segunda-feira, dezembro 04, 2006

Abraçando as palavras

Desde que descobri o mundo da Internet há aproximadamente vinte anos (uma vida!), muita coisa aconteceu no mundo e na minha vida. Umas boas, outras más.
Descobrir o mundo ilimitado da net, deu-me perspectivas e conhecimentos que, de outra forma só obteria com o tempo.
Numa tarde posso entrar num vasto mundo de diferentes culturas.
Durante muitos anos e na minha própria adolescência vi de "longe” alguns escritores e poetas que admirava.
Lembro-me, nos meus treze catorze anos, estando de férias com os meus Pais, tive oportunidade de no Rio de Janeiro assistir pela primeira vez a uma palestra seguida de uma sessão de autógrafos de Jorge Amado. Os meus Pais eram grandes admiradores da sua obra e, por casualidade, a palestra acontecia no próprio hotel onde nos hospedávamos pelo que não perderam a oportunidade de o reencontrar e, acima de tudo, que eu começasse a sentir de perto aqueles acontecimentos.
Recordo, comovida ainda, quando Jorge Amado com aquele sorriso que o caracterizava, me perguntou o nome para o escrever no livro que lhe apresentara “Gabriela, cravo e canela”. Emudeci. Foi meu Pai que lhe respondeu porque não consegui falar, tal a comoção que se apoderou de mim.
Actualmente navegar e visitar blogues de poetas é uma coisa tão normal como ligar o próprio computador.
E aqueles nomes que até há pouco tempo só via em capa de livros numa qualquer livraria estão actualmente à distância de um clique.
Presentemente, à tal distância de que falava, posso encontrar num blogue de denominação tão simples, como por exemplo o
A a Z de Nuno Júdice que, com a maior simplicidade, partilha a sua poesia num blogue de comentários abertos.
Vem esta “conversa” a propósito de, no poema anterior, tendo como mote um poema de
João Batista do Lago deixado em comentário no Portal de Mhário Lincoln do Brasil e que resolvi partilhar no post anterior, se deslocar a esta minha “casa” dedicando-me com toda a simplicidade este poema:

Frutação
(Para Otília Martel, Menina Marota.)
Por João Batista do Lago

Sinto que a árvore plantada no meu coração,
Não flora mais em espinhos da juventude.
Hoje, frondosa, consciente e voluptuosa,
Cobre de boa safra a superfície do meu chão.
São tão doces estes frutos em nascediço,
Que não tenho direito de os ter só para eu.
É preciso distribuí-los a todos em morrediço,
Para salvar o demos da miséria e da corrupção.
..........
São frutos de amores densos de canção,
Que singram mares e se vão plantar
Nos pomares de sentimento e de paixão.


"Partilha" óleo sobre tela de Nela Vicente

Estes são momentos únicos.

Aqueles que são os nossos ídolos deixam o seu pedestal e vêm ao nosso encontro abraçando-nos!

O meu abraço para si, João Batista do Lago

40 comentários:

Maria Clarinda disse...

Palavras para quê....é gente assim, e, tu para mim estás incluída neles que nos fazem sentir feliz e acreditar que ainda há a partilha desinteressada...obrigada ,Amiga e parabéns pelo poema maravilhoso de
João Batista Lago!!!!!
Jinhos

peciscas disse...

Jorge Amado é um dos meus escritores de sempre.
Recordo a emoção com que li, ainda de modo clandestino, os "Subterrâneos da Liberdade2 e "Os Capitães da Areia".
E tenho, também, o privilégio de possuir um livro autografado por ele.

Joe Nunes disse...

Excelente! Parabéns pelo texto e pela dedicatória do poema, de um jornalista de grande mérito no Brasil!
Cpmtos do J. N.

Thunder disse...

Pode parecer estranho mas, aos 13 ou 14 anos, li Jubiabá e gostei!No entanto, nessa altura não percebia muito bem ainda do que se tratava.A partir daí, sempre que posso vou lendo livros de Jorge Amado!

Continue partilhando os seus textos connosco!

as velas ardem ate ao fim disse...

Gosto sempre de vir aqui, fico sempre a conhecer ou aprendo sempre novas coisas ou novos lugares.

obrigada.

bjinhos

Josefa Pacheca Pereira disse...

Fabuloso!

Boa noite.

Anónimo disse...

Agradeço a passagem lá por aquelas bandas, e faço votos de sempre boas viagens: destas, feitas de textos e imagens, ou das outras, feitas de mais incandescentes materiais.

Também uma boa semana, e boas Noites.

Jofre Alves disse...

Por “deformação” há muitos anos que não leio qualquer romance, pois a minha leitura vai para o campo das ciências histórias: biografias, heráldica, genealogia; História de Portugal. E também doutras áreas diferenciadas, tais como a linguística, etnografia, etc. Mas até cerca dos trinta anos foi leitor assíduo e selectivo porém de romancistas: Camilo Castelo Branco, Ferreira de Castro, Aquilino Ribeiro, e claro, Jorge Amado. Quem se pode esquecer dos seus magníficos livros: “O Cavaleiro da Esperança”; “Seara Vermelha”, “Os Subterrâneos da Liberdade”, “Dona Flor e os Seus Dois Maridos”, etc. Os nomes dos familiares masculinos estão todos marcados pela letra J: o avô era Jorge; o pai João Amado de Faria; os irmãos Jofre, Joelson e James; o filho João Jorge; os netos João Jorge e Jorge. Mais uma achega: Jorge Amado apreciava imenso a pastelaria de Viana do Castelo e todos os anos pelo Natal o famoso pasteleiro de Viana do Castelo mandava para o Brasil um “carregamento” de pão-de-ló tradicional. Bom, isto de falar de pão-de-ló às 3 e meia da madrugada dá fome. Bem-haja.

pensamentos_vagabundos disse...

parabens pelo texto...
beijo vagabundo

amadis / pintoribeiro disse...

Bom dia. E um abraço.

Anónimo disse...

Que vida! sofia

agua_quente disse...

Tens toda a razão quando salientas aquilo que, de bom, a net nos traz. Essa partilha, esse conhecer "de perto" pessoas cuja escrita ou opiniões pessoais admiramos, é muito gratificante. Também por isso, aqui andamos.
Beijos

Passeando no Parque disse...

É sempre uma aventura aqui chegar! Amei este texto e quero parabelizar-te por ele!!

Beijão pra vc

Clife disse...

Adorei este post...

irei então adicionar-te às "Viagens do meu barco", isto é, aos links no meu blog ;)

Um beijinho &
Obrigado pelas tuas palavras no post intitulado de "A morrer"...

Adryka disse...

Olá minha querida amiga, as memórias são maravilhosas.A net tem muito de bom para nos oferecer,ao espaço de um clic temos o mundo aos olhos. Beijinhos

Anónimo disse...

olá!

:)

vim agradecer a visita e descubro poesia e folhas de árvores!

:)

um abraço!
tem um dia muito feliz!

mulher rochedo disse...

ola boa tarde

Obrigado pela tua visita no meu blog e vinte anos no mundo da internet é uma longa vida , adorei conhecer o teu blog e vou voltar mtas vezes .
Gosto de jorge amado entre outros .

bjos e bom resto de tarde pra ti

Manel do Montado disse...

Passei esperando encontrar algo teu e deparo-me com uma história sublime.
Bem hajam todos quanto partilham o que sabem e fazem, edificando assim mais alto a obra da cultura humana.
Bjo

batista filho disse...

Assino em baixo, MM! - sem um senão!!! Deixo o meu abraço fraterno.

De Amor e de Terra disse...

Concordo plenamente, minha querida Menina...

Também assino em baixo.

Maria Mamede

AS disse...

O acto de partilha é dos gestos mais sublimes! Por isso este teu belissimo texto no actual contexto da Net, assume um significado muito especial e revela a mulher atenta e sensivel que tu és!...


Abraço-te com amizade!

Joe Nunes disse...

Até engoli em seco!!

[Aqueles que são os nossos ídolos, deixarem o seu pedestal e virem ao nosso encontro, abraçando-nos!]

A deixa que precisei para dizer-te, que és um dos meus ídolos, Marota corajosa e frontal!

UM ABRAÇO DO TAMANHO DO MUNDO do
J.N.

A Rapariga disse...

Sem dúvida, é um bem maior.
O que eu encontrei na Net nem te passa pela cabeça...
Um chi-coração e um beijinho para ti, menina.

Sonia R. / Sombras disse...

20 anos é muito!

Bom dia.

amadis / pintoribeiro disse...

Bom dia, abraço,

Paula Raposo disse...

É verdade. E assim, todos temos o privilégio de ler e conhecer os Poetas!! Beijos para ti.

maresia_mar disse...

Olá Menina,

pois é, e mais palavras para quê? A net dá-nos a conhecer um mundo que antes no parecia inatingivel. Temos assim o previlégio de "conhecer" gente do melhor que há, gente que pinta com as palavras, assim como tu por exº.
Bjhs e bom resto de semana

António disse...

Olá!
Gostei particularmente da tua prosa.
(já sabes que aprecio muito mais a prosa que a poesia)
E já sabemos que és tão boa, ou melhor, a escrever prosa como a fazer poemas.
Quero agradecer-te a visita e o comentário ao meu post "The making of...".

Beijinhos

Passo disse...

:) afinal n sao deuses, sao comuns mortais q estao ao alcance de todos. sao pessoas de carne e osso q sonham, sofrem como nos .. a diferenca é q eles sao ( digo eu) inspirados p "deus" e nos temos o prazer de ser "abencoados" ao podermos usufruir dessa inspircao :) obrigadu p partilhares :) Beijos

delfim peixoto disse...

Para além das palavras fica o que transmitiste... afinal, o Desenvolvimento pode ser útil e não só desgraça...
Se não fôsse este meio de comunicação, como te poedria ter lido?
beijos
( a música é genial)

Sulista disse...

Ahahahahah...ainda me estou a rir do teu comentário por lá...do sol ;-)


Sobre o que falas da Net, eu digo só: Já não sei viver sem ela. Seria impensável. Um Mundo à distância de um click! :-D

Beijinho GRANDE, GRANDE!

Aluena disse...

Venho deixar votos de BOM NATAL
e FELIZ ANO NOVO.
Venham tomar 1BICA quentinha no meu canto.
http://bica.blogs.sapo.pt

Saudades e abraços companheiros.
AMIGA SEMPRE
ALUENA

MARIA VALADAS disse...

Palavras para quê?!!!
Gostei do que li!

Beijosss.
Maria

caminante disse...

Navegando... recalé de nuevo en tu Blog. Hace tiempo, lo confieso, que no te visitaba. Y, como siempre, encontré sosiego y paz.
Un fortísmo abrazo.

Peter disse...

Também tive a minha temporada Jorge Amado, em que o momento supremo foi conseguir um exemplar seu autografado numa das vezes que se deslocou a Lisboa.

António Melenas disse...

Pois e eu que não tenho o privilégio de lidar com os "deuses", concede-me, ao menos menos o prazer do convívio com alguém que por eles é visitado,
Também eu fui fã incondicional do "poeta" Jorge Amado. Também gostei da prosa, Sabes que desfiar memórias é um dos meus prazeres
Beijo
António

asminhasbijuterias disse...

é tão bom saber que aqueles que admiramos que com um simples gesto como este nos fazem sentir especiais e tu mereces por partilhares este cantinho com todos nós que te visitamos, bjs

pianola / Sonia R. disse...

Não gosto do Natal com férias no Brasil, idosos abandonados nos corredores dos hospitais, gente a dormir na rua. Bom dia.

viajante disse...

20 anos de Internet é obra. Por aqui há um ano e meio, sinto-me um menino (mas já velhote )

amadis / pintoribeiro disse...

Abraço,