terça-feira, abril 24, 2007

Estados de alma...


Imagem daqui

Não sei se
os meus olhos
soltam as tuas palavras.

Caminho no meio delas,
acarinho-as docemente,
danço ao som da valsa
que elas me fazem ouvir.

Quero ser
menina eterna
de azul vestida,
como o mar,
de asas de condor
e aprender a voar.

Leio-te...
mas será que te entendo?

Será que vês o interior
da minha alma
que reflecte o meu coração
que te lê, mas não te vê?

Palavras...
que fazem sonhar
ou magoam
como pregos
espetados na
minha forma de amar.

Eis-me,
sensível,
tremente,
solitária
no meio
de tanta gente...

Eis-me,
de olhos abertos,
vendo,
lendo,
querendo...

Eis-me num Mundo
que não criei,
mas onde possuo
aquilo que mais amei.
Eis-me...no teu planeta azul.

in, "Menina Marota Um Desnudar de Alma", 
pá,s  18/19, Papiro Editora

6 comentários:

DE-PROPOSITO disse...

Eis-me...........

Manuel

Cláudio disse...

Bonito.

legivel disse...

Bem gostaria que de facto este planeta fizesse jus ao nome com que foi baptizado. Mas cada vez mais, o homem o vai pintando de outra cor. Mais para o cinzento.

Um abraço e um óptimo fim-de-semana!

sonhadora disse...

Beijinhos embrulhados em abraços

L Dias disse...

Uma fabulosa imagem, um colorido que alegra e atrai e um poema simples mas que diz tudo e como diz o legível pena é que não saibamos respeitar o planeta que nos recebe e continuamaos a destruir.

Vou voltar

LDias

Paula Raposo disse...

Adorei este poema!!