quinta-feira, junho 29, 2006

Vagueando por aí...

Gosto de vaguear por aí, por essa “ruas” cheias de cor, de sons, que nos transportam ao limite de recordações e ilusões.
Foi num desses vagueares que descobri o
António e a forma despretensiosa como fala das recordações de uma Vida que se pressente carregada de emoções…
O poema que aqui deixo foi extraído de um texto em que ele homenageia um Amigo… o Padre Zé…


Imagem de Helder Ribau



Em Vida, Irmão, em Vida


Se queres feliz fazer
Alguém a quem queiras muito...
Diz-lhe, hoje o teu querer
Fá-lo em Vida, Irmão, em Vida...

Se desejas dar uma flor,
Não esperes que ela murche
Manda-lha, hoje com amor...
Fá-lo em Vida, irmão, em vida…

Se desejas dizer" GOSTO DE TI"
Á gente da tua casa, que te é querida,
Ao amigo perto ou longe,
Fá-lo em Vida, Irmão, em Vida...

Não esperes pela sepultura
Das pessoas para as amar
E dar-lhes e sentir a tua ternura
Fá-lo em Vida, Irmão, em vida...

Ser venturoso mereces
Se aprenderes a fazer felizes
A todos os que conheces
Em Vida, Irmão, em vida...

Nunca visites panteões
Nem enchas tumbas de flores
Enche de amor corações
Em Vida, Irmão , em Vida...

(Encontrado na Bíblia do Padre Zé)
14/04/2001

14 comentários:

Antonio Melenas disse...

Bom dia "Menina Marota"
Antes de tudo, obrigado pela paciência de ler os meus textos, obrigado por ter gostado, obrigado por se dar ao incómodo de me escrever, obrigado por ter posto aqui o belíssimo pema do Padre Zé que mais fica valorizado com esta música de fundo. Ele deveria ter gostado.
Dei uma vista de olhos pelo seu blogue, que achei muito bem feito, com textos lndíssimos, sobretudo os poemas. Estou facinado com o número quase incomensurável de poemas que descubro nos blogues.
É bem verdade que somos um país de poetas!!!
Visitá-la-ei mais vezes

maresia_mar disse...

Olá
o poema é maravilhoso, e com um grande ensinamento... e a foto, hum, a "nossa" praia. Bjhs

pitanga disse...

Bom dia, que bom vê-la mais otimista hoje.Somos mães, somos fortes. Vá ao pitanga para se divertir.
beijos.

Barão da Tróia II disse...

Pois, também acho que muitos de nós perderam a capacidade de saber viver, de tão ocupados que estão a odiar, a matar, a roubar, a trabalhar, a ignorar.

RPM disse...

Feliz s. Pedro

abraço

RPM

mffgomes@netvisao.pt disse...

Simplesmente profundo com as palavras simples e verdadeiras sejam em poema ou em prosa.
Eis o sal da vida que tanta falta faz no nosso quotidiano.
Embora não seja religioso, sou humano.

Obg. e bem hajam
MFFGomes

herético disse...

ate eu "heretico" gosto desse padre. beijos

Delfim Peixoto disse...

Gos´tei...bjnhs doces

Bernardo da Maia disse...

Pena é que só nos lembramos muitas vezes das pessoas que gostamos quando elas nos deixam para uma nova viagem. Tenho pensado nisso e cada dia que passa tenho tentado ser mais social neste mundo antisocial. A indeferença faz-nos parecer fracos.

lena disse...

menina encantas, tão belo este poema do Padre Zé trazido até aqui por ti

obrigada por o partilhares, obrigada pelas tuas caminhadas neste mundo da blosfera, que pelas tuas pisadas vou descobrindo bogs que me encantam


beijos muitos para ti e um abraço com carinho


lena

Sulista disse...

Linda descoberta Amiga :-) então com esta música ainda mais bonito se torna!

Beijinho Grande e um forte Abraço ;-)

Sulista disse...

A OUVIR (e ver) a MENINA MAROTA
elogiada aqui
neste AUDIOBLOG:
http://www.estudioraposa.com

no post «Lugar aos Outros 09»
de 29-06-2006 por Luis Gaspar.

A NÂO PERDER! tanto o 'elogio'
como o 'audioblog'!!!

O Micróbio II disse...

Não é do género de poesia que aprecio... mas li! :-)

Lds disse...

Estimada amiga,
Gostei de ler o poema e gostei de ver a capelinha do Senhor da Pedra, em Miramar, Gaia. Sobre o Senhor da Pedra e as "rusgas" que de Gaia saíam a pé no dia da sua festa, pesam-me saudades de menino. No meu blog procure em Quitéria e terá as alusões que ali lhe faço. Ciao. LdS