sexta-feira, novembro 18, 2005

Aproveitar o tempo...



Aproveitar o tempo!
Mas o que é o tempo, que eu o aproveite?
Aproveitar o tempo!
Nenhum dia sem linha...
O trabalho honesto e superior...
O trabalho à Virgílio, à Milton...
Mas é tão difícil ser honesto ou superior!
É tão pouco provável ser Milton ou ser Virgílio!

Aproveitar o tempo!
Tirar da alma os bocados precisos — nem mais nem menos —
Para com eles juntar os cubos ajustados
Que fazem gravuras certas na história
(E estão certas também do lado de baixo que se não vê)...
Pôr as sensações em castelo de cartas, pobre China dos serões,
E os pensamentos em dominó, igual contra igual,
E a vontade em carambola difícil..
Imagens de jogos ou de paciências ou de passatempos —
Imagens da vida, imagens das vidas, imagens da Vida.

Verbalismo...
Sim, verbalismo...
Aproveitar o tempo!
Não ter um minuto que o exame de consciência desconheça...
Não ter um acto indefinido nem factício...
Não ter um movimento desconforme com propósitos...
Boas maneiras da alma...
Elegância de persistir...
Aproveitar o tempo!
Meu coração está cansado como mendigo verdadeiro.
Meu cérebro está pronto como um fardo posto ao canto.
Meu canto (verbalismo!) está tal como está e é triste.
Aproveitar o tempo!
Desde que comecei a escrever passaram cinco minutos.
Aproveitei-os ou não?
Se não sei se os aproveitei, que saberei de outros minutos?!

(Passageira que viajavas tantas vezes no mesmo compartimento comigo
No comboio suburbano,
Chegaste a interessar-te por mim?
Aproveitei o tempo olhando para ti?
Qual foi o ritmo do nosso sossego no comboio andante?
Qual foi o entendimento que não chegámos a ter?
Qual foi a vida que houve nisto? Que foi isto a vida?)

Aproveitar o tempo!
Ah, deixem-me não aproveitar nada!
Nem tempo, nem ser, nem memórias de tempo ou de ser!
Deixem-me ser uma folha de árvore, titilada por brisa,
A poeira de uma estrada involuntária e sozinha,

O regato casual das chuvas que vão acabando,
O vinco deixado na estrada pelas rochas enquanto não vêm outras,
O pião do garoto, que vai a parar,
E oscila, no mesmo movimento que o da alma,
E cai, como caem os deuses, no chão do Destino.


"Apostila" de Álvaro de Campos
in
Todos os Poemas de Fernando Pessoa,
a págs 383 a 384

46 comentários:

Luís Miguel disse...

Constato que tal como eu admiras os escritos de F. Pessoa. Isso é óptimo!
Esta Apostilla é digna de uma imenso aplauso...
Parabéns!

agua_quente disse...

Está muito bom! E realmente que é isso de aproveitar o tempo? :)
Beijos e bom fim de semana

Pamina disse...

Gostei muito. Que maravilha é a última estrofe.
Um óptimo fds. Beijinhos.

APIUR disse...

Uma primeira visita.
Gostei
Até breve,
bom fds
Saudações,
Apiur

Fernando B. disse...

Dei por muito bem aproveitado o tempo que perdi a ler e a estudar esta mensagem do Pessoa.

Obrigado, querida Amigo. Acredita que, para além do meu actual desencanto, ainda tenho Tempo, de pensar numa Amiga distante 300 km, mas que está muito perto, guardada na "sala" do meu coração, reservada a Amigos/as especiais, como Tu.

Fraternos Beijos,

antonior disse...

Fernando Pessoa, ele próprio, e toda a gente que ele viveu, também me marcaram com a sua genialidade.
Teria de acabar escrevendo aquelas delirantes cartas de amor à Ofélia em que falava de mergulhos na Boca do Inferno e passagens por Rilha-Foles. Terá o génio de andar de mãos dadas com o desepero?

Tempo! Tanta gente aqui na nossa blogosfera mais próxima, tem escrito sobre tempo, nos últimos dias....
Repito, o tempo é a doença e a sua própria cura. É assim, sempre assim foi, e talvez seja assim para sempre.

Eu também pinto sobre o tempo. No meu website www.antonior.com , nas galerias de pintura, a secção Neoprimitivos e Sinais do Tempo.

Obrigado pela visita.

Bom fim de semana :-)

lazuli disse...

não há tempo nem distância..assim dizia alguém que escreveu sobre viagens no tempo..um tempo desmedido porque impossível de medir...intemporal enquanto existe, intemporal enquanto houver..uma réstea de tempo para viver...

henrique doria disse...

Olá menina!Temos andado afastados. Por minha culpa.Mas foi com muita alegria que voltei a ver-te no meu cantinho, e regressei ao teu.Está mais azul, está melhor.Espero ansiosamente um novo convívio.Beijos.

Passo disse...

é sempre bem aproveitado o tempo desta forma :)

miss devil disse...

oi!
o tempo passa a voar, e preciso aproveitar cada momento
jokas

wind disse...

Que comentar sobre Fernando Pessoa? Ele é o Mestre:) beijos

lena disse...

Fernando Pessoa o Poeta que aprendi a gostar

um belo poema dele

Aproveitar o tempo!

obrigada por partilhares aqui excelentes poemas

beijinhos

lena

Aromas Do Mar disse...

Aproveitando o tempo que por aqui me passeio, aproveito também para te desejar um bom fim de semana :)

Beijo grande

Lina (mar revolto)

Sulista disse...

F.Pessoa sempre bonito mas triste :-(

Mas tambem aproveito para te desejar um bom fim de semana e deixar um Abraço :-)

Ah, linda foto e boa música, como sempre!

Manel do Montado disse...

Neste momento agradeço as palavras generosas e amigas que deixaste ontem no meu canto. De vez em quando tenho uma recaída e choro, como no preciso momento em que te escrevo isto. Não pela tristeza da perda, essa é a condição do militar, mas por da próxima vez haver mais um lugar vazio na mesa e quando, já aquecido pelo vinho instintivamente me virar para lhe falar, ele já lá não estará. É aí que as coisas vão doer, quando a saudade apertar.
Um grande beijo de admiração por tudo que compartilhas, desde a imensa cultura a uma extraordinária sensibilidade e sentido de oportunidade.
Fica em paz amiga virtual.

Henrique Santos disse...

Não foi uma perda de tempo vir até ao teu cantinho... que bom.
Bjinho e BFS
Ricky

singularidade disse...

Obrigada pela partilha! Gosto muito de Fernando Pessoa.
Bom fim de semana. Beijo fofo

jocapoga disse...

relaxei
até qualquer dia

Su disse...

como sempre gostei da tua escolha e adorei ler
jocas maradas

Ze disse...

Anuncio " importante " A Bé escreveu de novo...
Bom fim de semana

Maria do Céu Costa disse...

Escolhas com qualidade que tem partilhado connosco e esta é mais um exemplo. Beijinhos, Menina Marota.

luisa disse...

Obrigada pelo teu comentário. É tão agradável sentir que gostam do que escrevemos! Bjinhos para ti!

romero disse...

Todos poemas que tienes ácca siempre son especiales:))
me gusto del musica, tb:)
que tengas un bueno fin de semana.
Besito

T. disse...

Aproveitar o tempo foi o que acabou de me acontecer. Grata fico.
Bom fim de semana :-)**

Pato Marreco disse...

Mais uma excelente escolha

Marco Ferreira disse...

Muito bom este escrito de Fernando Pessoa.

marinheiroauadoce a navegar

isa xana disse...

um optimo texto mesmo. tempo muito bem empregue :)

jinhu

azurara disse...

Deixou-me triste, Menina.
Tempo? Será que temos tempo?

Anónimo disse...

O futuro pertence

aqueles que acreditam na beleza dos seus sonhos.

(roosevelt)

Carlos disse...

O futuro pertence

aqueles que acreditam na beleza dos seus sonhos.

(roosevelt)

UGAJU disse...

O tempo que nos falta é um anticiclone...

Gabriel disse...

Adoro Álvaro de Campos!
Não perdi tempo por aqui...ganhei-o!

Fernando Rozano disse...

Ao te visitar, a alegria de encontrar Fernando Pessoa, belo post e blog maravilhoso. estarei sempre por aqui. abraço.

Elsa disse...

Hoje comecei no meu blog uma "luta" irónica contra os insultos nos blogs... não só no meu mas nos outros... passas por lá e deixas a tua opinião?
:-)
beijo

lique disse...

Como é que sabemos quando estamos a aproveitar o tempo? Se eu parar agora e ficar simplesmente a olhar a chuva lá fora, estarei a desaproveitar o tempo?
Profunda reflexão, a deste poema.
Beijinhos e boa semana.

Malae disse...

Ah, Grande Pessoa! Excelente escolha! O tempo... esse sábio que tem sempre qualquer coisa para nos ensinar!

Um beijinho grande.Boa semana,
Malae**************

GIZZO disse...

tenta aproveitar o tempo o + possivel, e "vive cada dia km se fosse ultimo" tnh a certeza k vais entender pkek eu escrevi esta frase neste post! bjs

Bufagato disse...

Só passei para deixar um beijinho e desejos de óptima semana, mas não pude deixar de te ler e na verdade, o que é o tempo, senão o verbo já passado apesar de futuro!
Aproveitemos o tempo na busca incessante do termo futuro do passado.

Bjinho

soslayo disse...

Menina Marota, Fernando Pessoa e os seus heterónimos são um fenómeno que até hoje é estudado no Brasil com maior intensidade que em Portugal. Um paradoxo não!?... Mas adoro Fernando Pessoa. Obrigado menina marota.

Ana Maria disse...

Fernando Pessoa não é pessoa é arte em letras.
obrigada pela oportunidade de reler este maravilhoso poema "Aproveitar O tempo"
e tambem quero agradecer a sua presença no meu cantinho.
Abraço Poeta.

Paulo disse...

É, sem dúvida, um tepo bem aproveitado na leitura de Fernando Pessoa...obrigado por no-lo teres trazido aqui.
Tem um Boa Semana:-)
um beijo terno:-)

Tribunal_Beatas disse...

Aproveitar o tempo... Ora aí está um acto subjectivo já que nem todos o aproveitamos da mesma maneira e o que pode ser para mim aproveitá-lo, pode não ser para os outros. O importante é olhar para trás e não pensar "Podia ter feito coisas mais interessantes e importantes com aqueles segundos".
Belo poema, aompanhado de uma música lindissima.
Beijinhos :)

maresia_mar disse...

Aproveitar o tempo! Como? Qual a melhor forma de o fazer??? Não sei, mas há tantas coisas que podemos fazer... eu aproveitei o tempo lendo-te.. gostei imenso deste poema... Bjhs e as melhoras, tens que ter paciência

AS disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
AS disse...

Querida Marota, a "Apostilla" é uma leitura simplesmente arrabatadora!...

Um beijo grande

Anónimo disse...

Louvável/ amável a lembrança de nosso Fernando! Parabéns e obrigado por brindares, hoje, comigo, conosco!

Você, Fernando Antônio Nogueira Pessoa e eu!

"Forte abraço, força sempre!"

Marcelo Finholdt dez/ 2008