sexta-feira, dezembro 08, 2006

Falar de mim

Nunca falas de ti, dizia-me alguém um dia destes, a propósito de um comentário que deixara na sua página.
Sorri. Tinha lido a mesma frase, momentos antes… “nada sei de ti” e "na minha página está toda a minha biografia"...
A Rita, a minha pequenina yorkshire-terrier mas já com oito anitos, coloca-se à frente do visor e olha-me meigamente. Este é o seu local preferido; deitada na secretária, mesmo à frente do ecrã, de olhos postos em mim.
Encosto-me para trás e enquanto os meus dedos afagam a Rita (um dia contarei a sua história) penso naquilo que tenho escrito ao longo deste ano, numa página que é quase um diário íntimo. Sim, porque eu estou aqui de corpo e alma, uma mulher que cresceu, que amadureceu, mas não deixou morrer em si, a alma de menina marota que sempre teve.
Mas não se iludam.
O marota não é naquele sentido, que muitos ajuízam “per se” e que por vezes leva a que reajam negativamente e maldosamente àquilo que escrevo.
Acredito no amor. Na beleza do amor. Em todas as suas variantes. Sempre gostei em menina, de ler estórias de amor. Mas muitas delas acabavam em dor e sempre desejei que comigo fosse diferente. Nunca ninguém me avisou, que o Amor poderia magoar e desiludir imenso, mas isso não retirou de mim, a vontade de continuar a ser a menina marota, a quem o meu Avô, chamava carinhosamente de “passarinho saltitante”, porque sempre fora uma criança cheia de energia, nunca parava quieta, aos saltinhos por todo o lado; era bastante feminina, segundo diziam, mas com a dose certa de rebeldia, nunca negando um desafio que me lançassem.
Naquele dia, de férias em casa de meu Avô, enquanto os meus Pais em afazeres profissionais se tinham ausentado, sentia-me livre como um passarinho, percorrendo aqueles campos com as minhas duas melhores amigas.
Perto de casa corria um ribeiro que nos era proibido atravessar, pelo perigo que poderia ser, quando ia cheio, como naquela altura do ano.
Do outro lado, um grupo de miúdos, desafiava-nos para atravessar o local.
Alguns pedregulhos no ribeiro, tornava a travessia possível, mas só os adultos a faziam.
Perante as nossas negativas, os miúdos começaram a chamar-nos “mariquinhas” e todo aquele rol de palavras tão comum na rapaziada.
O orgulho feminino começou a crescer em mim e mesmo perante os pedidos das minhas amigas para que o não fizesse, decidi-me a atravessar o ribeiro.
Descalcei-me e em meias preparei-me para atravessar, apanhando um varapau que por lá vi caído, para apoio e não só…
Não foi fácil a travessia, até porque os pedregulhos eram escorregadios, mas por entre os gritos de pavor das minhas amigas e dos de desafio dos rapazes, lá me aguentei, não querendo que o meu orgulho fosse por água abaixo.
E não é que consegui atravessar?
Ah meus amigos e com que prazer corri atrás dos moçoilos, para os desancar pelas palavras feias e “ofensivas” que nos tinham chamado. A nossa honra foi defendida: afinal não éramos nenhumas “mariquinhas”…
Claro que os miúdos desandaram logo e eu vi-me com o problema do regresso, que foi conseguido gloriosamente.
No final, as meias estavam tão sujas e molhadas que as descalcei, acabando por ir para casa descalça, de sapatos na mão, mas de sorriso vitorioso nos lábios…

Imagem de Pierside Gallery


Hoje recordei este momento…
Os desafios da Vida… quantos já não foram ultrapassados?
Um beijo e bom feriado…

51 comentários:

Anónimo disse...

Lindo!
A minha curiosidade está quase satisfeita.
lg

{{coral}} disse...

Olá Menina Marota,

Hoje o baú foi aberto...desvendas um pouco de ti, lembrar as nossas traquinices de miudagem sabe tão bem... até vêm sorrisos aos lábios...lembrando as "maldades" que praticavamos...
Por vezes dizem-me o mesmo...nunca falas de ti "porque escondes a vida???" não se trata de esconder... porque quem ler atentamente os nossos "cantinhos" sabe ler a nossa alma, tão descoberta, nos pequenos detalhes que deixamos!...
Hoje, neste feriado, fizeste-me um favor... sorrir às memórias.

Deixo-te um beijo grande
{{coral}}

Heloisa B.P disse...

COMO E' POSSIVEL, QUE ALGUEM INTERPRETE MAL O QUE ESCREVE???...
Se e' tao claro e sempre tao BELO!!!
..................
Eu, Minha Amiga e' que ando de palavras pesando CHUMBO! perdoe, por isso, minha "ausencia"_SO' APARENTE AUSENCIA_ visto que Sua Presenca AMIGA* esta' no meu coracao!

UM BOM FERIADO!
ABBRACO MUITO AMIGO E...GRATO!

Heloisa
**********
(Hoje, e' um dia de muito significado para mim e, AMANHA, ainda mais!)
**********************************

Jofre Alves disse...

Passei para apreciar e desejar bom fim-de-semana, e depois de ver este agradável blogue cheio de qualidade e interesse, vou daqui saciado. Até breve.

Amaral disse...

Desafios da vida, ultrapassados nas recordações de criança...
Momentos que a memória vai mantendo vivos, para que, em qualquer altura, possam despertar a criança que há em nós...
Afinal, ao partilhares estas recordações estás... simplesmente... a falar de ti!

Velutha disse...

Gostei muito. Podes contar mais, tal como este recheado de um intenso afecto.Esta escrita está recheada de vida.
Beijo

Thunder disse...

Bom feriado!Conte mais das suas aventuras de infância.Eu também já fui uma menina marota.Aliás, continuo a ser.Bjs

Joe Nunes disse...

Um momento de ternura deliciosa!!
Gosto muito mais quando entro aqui e leio as tuas palavras. Faz mais sentido, Marota!
Cpmtos do J. N.

Wakewinha disse...

Minha querida afilhada,

Penso que não terias conseguido de forma mais nobre pôr em palavras a dualidade com que se depara quem visita a tua página! O título sugere realmente uma leitura controversa, mas a sensibilidade desenrolada a cada expressão escrita demonstra que por detrás do azul do blog está alguém de uma profunda sinceridade e sensibilidade!

Gostei da descrição da travessia do riacho, e especialmente de saber que somos idênticas na forma como encaramos provocações: vamos à luta para mostrar do que somos capazes!

Tenho gostado muito do que por aqui sempre li, mas hoje gostei mais um bocadinho! =)

Um beijinho enorme pra ti*

Ana Sobral disse...

Escolhes sempre umas musikas fabulosas!! Amei o texto!!! Muito mesmo!! está escrito de uma forma tão doce, tão sincera que me comoveu!! Amei mesmo. Parabéns!!

Beijocassss da Anita :-)))))

Zb disse...

passei por aqui para agradecer a tua visita, gostei do blog, é bonito e bom de ler, parabéns.
bom fim de semana
bjs

Anónimo disse...

Olá minha "marota"
Que bonita memória aqui deixaste!
Todos nós (penso eu) as temos, de uma forma ou de outra.
Também eu as tenho, e justamente, das férias passadas em casa dos meus avós, no campo, após um mês de praia.
Até já escrevei sobre isso , há muito tempo, no Shoshana
A propósito, agora só muito raramente lá escrevo.
Criei o ORION que está nos links do Sho.
Beijinhos, e bom resto de fim de semana.

Josefa Pacheca Pereira disse...

É sempre um praZer visitar o seu blogue.

Bjocas e um bom fim de semana.

Passeando no Parque disse...

Delicioso!! Delicioso de ler!! Que ternurento este texto!!
Abraço em vc

Anónimo disse...

No mistério do sem-fim
equilibra-se um planeta.

E, no planeta, um jardim,
e, no jardim, um canteiro;
no canteiro uma violeta,
e, sobre ela, o dia inteiro,

entre o planeta e o sem-fim,
a asa de uma borboleta

Cecilia Meireles

os desafios alimentam a nossa alma

bjs e um sorriso

Su disse...

gostei de ler.te
gostei deste teu momento menina:)

jocas maradas de tempo.

http://shakermaker.blogs.sapo.pt disse...

Ora viva!

Foi bom saber um pouco mais de si. Pelo menos, o suficiente.
Igualmente, bom fim de semana.

Um abraço...
shakermaker

Isabel-F. disse...

Adorei esta tua partilha ... não te conhecendo (ainda ... pois faço questão que um dia isso possa acontecer)... pessoalmente ... sempre achei que és a menina marota que descreves e comod escreves ...

Beijo grande

Anónimo disse...

Menina marota, menina inteligente, menina doce, menina boa de se ler.
Gostei do teu blog de menina/mulher.
Volto.
Beijos de outra mulher pouco ajuízada...;)

pb disse...

memórias doces de infância, parece que te estou a ver a atravessar o riacho, saltitando de pedra em pedra. Curiosamente tambem postei sobre memórias de infância, mas as minhas mais calmas e sossegadas. Beijinho grande, Mulher/Menina Marota

Anónimo disse...

Olá! Acho que nunca tinha estado aqui, neste blog. Se já tivesse passado por aqui, de certeza não teria me esquecido. Gostei do texto. Adorei a música (dizes-me de quem é, por favor?). E amei encontrar alguém que gosta de, precisa de, e acredita em, AMOR. Como eu. Porque sinto-me muitas vezes errada e sózinha.

Um beijo.
Voltarei sempre.

Bic Laranja disse...

Formidável. Que ribeira era essa?
Cumpts.

Anónimo disse...

Vim deixar beijos e abraços , só isso .
hugs and kisses from annie hall and athilla

Anónimo disse...

............♥
...........***
..........*****
.........*Bom*
........***Fim***
......*****De*****
.....***Semana***
....****************
...******************
..********************
..........****
..........****
..........****
....(`“•.¸ ¸.•“´)
.....♥ Nadir ♥ .
....(¸.•“´ `“•.¸)

Anónimo disse...

Oi Menina um grd beijinho prati ;***

Antonio Melenas disse...

Olá, Menina
Como sabes, é sobretudo nas memporias da infacia que re espaiam as minhas recordações. Tmbem hoje mergulhaste na tua e com que frecura o fizeste! a mesma que poõe nos teus poemas. Gostei
Bjs.

António Melenas disse...

O comentário acima ficou uma vergonha. è meu timbre repeti-lo:
Olá, Menina
Como sabes, é sobretudo nas memórias da infância que se espraiam as minhas recordações. Também hoje mergulhaste na tua meninice e com que frescura o fizeste! a mesma, aliás, que pões nos teus poemas. Gostei
Bjs.

Anónimo disse...

quando mostramos imagens da nossa vida a outros, estamos a estrear um filme da produtora Vida Real, e a candidatarmo-nos a vários "Oscar"! Dou-te o meu já! Gostei! Bom domingo bj c.

http://podiamsermais.weblog.com.pt/
http://peresfeio.multiply.com/

amadis / pintoribeiro disse...

Bom domingo, abraço,

Anónimo disse...

Desculpa a resposta tardia - não é com muita assiduidade que vou aquela caixa de correio e quando o tempo não chega é sempre ela a sacrificada, desculpa também a não comentar o teu blog, mas em 2 noites dormi 3-4 horas devido a ser voluntário da Protecção Civil e ter estado de prevenção na Caparica.
Prometo voltar depois de descançar.
Fica Bem!

Lumife disse...

Uma aventura coroada de êxito. É tão bom recordar momentos da nossa meninice...

Beijos

titas disse...

e outros rios atravessarás, minha Menina. Mesmo quando a bruma tapa a outra margem.

Um beijo

Afrodite disse...

Porque, na outra margem, o arco-íris espera por ti.

um beijo

Paula Raposo disse...

Tanto desafio ultrapassado, é bem verdade!! Adorei ler-te. Beijos.

Anónimo disse...

Tás feita, Menina/Miuda, entraste na era das recordações ... a idadezita ...

A maresia ensopou-te ...

Precisas de ver outros amanheceres, sem cheiro a mar ... com mais frio e ... com muito mais calor ...

MARIA VALADAS disse...

Que lindo texto...
A recordação de um episódio da tua infância que li ávidamente ....e
perdi-me nos sonhos da nostalgia!

Uma boa semana para ti...Menina-Marota!!

Bejosss....
Maria

Teresa David disse...

Belo texto onde contas de ti a parte bela do crescimento na vida.
Bjs
TD

Passo disse...

hehe epa fazes-me lembrar a mnh zingarelha q tb é mts de voluntariosa, teimosa e irrekieta como o diaxo :s tem dias q a apanho a ecalar o muro q da p os meus vizinhos p ir brincar com os meninos do lado .. ela tem 4 anos e tudo serve pa escalada, a bicicleta, os escorrega, o balancé, as coisas q eu ja desencostei dakele muro esempre q isso acontece la vou eu dar uma maozinha p ela passar po outro lado :) Bjs

Sulista disse...

Ai Amiga muito gostei de ler esta tua travessia da Vida :-D
Linda!

..e tens razão claro, os desafios só acabam qd nos vamos. Até lá, luta-se sempre!

Quanto à 'Marota', só gente que não presta é que não sabe dar valôr à tua 'Marotice'! A esses, manda-os passear!!! ;-)

Grande Beijinho
Bom início de semana :-D

Teresa Calcao disse...

Nao e a fugir das situacoes que se resolvem os problemas,mas a enfrenta-los.....Boa licao de vida!
Obrigada pela visita.
Beijinhos,

Anónimo disse...

é lindo poder saber de ti... :o)
beijos e muitos sorrisos para uma semana bem feliz!

VERBERANDO disse...

Nada existe de mais significativo para um poeta, para um escritor, para um artista, saber que sua obra repercutiu em algum lugar - qualquer que o seja -, que atingiu a alma de uma outra pessoa, de um outro poeta, que transcendeu ao seu espaço específico, enfim... que atemporalizou-se e materializou-se na eternidade do universo.
Estas palavras foram motivadas pela querida Menina Marota (Otília Martel), de Portugal, que em verdadeiro "cio poético" deu à luz dos nossos olhos, pensamentos e sentimentos, um poema onde a marca da sua alma é imanente.
Vejam por seus olhos, sentimentos, os raios de luz que brilham - também por aqui - desta nossa Menina Marota.
http://batistadolago.blogspot.com/

Um fraternal abraço a todos.

João Batista do Lago

VERBERANDO disse...

Especificamente sobre este FALAR DE MIM...

Tua lírica é encantante...
Tua palavra é encantada...
Tua poesia encantadora.

João Batista do Lago

Eric Blair disse...

De meias na mom é que é bom!

Anónimo disse...

Oh, valha-me Deus...
Menina...
Estive aqui um ror de tempo a escrever e nada... tenho de escrever de novo.
Dizia eu que também já fui menina, fiz travessias temerárias e voltei para casa de sapatos na mão, mas que não tenho saudades, embora compreenda as tuas.
E que, com a idade, já só tenho saudades do futuro...
Também dizia que, por vezes, me pergunto se a minha quase crónica falta de disponibilidade não poderia confundir-se com egoísmo...
E prometo tentar ser mais disponível.
Um beijo.

asn disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
asn disse...

Ora então boa noite. Parece que já venho um tanto atrasado relativamente à retribuição dos desejos de bom fim de semana e daquele ""good night" very Christmas season".
É este o carisma do blogue. Quase sem darmos por isso abrimos a nossa alma, um bocadinho aqui, outo bocadinho mais à frente e eis senão quando o Diário íntimo já não terá fecho que resista a uma cuscadela de vez em quando.
A mim, por exemplo, não me preocupa por aí além, mas a verdade é que alguns dos nossos sentimentos e até ideias e emoções acabam por repassar para o exterior através dos nossos blogues. Só quem for tolo ou insensível é que não se deixa levar nessa corrente quase imperceptível mas que nós sabemos que está presente e que ela tem força para nos embalar no seu canto de sereia.
Deixemo-nos seduzir, pois então, onde está o mal? Quem não deve não teme...
Um abraço maroto...
António

kapinha disse...

Qualquer um pode carregar seu fardo, embora pesado, até o anoitecer. Qualquer um pode fazer seu trabalho, embora árduo, por um dia. Qualquer um pode viver mansamente, pacientemente, amistosamente, até que o Sol se ponha. E isso é o que realmente a vida requer.

Bjsss

Leticia Gabian disse...

Olá, querida Menina Marota!
Que orgulho tenho de ti!
Quanta coisa temos em comum!
Um dia, ainda teremos tempo pra conversar sobre isso e muito mais.
Admiro muito a tua coragem para com os desafios e a tua sensibilidade ao escrever sobre eles.
Um beijo na alma.

Anónimo disse...

Menina que mais posso acrescentar a tudo o que já foi dito por quem me antecedeu?
É um privilégio ler.te!!
Zé Pedro

amita disse...

Olá MM

É tão bom recordar e este teu texto está encantador com a frescura das tuas letras.
Um bjinho grande e um bom fim-de-semana