terça-feira, agosto 15, 2006

Um poema...


Imagem de Gregory Mancuso



E apesar de tudo,
ainda sou a mesma!
Livre e esguia,
filha eterna de quanta rebeldia
me sagrou.
Mãe-África!
Mãe forte da floresta e do deserto,
ainda sou,
a irmã-mulher
de tudo o que em ti vibra
puro e incerto!...

- A dos coqueiros,
de cabeleiras verdes
e corpos arrojados
sobre o azul...
A do dendém
nascendo dos abraços
das palmeiras...
A do sol bom,
mordendo
o chão das Ingombotas...
A das acácias rubras,
salpicando de sangue as avenidas,
longas e floridas...

Sim! ainda sou a mesma.
- A do amor transbordando
pelos carregadores do cais
suados e confusos,
pelos bairros imundos e dormentes
(Rua 11...Rua 11...)
pelos negros meninos
de barriga inchada
e olhos fundos...

Sem dores nem alegrias,
de tronco nu e musculoso,
a raça escreve a prumo,
a força destes dias...

E eu revendo ainda
e sempre, nela,
aquela
longa historia inconsequente...

Terra!
Minha, eternamente...
Terra das acácias,
dos dongos,
dos cólios baloiçando,
mansamente... mansamente!...
Terra!
Ainda sou a mesma!
Ainda sou
a que num canto novo,
pura e livre,
me levanto,
ao aceno do teu Povo!...

(Poema "Presença Africana" de Alda Lara in "Poemas")

31 comentários:

Era uma vez um Girassol disse...

Boa escolha este poema de Alda Lara! Gosto muito mesmo.
A foto é linda!
Beijinho

Teresa David disse...

A minha melhor amiga viveu em Africa mts anos, e fez com que percebesse a magia daquelas terras, e particularmente a liberdade de existir por lá, descalço e com pouca roupa, o que leva a uma nudez de convivência sã identica, logo este poema remete-me para as histórias ouvidas ao longo do tempo de convivência com ela.
Bjs e até ao Porto se não fôr antes
Teresa David

pitanga disse...

A foto, a música, o poema, tudo lindo.
beijos pitanga

José Félix disse...

calulu

no travo acre da kissângua
sonho as coxas quentes de luanda

sossego com o jindungo, a jinguba
e um calulu de peixe nadando
na cor melindrosa do óleo-de-palma.

adormeço com o sabor da quitaba.


José Félix

caminhos disse...

Mais uma vez o meu encantamento no teu trabalho. Parabens
Bjt

Garotinhaa disse...

Oii! td bem??? pow eu sou nova nesse mundinho de blog, e to querendo fazer amizades, tipo, to te add ta??? adoro poemas, em breve tb vai ter poeminhas no meu blog tb! bjs

≈♥ Nadir ♥≈ disse...

Lindo poema, fez-me lembrar a minha terra natal... Angola.
Beijos

Garotinhaa disse...

Oii! obrigada pelo comentário! eu ja coloquei um poeminha la, mas tipo, não é grande coisa não, mas eu gosto mto deles! pow, não consegui te add.. depois me manda o seu e-mail? pois só falto isso pra conseguir te add e eu não encontrei o seu e-mail e tal... bjs!

Claudia Perotti disse...

Belíssimo, querida!
Beijinhosssss

MAH-TRETAS disse...

Belo, revivi um passado já um pouco distante em terras de Angola.

AH

antonior disse...

Olá!

Estou de volta.

Já tinha saudades destes espaços e foi gratificante vir visitar-te. Como sempre belas imagens a ilustrar palavras magníficas, a comunicar uma sensibilidade que toca.

Um abraço

tecum disse...

Alda Lara - o prazer de a reler aqui, depois das férias.

Beijinhos - bom fds

Adryka disse...

Querida, que lindo o teu poema, embora de ti espere sempre coisas fantásticas a fasquia em ti tá alta, em relação ao que escreves, gosto tanto de te ler. Beijinhos amigo

Miguel disse...

Parabéns pela escolha poetica!

Os votos de um BOM FDS!

Bjks da Matilde

Isabel-F. disse...

Que MARAVILHA ... não conhecia...
claro que me diz muito

bom fim de semana
bjs

Fernando Bravo disse...

Cada vez tenho mais vontade de ir a África (estive na Tunísia mas não é a essa que me refiro). E depois de ler este poema, então...

Nilson Barcelli disse...

Não conheço a poetisa, mas o poema é muito bom.
Parabéns pela escolha.
Beijinhos.

Marco Magalhães disse...

Ler este poema, reacendeu uma certa nostalgia de África.
Música excelente.

Filipe Freitas disse...

Bonito poema para recordar ÁFRICA !
Um bom fim de semana.
Bjs.

Michakurika disse...

Olá Menina Marota, acabo de visitar o teu Blog. Parabéns pelos poemas e fotos, muito bem escolhidos.

Gostei muito de te conhecer bem como a Amita e ao outro casal no encontro que tivemos no Hotel Ibis onde fomos dar um beijinho à Maria de São Pedro.

kurika é a tradução no meu nome em japonês pois não conseguia cadastrar-me com o meu mone.

Um xi,
Kurika

legivel disse...

Regressei.

A tempo de ler este poema a uma terra quente "pura e incerta" como a autora se lhe refere.

Um óptimo domingo para ti.

AS disse...

Um poema que me emocionou... que me trouxe recordações de um tempo que não volta! que me lembrou dias de sol e dias de tempestade!...

Um abraço querida amiga...

Jo§e disse...

numa palavra... excelente.

Um beijo

herético disse...

uma bela surpresa, após meu regresso. sempre atenta ao que melhor se publica, marota!!!!

amita disse...

Quem viveu ou andou por terras de África sente mais intensamente a beleza deste poema. Grata pela partilha e que te restabeleças rapidamente.
Bjo

Manuel Rodrigues disse...

(...)Os vultos tornam-se cada vez mais evidentes, e a inexplicável vontade de amar(..)

Como um louco perdido na escuridão sinto as palavras, sinto os receios, busco o meu ser, escondo-me por trás do meu eu e acredite, por todos os momentos não esqueço aquele em que acredito.

Um dia é apenas um dia, uma vida não é apenas uma vida.

Persigo a perfeição, nos actos, aqueles que encontrei e defendo-me, porque estou a assumir aquilo que quero e não apenas aquilo que consigo.

A Rapariga disse...

Perfeito, áfrica minha!
Bela escolha deste poema
Um beijo e um xi-coração apertado

Joe Nunes disse...

A nostalgia das minhas noites de África. Que feliz fiquei por ler aqui Alda Lara, num dos seus poemas mais expressivos.
Cpm do J. N.

Araj disse...

Desconhecia este poema... mas acheio lindíssimo

Ranhette du Nez disse...

Visité le neuf blog, Le Cacilhiére Fantôme, pour aprecié une golle de rum.


http://ranhettedunez.blogspot.com

Je gostê beaucoup de ton poeme.

LUA DE LOBOS disse...

belissima escolha
xi
maria de são pedro

e restablecimento rápido