terça-feira, novembro 01, 2005

"Até a ti, na espera de nós"...


Imagem daqui

há mulheres na nossa vida como sítios
ancoradouros que estão lá
e nós sabemos
como casas, azimutes, orientes
como castelos distantes que indicassem
os caminhos que nunca conhecemos
ou quando
cansados da refrega
precisamos de mudar a cor do ar
vestir a vida
partir, fazer asneiras, perder noites...

- nem eu próprio sei como dizer-vos...

talvez cumprir um ritual de chegar
e de sentir
um momento sem passado nem presente
com alguém que confiamos e estimamos
com alguém que confirmamos e entendemos como a própria estrada de existir como quem nunca sequer estivesse ausente

não serão nunca
nem esposas nem amantes
serão amigas no peito
o que é diferente

a espaços são carinho e são lição ensinam a ternura
noutra dimensão
talvez grande e bastante, ou talvez não... (...)

Mas deixem-me acabar:
amiga assim
tanto como sei dizer
também é fogo
também nos é verdade

e também arde

(Excerto Poema de Pedro Barroso in "Das Mulheres e do Mundo" )

(Tema musical de Pedro Barroso: Em nome do feitiço acontecido in "Crónicas da Violentíssima Ternura")

28 comentários:

Al disse...

Olá Marota,

(...)não serão nunca
nem esposas nem amantes
serão amigas no peito
o que é diferente

(...)são carinho e são lição ensinam a ternura
noutra dimensão
talvez grande e bastante...

É como se este poema divino me dissesse do que me traz cá tantas vezes.

Menina Marota,
para além de te ler(ver), prazer ao qual me habituei, "como fogo e verdade e que também arde", passei para deixar um beijo pelas semanas em que estarei ausente "cumprindo um ritual" (por boa causa: trabalho), e deixar um "tudo de bom" e um até breve.

Um beijo e carinho

batista filho disse...

Verdade e beleza contidas nesse poema. Grato, amiga. Um beijo.

Dani disse...

é bom te ler...adoro...beijos doces...

wind disse...

Muito bonito este poema, um hino á mulher. beijos

I disse...

ha que tempos não ouvia esta voz!

ricardo disse...

é bom reler, no final de mais um dia, a experiência cantada, os hinos não oficiais da vida como tão bem nos sabe cantar (ou será ensinar?) Pedro Barroso... daqui levo a melodia e os versos sentidos.

de lá, do teatro, trago um carinho e um obrigado pelas palavras.

voltarei.

Su disse...

gostei de ler este poema
jocas maradas cheias de bons momentos

Estrela do mar disse...

...bonito poema este que partilhaste aqui...gostei muito de o ler...


Beijinhos e continuação de uma boa semana.

paper life disse...

Muitop boa escolha, Menina Marota e a fazer-me tanto sentido!

Obrigada!

:) Bj

Andesman disse...

Gosto do poema e da voz sempre moderna e eterna de Pedro Barroso. Jinhos e manda sempre "marotices".

lique disse...

Que bom ler e ouvir o que nos ofereces hoje! Um belíssimo final de feriado. :)
Beijinhos

Å®t_Øf_£övë disse...

Menina,
Curioso é verificar que alguns dos nossos amigos, que nos são tão queridos, fazem a sua viagem pela vida em locais diferentes e distantes dos nossos, e por isso somos obrigados a viver separados deles. Mas isso não é motivo suficiente para que a amizade se perca e para que os laços deixem de se fortificar apesar da distância.
Continuação de boa semana.
Bjs.

Maria Clarinda disse...

Pedro Barroso, um dos meus compositores favoritos...
Este poema é excepcionalmente bonito.
Obrigada menina marota, um jinho.

yatashi disse...

muito bonito Marota:)
Obrigada pela tua visita la no cantito.
Apaguei o outro blog e pronto.. queria sair de uma rotina chatinha:)

**
Rose

P.S. Acho que desta acertei no blog, ou não!

Pato Marreco disse...

Lindo "marotinha"
O poema e a melodia são uma selecção maravilhosa.
Jinhos do marrequinho que vai emigrar por + ó - 10 dias.

Furão disse...

Adoro esta poesia, lembrando-me sempre de alguém, de cada vez que a leio e descobrindo sempre virtudes que me esqueci de procurar, talvez porque os olhos estivessem perdidos noutros espaços, noutros tempos. Mas por isso mesmo talvez o tenha dito com o olhar. Sem querer.
Tenho o disco, um verdadeiro "safanão" numa época em que "já não se usa" este tipo de canções.
O que dizer mais, Menina?...

Apenas que continuarei a "ancorar" por aqui.

Bjs

ART&TAL disse...

pois...
s. joao da foz
fiquei a saber

Elise disse...

vim ler e saber se está tudo bem! espero que sim!

abraço! :)

lena disse...

adorei ler, de ti já devia estar habituada e não me surpreender, tens sempre algo excelente para partilhar

és linda, belo hino que nos deixas

beijinhos meus

lena

Fenando Bizarro disse...

Só me ocorre dizer-te: Grato pela partilha.

Bijocas,

Adryka disse...

ès fantática minha querida, adorei.Beijinhos

augustoM disse...

Fiquei muito lisonjeado, ias à procura de um Robert Wagner, mas foi chão que deu uvas, foi um delirio da Teresa.
Quanto aos momentos, não devem ter passado nem futuro, só a intencidade do momento.
Um beijo. Augusto

zira disse...

Muito bom. Voltarei mais vezes. De certeza.

Luis Enrique disse...

Sensivel e sincero. Gostei de este teu cantinho, e gostarei, com certeza, em cada "pulo". Obrigada pela tua visita. Fica um abraço sentido. Até já !

Joe Nunes disse...

“O homem tem uma visão estática e bonita do mundo, impressa nele por meio de associações condicionadas. E o homem acredita que sua visão é a realidade.” Timothy Leary

Uma voz muito bem timbrada um poema genial. Voltarei aqui mais vezes

Micas disse...

Gosto imenso de Pedro Barroso e este poema é uma delicia.

Beijinho

cm disse...

haja sempre o vibrar de uma corda de guitarra sustida numa palavra doce acalentado os dias da gente...
gostei..

Carlos disse...

Terra,sol,mar e lua

Estou aqui olhando a terra
Esperando meu amor chegar
Pro teu corpo poder abraçar
E a tua boca poder beijar

Estou aqui olhando o sol
Esperando o tempo passar
Esperando a noite chegar
Pra poder te encontrar

Estou aqui olhando o mar
Pra em teus olhos mergulhar
Vendo o lugar mais belo
Pra gente se amar

Estou aqui olhando a lua
Olhando por olhar
Mais o que eu mais quero
é poder te amar.