes por alguns se aproveitarem da tua humanidade porque assim fazes-lhe a vontade e deixas de ser quem és.
Pega na desolação e no desalento que te causam aqueles que não te compreendendo te usam e transforma-a nessa energia poética e prosaica com que nos presenteias tantas e tantas vezes.
Superarás mais um desalento por a excelência acompanha-te.
Bjinho

http://shakermaker.blogs.sapo.pt disse...

Ora viva!

Agiu em cosciência e agiu bem pois, perante tal, eu faria o mesmo. Até porque quando está em causa a vida das pessoas, nunca é demais intervir. Ou pelo menos tentar, claro está.

Um abraço...
shakermaker

Dias... disse...

Boas

Nada marota a menina, bem pelo contrario, atenciosa e preocupada.

Agiste segundo a tua consciencia, está respondido. Porquê culpabilizares-te pela falta de sensibilidade das gentes?

Ainda agora cheguei e já gostei.

Boa actitude miuda

Beijo

José M. Barbosa disse...

O suicídio é um acto de cobardia.

"Cried for you" ... muito inteligente.

Z.

APC disse...

O suicídio será um acto de desespero!

(o que é diferente, não é?...)

_ _ _ _ _ _ _ _ _


«A Ponte» é um documentário realizado por Eric Steel que aborda a problemática do suicídio, e dos aspectos mais sombrios de vidas desesperadas. O ponto de partida é a famosa ponte Golden Gate de São Francisco, nos Estados Unidos, onde muitas pessoas desesperadas põem fim à sua vida."

(Cruzei-me com isto, numa busca por novos filmes, e trouxe-to).

Irónico, pensar-se que, muitas vezes, do que alguém precisa é de uma "Bridge Over Troubled Waters", da forma como Simon e Garfunkel a cantam.

Outro abraço.

Menina_marota disse...

Apaguei os últimos comentários, que nada tinham com este texto e porque decerto se tratava de uma brincadeira de muito mau gosto, com que eu não pactuo!

Comentários similares, serão igualmente apagados, sem qualquer explicação.

Maria Clarinda disse...

E fizeste muito bem...contigo sofri, tive vontade de ir a correr para o Cascais shopping...mas infelizmente não podia.Nas minhas entrelinhas tentei dizer muita coisa, espero que tenhas apanhado, com a tua sensibilidade única e especial....Sei o que é tudo isso, sei o que é tentar o suicidio, sem o que é viver com esse estigma e medo que a pessoa não "cobardemente" mas num acto de "coragem" depois de tanto ameaçar o faça.
Conta sempre comigo para qualquer situação em que precises de alguém para te ajudar eu...estarei presente!Só hoje pude vir aqui e ler o teu post, não li os comentários que tiveste, vou fazê-lo agora, não queria ser de alguma maneira influênciada...
Jinhos muitos, e obrigada por seres como és!

Maria Clarinda disse...

Vim de novo depois de ler os comentários e ainda mais GRITO: CONTINUA A SER O SER MARAVILHOSO QUE ÉS!!!!!!!!