sábado, dezembro 16, 2006

O Natal...

...na minha infância e juventude foi para mim momento de grandes alegrias.
Era a altura de rever familiares, que pelos seus afazeres profissionais, não via durante o resto do ano.
Com o tempo, muitos desses familiares foram desaparecendo: Avós, Pais e muitos dos meus Tios mais velhos, por quem tinha uma afinidade imensa.
Ao vaguear por este "mundo" imenso que é a blogosfera, o sentimento de perda que acalento, veio ao de cima ao ler este texto, que aqui quero partilhar, nesta época natalícia…

Querido Filho.



-No dia em que esteja velho e já não seja eu, tem paciência e tenta entender-me.
-Quando, todos comem e eu não conseguir; quando não puder vestir-me: tem paciência. Recorda as horas que passei a ensinar-te.
-Se, quando falar contigo, repetir as mesmas coisas mil e uma vez, não me interrompas e escuta-me.
-Quando eras pequeno, na hora de dormir, eu tinha de te explicar mil vezes o mesmo conto repetidamente até teres sono.
-Não me envergonhes quando não quiser tomar banho, nem me ralhes. Recorda quando tinha de andar atrás de ti e as mil escusas que inventavas para não tomares banho.
-Quando vires a minha ignorância diante das novas tecnologias, e te pedir que me dês todo o tempo necessário, não me irrites com o teu sorriso amarelo.
-Eu ensinei-te a fazer tantas coisas... Comer bem, vestir-te... e como enfrentar a vida.
-Muitas coisas são produto do esforço e perseverança dos dois.
-Quando em algum momento perder a memória ou o fio à nossa conversa, dá-me o tempo necessário para me recordar. E se não puder fazê-lo não te enerves, seguramente o mais importante não era a minha conversa: a única coisa que queria era estar contigo e que me ouvisses.
-Se alguma vez não quiser comer, não me obrigues. Sabes bem quando necessito e quando não.
-Quando os meus membros cansados não me deixarem caminhar...dá-me a tua mão amiga da mesma maneira que eu ta dei, quando tu começavas a dar os teus primeiros passos.
-E quando algum dia te disser que já não quero viver, que quero morrer, não te enfades. Um dia entenderás que isso não tem nada a ver contigo, nem com o teu amor, nem com o meu.
-Tenta entender que na minha idade já não é viver mas sobreviver.
-Um dia descobrirás que, apesar dos meus erros, sempre desejei o melhor para ti e sempre tentei preparar o caminho que tu havias de fazer.
-Não te deves sentir triste, enfadado ou impotente por me veres desta maneira. Fica ao meu lado, tenta entender-me e ajuda-me como eu te fiz quando tu estavas a começar a viver.
-Agora, toca-te a ti acompanhar-me no meu frouxo caminhar. Ajuda-me a acabar o meu caminho, com amor e paciência. Eu te pagarei com um sorriso e com imenso amor que sempre tive por ti.
Amo-te, filho.
O teu pai, a tua mãe, os teus avós...

«In memoriam». Todos recordam os pais e os avós de toda a gente.

(Texto e imagem de
Ceolino)



FELIZ NATAL

42 comentários:

VERBERANDO disse...

Um texto carregado de sentimentalidade. Mas dessas sentimentalidades que nos faz bem. Que nos faz parar para pensar por um minuto. Que nos faz lembrar dos nossos antepassados. Enfim...
Um texto apropriado para o período em que estamos vivendo: o Natal. O tempo do Natal é o tempo do tempo... de todos os tempos... O meu, o teu, o nosso... e o deles. Sim, deles, pois, mesmo não estando aqui em corpo, ao que nos parece, estão na alma do tempo e no tempo da alma.
Aproveito a oportunidade para desejar para si e para todos que fazem parte dessa partilha, assim como de todas as outras. UM LINDÍSSIMO E FELICÍSSIMO NATAL.
Que assim o seja para sempre.

Carinhosamente

João Batista do Lago
O

Ana Sobral disse...

Puseste-me a chorar Menina, que de marota nada têm. Minha Mamã sofre da doença de Alzheimer e este texto tocou-me muito! Um belo coração tu tens para te lembrares assim de partilhar coisas tão profundas!!

Que o teu Natal seja profundamente belo e em Paz com o Mundo.

Beijos mil nesse teu coração de oiro.

Ana Sobral de Vasconcelos

Anónimo disse...

Querida Otília
Ainda ia a meio do texto que aqui postaste, hoje, e já as lágrimas me vinham, teimosamente, aos olhos. Nem sei bem porquê. Já não tenho os meus Avós, é certo, mas ainda tenho os meu Pais, já nos 80 e tal, mas com saúde e, parece-me, com boa disposição e vontade de viver.
É importante haver um grande espírito de entre-ajuda e compreensão entre as várias gerações, não podemos duvidar disso, muito menos pôr em causa.
E então nesta quadra do ano, estes sentimentos de amor e solidariedade como que vêm ao de cima, mesmo sabendo nós que durante a maor parte do resto do ano, muitos de nós andamos distraidíssimos, esquecemo-nos que os mais idosos ou doentes haviam de apreciar a nossa ajuda. E esquecemo-nos também que a nossa vez de ficarmos dependentes dos nossos semelhantes vai chegar, inapelavelmente!...
BOM NATAL para todos.

António

VERBERANDO disse...

Esta Mulher

(João Batista do Lago

Vejo hoje esta mulher
(ou seria apenas uma semimulher?)
de tantas lutas, de tanta força
consumida e consumindo-se nos dias do dia-a-dia

vê-se nela
a ausência
da carente
alegria
não-presente!

O tempo maldito no espaço da vida
- há tempo – que lha toma o tempo sem pena de morrê-la...

Cadê os brilhos dos seus olhos?
Para onde foi sua juventude?
E aquela garra que só ela dispunha?
E a palavra forte
(mas justa)
da hora do castigo?
Onde está o beijo da noite que me acomodava na rede em balanço?:

Boi... boi... boi...
boi da cara preta
pega esta criança
que tem medo
de careta.

Lembro daquela mulher ainda orgulhosa
dos seus feitos diários:
ao amanhecer o serviço do café
durante a manhã a tarefa leva à casa limpa,
ao fogão e ao almoço das 13 horas
quando a presença do marido já se fazia presente.

A sesta era curta
e logo ela tornava ao trabalho ainda hoje
não remunerado... não reconhecido;
muitas vezes criticado
(e quantas e tantas vezes criticado!)
mais fogão, tanque de lavar, ferro de passar e o “banho das crianças”...

Assim era aquela mulher que hoje vejo
semiprostrada
sentada à cama
mendigando uma mão
para levantar-se
já sem forças
e combalida
esperando a morte chegar
como sina desta triste vida
que não lha deu oportunidade
que não fora a da procriação

Esta mulher hoje chama atenção pela sua contrição não devida
mas, e ainda assim, por vezes, tomo-a pedindo perdão com um terço à mão:
“onde foi que eu errei?”...
reza por mim e por meus irmãos
pelo Pedro não-presente
(quanta e tanta falta deste ausente!)
percebo no seu balbuciar silente
nas noites que se findam em cada si morrer
a necessidade do amor carente
que se eternizou
virou mito e
transmutou-se em fetiche
sem a consciência do amuleto

E nada posso fazer nesta minha impotência!

Sinto que cada dia do dia-a-dia de d. Júlia
é o pouco do muito que me resta
e por mais paradoxal que pareça
tenho que fazer disto uma festa
um estudo de caso
um laboratório
um consultório para minha loucura
um hospício para a minha cura
no fazer da brochura
apenas um poema de saudades antecipadas.

amita disse...

A imensidão desta escrita embargou-me as palavras...

Um alegre Natal com muito amor e Paz.
Um bjinho grande, amiga e tudo de bom para ti

Um Poema disse...

Obrigado pela partilha. O texto, creio, dispensa comentários.
Desejo-te um Natal cheio de graças.
Um abraço

Mendes Ferreira disse...

magnifico texto!!!!!!!!!!!!!!



_____________________


(obrigada...Menina....desejo o mesmo.........com toda a ternura)


beijos.

Histórias de Crianças disse...

Lindo! Lindo! Lindo!

Anónimo disse...

A única coisa que vai mantendo o Natal vivo, para mim, de alguma forma, é o facto de os meus pais ainda se encontrarem vivos e de relativa saúde, bem como a existência do meu afilhado, de 3 anos. Pensando bem, já não é nada pouco! Beijo!

DIAFRAGMA disse...

Vim só agradecer o teu comentário, e desejar-te também um bom Natal e Ano Novo

Mitsou disse...

Que linda mensagem de Natal, Menina!

A ternura de sempre e a serenidade do teu sorriso.

Um beijinho muito doce e votos de Feliz Natal, querida amiga.

FOTOESCRITA disse...

Venho agradecer as palavras deixadas no Fotoescrita. Belo este texto.
E deixo os meus desejos de um Natal de um 2007 muito felizes.
M

Anónimo disse...

Passei por cá ler-te. É sempre com gosto que o faço.

Umas boas festas para ti.

Beijinhos e fica bem

lena disse...

excelente texto menina linda

um texto que me deixou os olhos marejados de lágrimas

abraço-te com muita ternura e deixo-te um beijo meu

lena

Anónimo disse...

Não tenho palavras para comentar este texto emocionante.

Obrigada pela partilha, menina-marota.

Vou partilhá-lo com os meus quatro filhos, se tal me é permitido. Sendo que (evidentemente) lhes direi o Url do blog de quem o escreveu.

Para ti, um beijinho,e tudo de bom.

pb disse...

que texto lindo, Menina, que recordações me fizeste aflorar à memória. Um beijinho grande para ti e que o teu Natal, seja cheio de paz, e Amor

Anónimo disse...

Tocante este teu texto. E arrepiante ao mesmo tempo. Quantas vezes eu penso na possibilidade de poder vir a ser um fardo inutil para alguem. Só que tu falas dese receio com tanta delicadeza que me deixou emocionado
bjos

batista filho disse...

Amiga querida, que belo presente recebi nessa minha vinda até aqui! Grato, de coração!
Um beijo. Feliz Natal!

meialua disse...

Já conhecia o texto, ele realmente fala-nos ao coração...

Cheiro de azevinhos, doces, alegria; musica, risos no ar; ternura no Coração! Que o teu Natal tenha isto e muito mais. Feliz Natal e um beijo com muito carinho*

Anónimo disse...

Uma bonita mensagem para ser recordada todos os dias, boa semana.

as velas ardem ate ao fim disse...

Sublime.

bjinho grande.

Anónimo disse...

é sempre tão bom ler as tuas palavras, aproveito para te desejar umas festas felizes voltarei em 2007 até breve sofia

maresia_mar disse...

Olá minha amiga,
um texto belissimo e muito emotivo, confesso que me deixaste a pensar!!

Aproveito para desejar que este ano o Natal aconteça no teu coração. Feliz Natal.
Entre o Natal e o Ano Novo vou ter umas mini férias por isso desejo que 2007 te traga amor, harmonia e muitos sorrisos. Beijos

delfim peixoto disse...

'´`,.... lindo!
Bom Natal, Madrinha!

Peter disse...

Quando somos mais novos, o Natal é um prazer. Todos vivos, todos reunidos ...
Depois, depois, é menos um ano de vida e os Natais sucedem-se a um ritmo alucinante.
É um relembrar dos desaparecidos, um desfazer de famílias ...

Quanto ao texto e no que me diz respeito, "words, words and more words".

BOAS FESTAS

Adryka disse...

Querida amiga, esta é uma altura tão má para ler posts destes, mas li e chorei ...Muito ora mas que altura mais triste para mim que é esta. >Beijinhos querida amiga e bom Natal

Anónimo disse...

Querida amiga...
Aproveito hoje para deixar os votos de um Feliz Natal e um Ano Novo cheio de Paz e Prosperidade!
Beijos, flores e muitos sorrisos... sempre!

A Rapariga disse...

Bom Natal, menina.

Lindo texto.

Beijos

amadis / pintoribeiro disse...

( Muito Bonito ). Abraço,

PiresF disse...

Que os nossos velhos tenham sempre essa mão para os guiar.

Um feliz Natal também para ti.

Abraço.

Anónimo disse...

Já por alguma vezes retribuí a tu visita ao meu espaço mas apena agora deixo aqui umas palavras, que ultimamente têm escasseado!

Mesmo na infância houve uma certa divisão nos meus Natais, nunca vividos com tanta família, daí não poder partilhar o sentimento.

Agradeço a tua visita d retribuo o abraço deixado. Bom Natal.

Anónimo disse...

Feliz Natal e um Ano de 2007 cheio de coisas maravilhosas para ti e para os teus.


Beijinhos
Joana (Cabeça na Lua)

Luís Sirgado disse...

Adorei o texto, mostra-nos claramente o que deve ser o espirito de natal. beijinho e Feliz Natal!!!

Cristina disse...

............♥
...........***
..........*****
.........*Feliz*
........*********
......************
.....******Natal****
....****************
...******************
..********************
..........****
..........****
..........****

Um feliz Natal para ti, e para todos que te são queridos,
Um beijinhu sincero :) :)

psi2 disse...

Feliz Natal!.....

Sulista disse...

Boas Festas Amiga 'Marota' :-D

Obrigada lá pelos apoios!

...a gente vai-se falando ;-)

{{coral}} disse...

Olá Menina Marota,

... todos nós vamos perdendo ao longo do tempo... a vivência desta época leva-nos à nostalgia...
Desejo-te um Santo Natal, e que 2007 seja cheio de luz.

Um beijo
{{coral}}

augustoM disse...

Boas Festas.
Um beijo. Augusto

José disse...

Obrigado pela tua presença,embora nem sempre retribuída, mantenho os blogs mas ando como sempre numa roda vida. Bom Natal e Bom Ano de 2007. beijinhos

Anónimo disse...

Um abraço para ti, com o calor do Fogo de Natal

Isa&Luis disse...

Olá minha querida,

Comovente e realista texto.

FELIZ NATAL!

Muitos beijinhos para ti doce amiga

Isa

DORA ISABEL disse...

AMIGA:

ADOREI ESTE TEXTO...E ADORAVA QUE MO ENVIASSES...PARA EU SEMPRE O PODER RECORDAR!!

POR FAVOR:doraisabel23@hotmail.com

GOSTAVA DE O PODER MOSTRAR A MUITAS PESSOAS QUE NÃO DÃO O VALOR QUE EU DOU, AO CONCEITO FAMILIA!!

OBRIGADO POR EXISTIRES...E SERES COMO ÉS!!

BJOKINHAS!!