sábado, agosto 05, 2006

Humor...em fim de semana...

Ele é talvez um dos mais “velhos” amigos que partilha comigo o mundo virtual. Natural de Minas Gerais, há muito passou a casa dos oitenta, mas a jovialidade e humor, estão bem patentes no espírito das suas mensagens e comentários…
Por altura do meu aniversário enviou-me um belo cartão, onde vinham inseridos a imagem e o poema que aqui partilho...


Vô contá como é triste, vê a veíce chegá,
Vê os cabelo caíno, vê as vista encurtá
Vê as perna trumbicano, com priguiça de andá
Vê "aquilo" esmoreceno, sem força pra levantá.

As carne vão sumíno, vai pareceno as vêia
As vista diminuíno e cresceno a sombrancêia
As oiça vão encurtando, vão aumentano as orêia
Os ovo dipindurano e diminuíno a pêia.

A veíce é uma doença que dá em todo cristão
Dói os braço, dói as perna, dói os dedo, dói a mão
Dói o figo e a barriga, dói o rim, dói o purmão
Dói o fim do espinhaço, dói a corda do cunhão.

Quando a gente fica véio, tudo no mundo acontece
Vai passano pelas ruas e as "minina" se oferece
A gente óia tudo, benza Deus e agradece,
Correno ligeiro pra casa, ou procurano o INSS.

No tempo que eu era moço, o sol prá mim briava
Eu tinha mil namorada, tudo de bão me sobrava
As minina mais bonita da cidade eu bolinava
Eu fazia todo dia, chega o bichim desbotava.

Mas tudo isso passô, faz tempo, ficô pra tráis
As coisa que eu fazia, hoje num sô capaiz
O tempo me robô tudo, de uma maneira sagaiz
Pra falá mesmo a verdade, nem trepá eu trepo mais.

Quando chega os setenta, tudo no mundo embaraça
Pega a muié, vai pra cama, aparpa, beija e abraça
Porém só faiz duas coisa:
sorta peido e acha graça.


(Poesia Caipira, poema e imagem de autor desconhecido)


Bom fim de semana

20 comentários:

Antonio Melenas disse...

Boa, boa,
hoje sou eu o primeiro
a comentá estes versinho
Mas que coisa mais gostosa
deixa a gente inté dengosa
'petece fazer carinho

obrigado por esta prenda
abr.
António

AS disse...

Conseguiste hoje uma coisa que ainda não tinha acontecido: RIR!...

Obrigado minha amiga... um abraço grande. E saudades...

Morgaine disse...

Há dois dias um amigo perguntou-me: conheces o blog da menina marota? a minha resposta foi não, ao que ele me sugeriu uma visita. Ontem fiz aqui uma passagem. E hoje, faço outra. Deixo o meu coment porque acho que é de boa educação, e porque aqui escreve-se muito. Um blog cheio de palavras com significado. Tem muita saudade, muita melancolia, mas está aqui um belo cantinho. Só tenho de agradecer a quem me deu a sugestão. Obrigada Bernardo da Maia. E a ti meninamarota, muitas felicidades

Anónimo disse...

Amei, Amei, Amei foi um momento lindo que encontrei quando te vi, esta música tão linda, um apoesia sem igual, fui devagar, bem devagar pra dentro de mim mesmo e qundo vi estava mergulhado por ente teu mundinho tão lindo.
Amei te rte encontrado, voou indo e deixo me cheiro pra que um dia a gente se veja novamente.
bjOOOOOOOOOOOOOOOO

Friedrich disse...

Vê esse link mas não chores...
http://eternamentemenina.oldblogs.sapo.pt/

Bom fim de semana
beijão

aaron@iol.pt disse...

Como é que conseguiste a fotografia dos meus avós???!!!
Até a cama é parecida! Fantástico este momento, vou oferecê-lo ao meu avô, porque ele é campeão de, nem vale a pena dizer, é de fugir às vezes!! E depois ele dizz que é doença!!!
Bjinhos

wind disse...

Que coisinha mais lindinha.lololol:)
beijos

José Gomes disse...

XIIII!!!! Ah que tempo que não tw fazia uma visita.
E já pus a MIlú atrapalhada... queres ver que aquela malandra fez anos e nós nada dissemos?
Sabes, temos andado com uma preguicite aguda e trabalho de bradar aos céus (estamos a dar uma mão à Maria Mamede que está a mudar de casa).
Vamos lá ver se ainda hoje teremos o prazer de ouvir a tua voz.
Uma boa semana.
Dá notícias, chata!!!!

Luna disse...

Esta fantastico,e a realidade da vida ser mostrada a brincar por alguem que já faz parte do outono do caminho é lindo
beijos

Passeando no Parque disse...

Está por demais este poema garota!!! Bôa escolha!!!

Teresa David disse...

O poema tem aquele jeitinho bem caipira que o torna uma delícia. Já agora posso dizer que a minha exposição saiu já do Clube mas está num restaurante no Porto na rua das flores, 96 de nome Brazuca, onde se come bem e tem umas paredes onde gosto mto mais de ver os meus quadros.
Já estou em Lisboa, e desconhecia que morava em Vila Nova de Gaia, mas em Setembro voltarei para cima e por esse altura tentarei contactá-la pois só retirarei os quadros para final de Setembro.
obrigada pelo comment e envio um abraço
Teresa David

lazuli disse...

parabens atrasados pelo aniversário, e por estes versos magníficos:)

beijos!

rouxinol de Bernardim disse...

Esta versalhada está impagável!!!
O brejeiro com o tipicismo brasileiro está o máximo!!!

FELIZ ANIVERSÁRIO... se ainda for a tempo!

Marco Aurélio disse...

Sou de Minas Gerais. Não conhecia o poema. Depois vou postá-lo. Posso?

Bjs

herético disse...

adorei o humor "pícaresco"...

maresia_mar disse...

Demais mesmo, fartei-me de rir.. Bjhs e boa semana

Leonoretta disse...

e o que é bom é rir. assim como me ri com o comentario que deixaste la no meu sitio.
mil beijinhos para ti

APC disse...

Hilariante!... Djimais da conta! :-)

Um Poema disse...

Delicioso!
Um abraço

DE PROPOSITO disse...

Incrível, acho no poema muito carinho e muitas saudades de uma vida que passou e que não passa de recordações que são efémeras para quem as recorda, pois o final está proximo.
Fica bem.
Manuel