segunda-feira, novembro 21, 2005

Passeando por aí...

Há dias, como o de hoje, cinzento e triste, em que me apetece “viajar”, por este mundo virtual, tendo por companhia somente a música tocando baixinho…e a leitura.
De passagem por uma “casa” onde as imagens e os textos, são um alimento da alma, descobri uma preciosidade…
Deixo-a aqui, para todos vós…

Sol do meio dia... in  Annie Hall 


O dinheiro é tão bonito,
Tão bonito, o maganão!
Tem tanta graça, o maldito,
Tem tanto chiste, o ladrão!
O falar, fala de um modo...
Todo ele, aquele todo...
E elas acham-no tão guapo!
Velhinha ou moça que veja,
Por mais esquiva que seja,
Tlim!
Papo.

E a cegueira da justiça
Como ele a tira num ai!
Sem lhe tocar com a pinça;
É só dizer-lhe: «Aí vai...»
Operação melindrosa,
Que não é lá qualquer coisa;
Catarata, tome conta!
Pois não faz mais do que isto,
Diz-me um juiz que o tem visto:
Tlim!
Pronta.

Nessas espécies de exames
Que a gente faz em rapaz,
São milagres aos enxames
O que aquele demo faz!
Sem saber nem patavina
De gramática latina,
Quer-se um rapaz dali fora?
Vai ele com tais falinhas,
Tais gaifonas, tais coisinhas...
Tlim!
Ora...

Aquela fisionomia
É lábia que o demo tem!
Mas numa secretaria
Aí é que é vê-lo bem!
Quando ele de grande gala,
Entra o ministro na sala,
Aproveita a ocasião:
«Conhece este amigo antigo?»
- Oh, meu tão antigo amigo!
(Tlim!)
Pois não!

(Poema "O Dinheiro" de João de Deus)
Imagem e Poema recolhidos no Blog Outsider da
Annie Hall

60 comentários:

alfinete de peito disse...

Ahahahah, o que nós nos rimos :)
Simplesmente delicioso! Um poema muito maroto de uma menina ainda mais :)))

Beijos dos Alfinetes

AS disse...

Querida Marota, um poema de João de Deus que nunca perderá actualidade!... apesar de não haverem cartões de crédito naquele tempo!!!

Um grande abraço

Manel do Montado disse...

"E a cegueira da justiça
Como ele a tira num ai!
Sem lhe tocar com a pinça;
É só dizer-lhe: «Aí vai...»"

No alvo e em cheio. Quanta verdade escrita a chalacear e reflectindo a realidade da sociedade.
Deixa-me ficar aqui esta do A. Aleixo.

Sei que pareço um ladrão
Mas há muitos que eu conheço
Que não parecendo o que são
São aquilo que eu pareço.

Beijo ou abraço, já me confundo.

Memorex disse...

Olá Menina-Marota, primeiro queria agradecer-te pela tua visita e obrigada pelas tuas palavras escritas no blogger :)

Li este poema e bem interessante que foi, é o reflexo dessa realidade onde todas as coisas são substituidas pelo dinheiro como uma questão de moda!
Só temos de continuar a nossa luta, conservado os valores mais importantes como o amor, a amizade, a humildade, a fraternidade e respeito pelas diferenças existentes em todas as pessoas no mundo...

P.S-» também vou linkar-te no meu blogger :)
Tenha uma boa noite e um bom jantarzito!

romero disse...

que chiste ! :)
me gusta de Annie Hall,siempre voy álla :)
besito y buena semana.

mar disse...

Ha coisas sempre actuais ... :)
Beijo e boa semana

Betty Branco Martins disse...

Olá Menina Marota

Uma escolha e tanto!!! Este poema de (João de Deus) dá muito que pensar. Não são simples palavras - são janelas que se abrem...

Beijinhos

B.semana

Su disse...

obgda pela foto, é lindissima

tb detesto dias cinzentos e frios

qto ao poema, gostei de ler, spre actual a importancia que tem e q damos ao dinheiro, e o bom e mau uso q dele fazemos

gostei
jocas maradas

Passo disse...

espectaculo heheheheehe :)

Sulista disse...

Oláááááááááá !

amanhã a chuva continua...mas a flor é linda e a primavera há-de voltar ;-)

Abraço Grande !

Pamina disse...

Ainda bem que foste viajar.:)
Um poema bem actual, apesar da sua "idade".
Bom começo de semana.
Beijinhos.

Vagabundo disse...

Justa homenagem ao Homem do meu Reino!!!

Bj Vagabundo

Å®t_Øf_£övë disse...

Por vezes também me apetece fazer o mesmo. Sabe tão bem... e olha, é o que estou a fazer. Realmente estar aqui no teu cantibho é muito reconfortante, e a musica que cá tens hoje ajuda a manter a paz de espirito.
Bjs.

Julia Coutinho disse...

Felicito-a e agradeço o bom gosto e a partilha.
O Outsider e a Annie Hall merecem ser conhecidos porque nos oferecem um manancial de beleza e sensibilidade e são um bálsamo energético e apaziguador para os espíritos citadinos. Visito-o diariamente. É-me fundamental.

luisa disse...

Tão cheio de humor e ironia leve... uma escolha encantadora! Bjitos

adesenhar disse...

passeio proveitoso :)
adorei a leitura deste " oriehnid "
direito/invertido a gosto.

bjs :)

Marco Ferreira disse...

que refeição para o espirito e o som ..... hipnotisador

marinheiroaguadoce a navegar

wind disse...

Delicioso poema:) beijos

Aromas Do Mar disse...

Olá :)

Vem brindar connosco, vens?

Beijinhos

Isabel-F. disse...

Não conhecia este poema. É belissimo.

Beijinhos e parabéns pela escolha.

Maria do Céu Costa disse...

Um poema forte e que "floresce" em várias direções.Boa escolha. Beijinhos.

Amaral disse...

Em dias assim, as nossas divagações permitem-nos encontrar belezas escondidas, no espaço e no tempo. Mas que reaparecem, renovadas, da forma como o fizeste!

zezinho disse...

Criaste o ambiente perfeito.
Uma música belissima e um excelente poema do João de Deus.
Beijitto

Adryka disse...

Adorei a entrado da tua postagem de hoje, colocaste tudo tão bem, que só podia terminar com uma bela poesia. Pararabéns amiga

dulce disse...

Passei para te deixar um beijo. Nestes dias tristes apetece mesmo ficar por aqui de passeio entre as páginas dos amigos.
Beijos.

Elise disse...

Money, get away.
Get a good job with good pay and you’re okay.
Money, it’s a gas.
Grab that cash with both hands and make a stash.
New car, caviar, four star daydream,
Think I’ll buy me a football team.

Money, get back.
I’m all right jack keep your hands off of my stack.
Money, it’s a hit.
Don’t give me that do goody good bullshit.
I’m in the high-fidelity first class traveling set
And I think I need a lear jet.

Money, it’s a crime.
Share it fairly but don’t take a slice of my pie.
Money, so they say
Is the root of all evil today.
But if you ask for a raise it’s no surprise that they’re
Giving none away.

Huhuh! I was in the right!
Yes, absolutely in the right!
I certainly was in the right!
You was definitely in the right. that geezer was cruising for a
Bruising!
Yeah!
Why does anyone do anything?
I don’t know, I was really drunk at the time!
I was just telling him, he couldn’t get into number 2. he was asking
Why he wasn’t coming up on freely, after I was yelling and
Screaming and telling him why he wasn’t coming up on freely.
It came as a heavy blow, but we sorted the matter out

Pink Floyd :)

peciscas disse...

Já conhecia o poema mas não a imagem.

Hoje, o PECISCAS divulga a sua Comissão de Honra e a lista de Mandatários Nacionais da candidatura à Presidência (P.A.P.A.S.)!

amita disse...

A sua actualidade é marcante. Um poema de João de Deus de que já não me lembrava e que em tom jocoso diz verdades. Obrigado MM e Annie Hall pela partilha. Bjokas granes e um doce sorriso

T. disse...

Delicioso, este rememorar!

:-)**

paper life disse...

É mesmo de sorrir. Aprendi isto ainda pequenita.

:)bjs

Maria Papoila disse...

Recordar este poema de João de Deus, como foi agradável. A música é belíssima. Abraço

soslayo disse...

Menina Marora, não fosse João de Deus um angariador de fundos para dar aos outros sobretudo aos doente do foro psiquiátrico. Quem mais experiência tinha ele do dinheiro que lhe faltava para as suas obras. Boa Posta. Beijinhos.

Tribunal_Beatas disse...

"Money makes de world go round", era qualquer coisa deste género que a música diz. Infelizmente no mundo de hoje é dos poucos valores que se levantam.
Depois há a simplicidade de uma flor, como essa que nos mostras aqui. Ai se não fossem as coisas simples da vida...
Beijinhos

TMara disse...

há tanto tempok n/ via este poema. smp tão actual!Bom resto de semana. Bj de luz

maresia_mar disse...

A imagem é quase tão bela como aquela que te descrevi hoje de manha por sms.. O poema maroto hein? A condizer contigo ih ih.. bjhs e ânimo

Dani disse...

viaje amiga e se permita colher lindas historias e poemas que temos no mundo virtual...sua escrita é especial...beijos doces...

António disse...

Giro o poema.
Intemporal o tema.

Beijinhos

Micas disse...

Não conhecia o poema, uma excelente escolha, para além de muito oportuno faz-nos reflectir...
Grata pela partilha.
Beijinho

Manel do Montado disse...

Passei para desejar boa tarde e para reler e relaxar neste fim de dia.
Beijo

Friedrich disse...

Há viagens que deixam marcas, marcas que deixam sabores multicolores e paragens que nos fazem pensar... Tudo o que tu me deixas eu agradeço, como este sentimento de palavras com barulho "Tlim"... Pois não! Talvez...

PS:- Ando sem tempo de ter tempo para comentar os meus blogs privilegiados o que me embaraça e me transcende, mas nunca ignoro as palavras.

Retribuo o abraço, agarrado a um beijo!

aflores disse...

Um óptimo passeio tiveste:)

Carmem L Vilanova disse...

Adorei o fruto deste teu passeio virtual... está ótimo, amiga!
Vim retribuir-te a visita e deixar-te muitas flores, muitos sorrisos e muitos beijinhos!

romero disse...

me gusta de la musica, no tenia comentado sobre eso :))
viene conocerme un poquito:)
besito

Anónimo disse...

Todas as minhas fotos ficam bem nos seus poemas .Obrigado por gostar.annie hall do outsider

amita disse...

Olá MM. Só passo para saber O QUE ACONTECEU AOS TEUS ARTIGOS dos 2 blogs do SAPO???????
Apagaste-os???? Não leves a mal as maiúsculas, mas estou deveras preocupada. Estive a lá a navegar e poucos encontrei. Não me tinhas dito que tudo ficaria lá? Ia pedir-te se me cedias umas imagens.... mas desapareceram.
Uma bjoka grande, minha amiga, e desculpa o desabafo.

lazuli disse...

delicioso poema que não conhecia. E do nosso João de Deus, o da infância, a decorar o..o batem leve, levemente, como quem espera por mim..será chuva, será gente? gente não é certamente e a chuva não bate assim..
Um beijinho*

Henrique Santos disse...

O Poema eu já o conhecia, mas o seu enquadramento, o tratamento que aqui teve, dão-lhe uma cara especial... Obrigada pela prenda,
Bjinhos Ricky

cm disse...

... a Balada da Neve é de Augusto Gil..(Lazuli).

mas gosto do poema que ouvi em pequeno e há muito nao revia...um abraço

Luís Monteiro da Cunha disse...

Desculpa...
Mas apenas fiquei...
Serenamente a ouvir o som e a olhar a flor...
Li o joão de Deus, mas recusei-me a reler...
Não! Não tenho nada contra.
Apenas quis ficar assim...
A ouvir e contemplar...
Ouvindo e contemplando...
Assim me quedo...

Bjinho

Luís Monteiro da Cunha disse...

PS:

Esta flor não parece mesmo...

Uma explosão de beleza?

A mim parece-me...

+1 bjinho

Fernando Rozano disse...

São passeios assim que descobrimos novos mundos e assim podemos dividir com muitos mais. Gostei do que li e da fotografia. Beijo.

Betty Branco Martins disse...

Passei... para reler e deixa-te

Um beijo

Peter disse...

Já há tempo que não passava pelo teu blog. É imperdoável. Não só porque nos visitas frequentemente, como, e principalmente, porque tens colaborado no mesmo.

Lu Costa disse...

Olá!

Vim retribuir a visita e o carinhoso abraço.

Gostei muito da flor de rara beleza, que partilhas connosco. *****

Elvira Bill disse...

E Plim!!
Beijinhos

dianiel disse...

tlim! papo.
já não é do meu tempo, mas os meus pais dizem que deram João de Deus na escola.

queres ir ler o que escrevi sobre a razão porque os homens escolhem pitinhas?

http://www.lickfuckneed.blogspot.com

lique disse...

O poema é delicioso, a Annie descobre estas preciosoidades e as fotos... um espectáculo!
Beijinhos, amiga

Anónimo disse...

Há dias assim, de busca... e a tua teve um excelente resultado. Adorei o poema, rsrs.
Marotinha, deixei um carinho lá no meu blog e tu, como me fizeste companhia neste ano, também recebe o meu afago e meu beijo.
Anne

Passarinha disse...

ta mesmo giro!!! giruuuuuuuuu!!!

sofialisboa disse...

fico sensibilizada pelo teu comentário, mas quero mudar, quero fazer coisas novas, quero ter tempo para ler, sei lá. continuarei a escrever , mas apenas quando me apetecer, sem obrigações, sem peso e neste momento, embora escreva depressa, apenas não meapetece mais expor a minha vida. bjs e por aqui andarei.sofialisboa