quarta-feira, março 21, 2007

Ode à Primavera

Dia Mundial da Floresta. Dia Mundial da Poesia.


Pintura de Francesco Albani (1617)

A vida anda possessa de Poesia!
Anda prenha de mosto!
Ou é da luz do dia,
Ou é da cor do rosto,
Ou então quer abrir-se, neste gosto
De pão com todo o sal que lhe cabia!

Tem narcisos de amor no coração,
Folhas de acanto nos sentidos!
E carícias na mão
A espreitar dos tendões adormecidos!

Toca-se numa pedra, e ela treme!
Murmura-se uma prece, e a boca grita!
A rabiça do arado é como um leme
Sobre a terra que ondula e ressuscita!

Quem avoluma a sombra, ou quem a teme?
Cada presença é um hino que palpita!
E se na estrada alguém discorda e geme,
Ninguém que vai no sonho o acredita!

Serás tu, Primavera?
Tu, com frutos na rama do futuro,
Com sementes nos pés
E flores inúteis sobre cada muro,
Contentes só da graça que tu és!


Miguel Torga in "Odes" ", 1946
"Poesia Completa", 2000

22 comentários:

Alves Bento Belisário disse...

"Sonhas um livro de infância
Que te não é dado ler:
---------------------------"

bjinhos

Ana Sobral disse...

Sabes como a Primavera é importante para mim e como neste dia renasço mais uma vez, em muitas vezes que já passaram.
Vim deixar-te um grande beijo e agradecer-te a AMIZADE SINCERA que me dedicas e que do fundo do meu coração te retribuo.
FELIZ PRIMAVERA
Bjinhos da Anita

Ana Sobral disse...

ahhhhh esquecia-me de te dizer como amo este poema do Torga!!
E aquele livro que me ofereceste há anos atrás? Dele? Ontem lembrei-me e fui lê-lo e vinha aqui e deparo-me com este poema. Amei!!!
Bjos no teu coração lindo!!!
O FA está aqui ao meu lado a mandar-te beijinhos!!!!

alice disse...

bom dia, poesia ;) beijinho muito especial para a menina marota. um poema belíssimo que celebra bem a data de hoje. um grande abraço *

linfoma_a-escrota disse...

UTOPIA DE PUNHO ERGUIDO

Não suporto mais este aperto
que lentamente vai tomando conta,
vai degolando tudo o que me é mais querido.
Qual astronauta petrificado em óleo de rosas,
qual sereia errante idealizada em vaselina.
O meu poder desvaneia-se, a minha graça perde-se,
as ilusões precedem-se,
a morte vai anseando,
Os abutres rezando
e tu chorando sob injustas convulsões,
sozinha…
Pescando e sussurando, impérios caem e
lágrimas constrangedoras lá vão suspirando,
em doce, sereno vazio…
Rituais negros, regozijo da vitória, ética para tolos,
serei eu, sempre!
A minha sofridão é o meu legado,
as minhas obras a prova e o testamento
de que cá estive, critiquei, gostei e voltarei sempre…
Isto antes que o espelho se comece a enganar,
os músculos a contradizer,
a imagem a desaparecer
e a mente a cuspir o seu eterno sangue de revolta
de quem nunca está completo, mas sempre grato!
Desprezo influências, apesar de inevitáveis,
odeio maiorias porque nunca estão correctas.
Vou comer maçãs podres,
tragar feijoada à Alentejana antes do banho,
secar com o secador o cabelo na banheira
e masturbar-me em público;
nem que seja apenas para irritar, desafiar,
quebrar estereotipos, matar os preconceitos.
Loucos? Porque não? Todos os génios o são!
Milhões de joelhos vão lambendo as migalhas do intragável,
eu, rastejando, vou buscando musas incontestáveis.
Mostra-te, não tenhas medo, o mundo é mesmo assim,
tens que criar algo para teres medo do perder...

2001
IN S&m
SEM-NOME & MAL-DITO

WWW.MOTORATASDEMARTE.BLOGSPOT.COM

Maria Clarinda disse...

Não poderia haver momento mais lindo para o Renascer do que este teu post. Obrigada...a musica divinal como sempre, super bem escolhida para a ocasião.
Jinhos

Manel do Montado disse...

Passei...edeixo-te um beijo pelo dia de hoje e porque também tu és poetisa.

Sulçista disse...

AI que musica tão bonita
e positiva!! :-D

Beijinho GRande amiga ;-)

azurara disse...

Olá Marota
Hoje consegui arranjar um tempito para aqui vir.
... e logo dei com este Vivaldi...
Um gosto refinado, como sempre!

O Montanheiro disse...

Doce Menina...

Miguel Torga é um dos meus preferidos. Excelente poema que homenagea este dia especial da poesia.

Todos os POETAS estão de parabéns!!!

Como sempre, tens fino gosto pela música. Obrigado pela tua escolha.

Não sei se algum dia poderei competir contigo... (já esteve mais longe!)

Um beijo, também especial, para ti

Deste amigo VR

O Micróbio II disse...

4 anitos... lá pelo Micróbio! :-)

Spiritus Lupus disse...

Como na poesia..

Tem marcisos de amor no coração
Folhas de acanto nos sentidos
E carícias na mão...

bjits

Constatinne Correia disse...

Um poema belíssimo! Cá estive, gostei e voltarei sempre.
A música está além da sensibilidade.

Abraços!

Constantinne.

António Melenas disse...

Que bela homenaghem à Primavera que onte (no calendário) fez a sua aparição.
aaaaque autor melhor que Torga, que até tem nome de flor sikvestre para celebrar o reanscer da vida a´pos os rigores do Invwerno. Só faltam mesmo uns faunas a tocar flauta de Pan, mas o teu Viovaldi preenche muito bem essa lacuna.
Obrigado po nos teres trazido este poema
beijos

isabel mendes ferreira disse...

boa noite Primavera....


Obrigada.....



beijo.

musqueteira disse...

viva menina marota...obrigado pelas suas palavras;) viva a poesia!

Teresa Durães disse...

só um breve olá para dizer que o Chip foi hoje encontrado em São João da Talha. Faltam as duas cadelas.

boa noite

canela_e_jasmim disse...

Beijinho de saudade. Tenho andado perdida ... voltei para me reencontrar aqui.
Beijinhos

lena disse...

doce menina, este poema lembrou muito bem o dia, foi uma escolha excelente

um grito à Primavera !

um grito a Poesia


obrigada, menina


um abraço meu cheio de carinho

beijos para ti

lena

vero disse...

Olá Menina,
muito obrigada por tão simpáticas palavras!
Sim, posso enviar o livro à cobrança. É só enviar-me então a sua morada por mail!
Beijinhos***

Delfim Peixoto disse...

Como sempre, a escolha perfeita
jnhs

Anónimo disse...

É sempre com deleite que leio algo de Miguel Torga, com quem me sinto identificada, embora a qualidade, quem ma dera, obviamente!!!
A terra,(o campo) por quem sou apaixonada, era também sua paixão
e sei que tal como nele, é de Amor e de Terra o sangue que me corre nas veias, por isso tanto o amo!
Obrigada por partilhares este poema tão especial e tão a propósito.

Beijosss

Maria Mamede